Família > Crescer > Desenvolvimento

7 momentos que criam laços entre pais e filhos

7 momentos criam lacos entre pais filhos

De certeza que ouve incontáveis vezes as frases “mãe, brinca comigo!” ou “pai, vem cá, queres jogar?”. Importa-lhes pouco que seja com bonecos, a “fazer de conta” que são a Elsa e o Olaf ou a jogar à apanhada, as crianças querem sentir que os pais lhes dedicam tempo para brincar com eles. Damos-lhe 7 ideias para momentos de convívio e muita diversão com os mais novos! 

Jogos de tabuleiro/de mesa. 

Gerir o mau perder das crianças é complicado, mas possível: se lhes comer “a ficha” ou se a sua frota lhes afundar o barco, desvalorize o choro ou os protestos. Faz tudo parte do processo de gestão da raiva e de desenvolvimento das capacidades de lidar com a derrota. Aqui o desafio maior é dos pais: não fique colado às regras! É importante que as crianças aprendam a esperar pela sua vez e a respeitar as indicações, mas também é igualmente divertido criarem a vossa própria versão do jogo. 

Dependendo da idade dos nossos filhos, as opções são infinitas. Pictionary, Monopoly, Cluedo e Trivial Pursuit são os clássicos intemporais, com os quais pode reviver também a sua infância, tal como Xadrez e Damas. Mas actualmente a oferta é muito mais variada! Sugerimos, por exemplo, o jogo Encontra o Caminho – Castelo, da B de Brincar. É indicado para crianças com mais de 4 anos e tem a particularidade de ser em madeira. 

Também a Imaginarium oferece uma imensa variedade de jogos de mesa, como o jogo de Equilibrar os Macaquinhos ou o kit Fabu-ludos, uma caixa com 11 jogos de mesa diferentes reunidos.

Bónus: para pais cansados, brincar numa cadeira é uma forma mais divertida de “descansar”! 

Discoteca.

Os dias podem ser longos e cansativos. Para aliviar o peso das tarefas e da rotina, nada melhor do que entrar num registo de ligeireza: porque não lavar a louça a dançar com as crianças? Brincam com as crianças, criam uma ligação, e ao mesmo tempo não deixam as obrigações para traz!

Uma festa da discoteca improvisada e caseira garante as melhores gargalhadas. O youtube existe em todas as plataformas e dá-nos um rápido acesso a todas as músicas da moda. Um shot de adrenalina e endorfinas para lembrar ao mau humor que não é visita bem-vinda da vossa família! 

Bolos! 

Quem diz bolos diz fazer o jantar juntos ou preparar uma sobremesa para quando forem visitar os avós. Aqui a ideia é enfiar as crianças na cozinha e entretê-las com tachos e panelas! A confusão será certamente mais do que muita (aproveite e brinquem às senhoras da limpeza a seguir…) mas estará não sou a entreter as crianças como a prepará-las para uma vida de independência: meninos ou meninas, não lhes faz mal nenhum habituarem-se a preparar as próprias refeições enquanto fazem malabarismos com sacos de farinha ou ovos da galinha… 

Passeios ao ar livre. 

É possível que viva no centro da cidade e que não lhe pareça agradável a ideia de fazer um passeio “tranquilo” com as crianças por entre buzinadelas apressadas e pessoas que não se desviam. Os prédios, lojas e centros comerciais são por vezes esgotantes, mas escondem pequenos paraísos. Há natureza ao virar da esquina! Joguem às escondidas, vejam quantos tipos de flor diferentes conseguem encontrar, procurem um trevo de quatro folhas! Ou, simplesmente, leve os miúdos ao parque infantil e deixe-os gastar a energia acumulada. Um pouco de vitamina D faz milagres na saúde e na disposição – a sua e a das crianças! 

Construir uma fortaleza. 

Almofadas, mantas e está a festa feita! Por algum motivo que desconhecemos, estar escondidos por detrás de uma fortaleza de roupa de cama é um plano divertido para as crianças. Envolve mistério, a ideia de protecção e de dividirmos algo único com eles – se for confortável o suficiente, até podem dormir assim, uma forma diferente de criar ligações e que eles vão adorar. 

Banhos aleatórios. 

Para grandes males, grandes banhos! Não é ditado popular mas devia: se as crianças estão ligadas à corrente e não se entretêm com nada, enfie-as na banheira. Não interessa se já tomaram banho: veja-o como uma ida à piscina, de Verão (para refrescar) ou de Inverno (quando não é tão fácil ir à rua). Sente-se perto deles e saiba mais sobre a vida dos seus filhos. Existem 20 perguntas para fazer às crianças muito melhores do que “como é que correu a escola hoje?”. Pode contar-lhes também episódios sobre o seu dia. Acredite: eles vão gostar de saber. 

Histórias. 

Mesmo que lhes leia histórias antes de dormir, uma maratona de livros é outro nível de entretenimento. Façam uma roda, escolham um livro e leiam-no em voz alta – se as crianças já souberem ler, incentive-os a trocar papéis. “Agora, é a mãe quem quer ouvir uma história!”. No fim, conversem conversarem sobre ela. Qual foi a personagem favorita de cada um? Gostaram do final? A história era um bocadinho tonta? Partilhem uns com os outros a vossa opinião! 

Se as crianças ainda não souberem ler, tente mesmo assim que eles vos contem uma história pelas próprias palavras. Ou, então, mais divertido ainda: comece por inventar uma personagem. “Era uma vez uma princesa sem nome… continua tu, filho”. Estimule a criatividade dos seus filhos ao mesmo tempo que passa algum tempo de diversão com eles!