Família > Lifestyle > Festas e férias

O Halloween à volta do mundo

O Halloween à volta mundo

Booooh! Doçuras ou Travessuras? O Halloween é um dos feriados mais antigos do mundo (tem origem ainda antes do século VII), e é celebrado ainda hoje um pouco por todo o mundo. O termo “Hallowe’en” surgiu apenas no século XVII e é uma abreviatura escocesa de “Allhallow-even”, literalmente “noite de todos os santos” (“eve of all saints”). 

Popularizado pela cultura norte-americana, o Halloween remonta a uma antiga celebração celta, o Samhain, que marcava o fim do verão. Apesar de ter sido substituído no século VII por uma festividade católica, mais de dois mil anos depois pessoas por todo o mundo continuam a celebrar a chegada do inverno da mesma forma que os antigos celtas — com uma grande festa repleta de doces e máscaras.

No entanto, as celebrações variam muito de país para país! Por cá temos o Pão por Deus, no México e noutros países latinos é celebrado o Dia de los Muertos, e em países como a Irlanda (onde o Halloween nasceu!), o Canadá e os Estados Unidos da América, crianças e adultos celebram este dia da forma que estamos habituados a ver representada na televisão: a tradição inclui máscaras assustadoras, bater de porta em porta a pedir doces, muitas partidas e jogos. 

Irlanda.

(Foto: Irish Times)

Nas áreas rurais, os irlandeses acendem fogueiras, como no tempo dos Celtas, e um pouco por todo o país, as crianças fantasiam-se e durante a tarde batem de porta em porta para pedir doces e pegar partidas aos vizinhos. Depois disso, a maior parte das pessoas reúne-se com amigos em pequenas festas, onde os jogos são o grande destaque. O “Snap-apple”, por exemplo, é um jogo onde uma maçã é pendurada numa porta ou numa árvore com uma corda, e os jogadores têm que tentar mordê-la. Também é costume dos pais prepararem caças ao tesouro, sendo doces a grande recompensa. Os irlandeses também jogam às cartas: viram-nas de forma a que o símbolo fique para baixo e deixam as crianças escolher a sua preferida. Os naipes são diferentes do costume e ditam o prémio que cada menino vai receber: moedas ou doces! 

Um dos pratos tradicionais no Halloween é o Barmbrack, a que nós chamamos “Bolo Inglês”: se a pessoa que está a comer encontrar um saquinho com uma guloseima árabe dentro do bolo, então diz-se que esse é um bom sinal de futuro. Se por outro lado alguém encontrar um anel, está perto de se casar! 

Día de los Muertos.

(Foto: Oakland North)

No México, na América Latina e em Espanha, o Dia de Todos os Santos, que acontece a 2 de Novembro, é celebrado durante três dias, tendo as festividades início na tarde de 31 de Outubro. A cerimónia é pensada para honrar os mortos que, acreditam, voltarão às suas casas terrenas durante o Halloween. Muitas famílias constroem altares para os entes queridos que já partiram, e decoram-nos com doces, flores, fotografias, as comidas e bebidas favoritas dos familiares mortos, e água fresca. Deixam também um alguidar e uma toalha para que o espírito se possa limpar antes de dar início ao banquete.

Os latinos acendem velas e incenso de forma a ajudar os falecidos a encontrar mais facilmente o caminho para casa, e limpam as campas de forma a que, no dia 2 de Novembro, possam fazer um piquenique no cemitério, muitas vezes acompanhando a comida com tequilha e bandas mariachis. 

Estados Unidos da América.

Na segunda metade do século XIX, os Estados Unidos da América foram invadidos por imigrantes irlandeses. A chegada de um tão grande número de irlandeses a solo norte-americano ajudou a espalhar a celebração do Halloween. Apropriando-se de uma tradição originalmente britânica e irlandesa, os norte-americanos começaram a mascarar-se e a pedir dinheiro ou comida de porta em porta, uma prática que acabou por se tornar no atual “trick or treat” (“doçura ou travessura”). Este feriado ganhou tal relevância nos EUA que a grande parte das pessoas assume que esta é uma celebração americana. A venda de doces nos Estados Unidos durante o período do Halloween rende cerca de 2 mil milhões de dólares às lojas – é, a seguir ao Natal, o feriado mais lucrativo. 

Brasil.

(Foto: MS Notícias)

Dia do Saci é comemorado anualmente a 31 de outubro. A data homenageia o Saci-Pererê, figura mitológica do imaginário folclórico brasileiro. O Dia do Saci foi instituido pela Comissão de Educação e Cultura brasileira com o intuito de ajudar a valorizar o folclore nacional, ao invés do Dia das Bruxas, e assim resistir à cultura norte-americana. O objetivo é conscientizar a população sobre a rica variedade cultural do folclore brasileiro. Mas quem é o Saci-Pererê?

Há quem diga que a lenda do Saci surgiu no sul do Brasil, em meados do século XVIII, onde as histórias populares narravam as travessuras de um pequeno índio que assustava os animais e destruía plantações. Porém, quando a lenda chegou ao norte do país, as características do personagem mudaram. Passou a ser negro, usar um gorro vermelho e a fumar um cachimbó (por influência da cultura africana na região). A lenda também descreve o Saci como tendo apenas uma perna. 

No Dia do Saci as pessoas podem optar por fantasias que caracterizam os seres sobrenaturais do folclore brasileiro, como o próprio Saci-Pererê, ou a Matinta Pereira, o Curupira e a Caipora. 

Entre algumas das atividades interessantes para partilhar com as crianças no Dia do Saci, destaca-se contar histórias sobre as lendas brasileiras, fazer uma peça de teatro com o Saci-Pererê como personagem principal, fazer desenhos do Saci e das demais figuras mitológicas da cultura brasileira e recriar a lenda do Saci-Pererê, incentivando a criatividade das crianças.