Gravidez > Nascimento > Parto

Movimentos Fetais: está a mexer-se o suficiente?

movimentos fetais

Existem várias maneiras de percebermos se o bebé está bem, dentro do útero materno. Contámos com a ajuda de Sofia Serrano, ginecologista e autora do blog Café, Canela e Chocolate, o Pediatria do Desenvolvimento no Centro Pediátrico de Telheiras, Armando Fernandes, entre outros especialistas, para perceber como fazer a contagem dos movimentos fetais.

Movimentos Fetais

Os primeiros movimentos fetais ocorrem geralmente a partir das 18 semanas de gravidez, podendo ser detetados, pela primeira vez, pela mãe entre esta primeira semana e as 22 semanas de gravidez. Inicialmente, trata-se de um ligeiro vai-e-vem que, nas semanas seguintes, devido ao crescimento do bebé e ocupação de mais espaço no ventre da sua mãe, se transforma em movimentos cada vez mais percetíveis, até mesmo do exterior – altura em que o pai pode sentir os pontapés e mudanças de posição do pequeno ao apoiar a sua mão sobre a barriga da mamã.

Este é um momento emocionante e também muito importante, uma vez que a regularidade dos movimentos do feto demonstra o seu bem-estar.

Os movimentos e as suas diversas formas

Segundo o pediatra Armando Fernandes, o feto realiza todo o tipo de exercícios “aquáticos” – estica as pernas e os braços, abre e fecha as mãos e até trepa pelas paredes do útero e roda sobre si próprio. A altura em que se nota uma maior movimentação é, por norma, de noite (algures entre as 22h e a meia-noite). Já ao amanhecer, é normal que o sinta mais tranquilo e sossegado. Mas atenção que estas não são certezas absolutas e inquestionáveis, uma vez que os movimentos fetais têm a ver com as variações hormonais do sangue da mãe.

Controlar os movimentos fetais

O médico pode fazer uma ecografia ou um CTG (designação para cardiotocografia, um exame complementar de diagnóstico não invasivo que permite medir o batimento cardíaco do bebé, avaliando o seu bem-estar, e as contrações da mamã), dependendo da idade gestacional, mas uma boa maneira de a própria grávida controlar o bem-estar do feto é através da contagem dos movimentos do bebé.

A contagem dos movimentos fetais é um teste simples, realizado no terceiro trimestre de gravidez. Permite à grávida conhecer o seu bebé e perceber quando há alterações no padrão dos movimentos – este pode ser um sinal de alerta, que pode necessitar de uma intervenção médica como forma de prevenção de potenciais problemas.

Sabemos que cada feto tem o seu próprio padrão de movimentos, em relação a comportamentos espontâneos e em resposta a estímulos. Por isso, é importante que cada grávida conheça o seu bebé.

Quando se deve começar a fazer contagem dos movimentos fetais?

Tudo depende do tipo de gravidez e historial clínico da gestante. No entanto, o normal é que numa gravidez de baixo risco esse registo seja feito, no Boletim de Saúde da Grávida que lhe é cedido na unidade de saúde onde é acompanhada, a partir das 35 semanas de gravidez. Já quando se trata de uma gravidez de alto risco, a contagem deve começar um pouco antes, por volta das 28 semanas de gravidez.

Como a grávida deve avaliar os movimentos fetais?

Para poder verificar quão mexido é o seu pequeno, é importante que siga alguns conselhos, cedidos pela especialista em ginecologia Sofia Serrano:

  • deitar-se de lado, de preferência para o lado esquerdo e estar atenta aos movimentos do feto;
  • deve fazer a contagem 1 vez por dia, e na mesma altura do dia – normalmente nas horas em que o bebé está mais ativo, como por exemplo após as refeições ou à noite;
  • anotar a hora do 1º e do 10º movimentos (normalmente, a maioria dos bebés demora menos de 30 minutos);
  • atenção que o bebé pode estar a dormir e nesse caso, deve repetir a contagem.

A maioria dos bebés saudáveis demora menos de 2 horas para realizar os 10 movimentos. Mas atenção que cada bebé é diferente e daí a importância da grávida conhecer o padrão de movimentos do seu bebé.

Será o bebé a mexer-se ou as tais contrações na gravidez?

Isabel Ramos de Almeida, fisioterapeuta especializada na área da saúde da mulher, explica, em declarações à revista “O Nosso Bebé” a diferença:

“Na presença de movimentos fetais, a mãe vai sentido algumas zonas da barriga a ficar mais duras, como se o bebé se estivesse a espreguiçar, enquanto uma contração é sentida como se fosse uma faixa que acompanha toda a barriga, de um lado ao outro.”

E o que fazer se houver diminuição dos movimentos fetais?

“Se pelo contrário, a grávida sentir que o bebé está a mexer-se menos do que o normal, deve em primeiro lugar questionar-se se poderá haver alguma razão para tal estar a acontecer. Depois, deve ingerir algo com açúcar e um reforço (uma peça de fruta, pão com queijo ou um doce). Se continuar a não haver reação por parte do bebé, deve dirigir-se a um serviço de urgência ou contactar o obstetra”, explica Isabel de Almeida.Deve recorrer à urgência da maternidade ou hospital, para fazer os testes necessários para verificar o estado de saúde do bebé – provavelmente será necessário fazer uma ecografia e um CTG, acrescenta Sofia Serrano.

Se, pelo contrário, os movimentos aumentarem, não deverá haver motivo para preocupação. Apenas quererá dizer que o bebé tem ainda muito espaço e anda a explorar o seu território.

Veja também:

  • Dicas para as grávidas: Para que serve o pré-natal?
  • Parto: as diferentes formas de ver a magia acontecer!

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *