Mãe, pai, o que é o cancro? - Pumpkin.pt

Mãe, pai, o que é o cancro?

A propósito do Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, tentamos dar resposta a uma das perguntas mais difíceis que nos pode fazer uma criança: o que é o cancro?

Há respostas difíceis de dar, perguntas ainda mais difíceis de responder. Explicar a uma criança o que é o cancro é uma delas, principalmente porque a dúvida surge, por norma e lógica, num momento em que as abobrinhas são confrontadas direta ou indiretamente com a dura realidade da doença oncológica.

Para tentar ajudar, preparámos um especial sobre o cancro, na esperança de tornar um pouco menos impossível a missão de o descodificar. Também explicamos como ajudar associações que prestam apoio às vítimas.

Como explicar o cancro às crianças?

cancro crianças

É importante explicar às crianças que o cancro é uma doença grave, não mascarando a realidade e preparando-a para todas as fases e possibilidades, sem no entanto descurar o discurso positivo e incentivador. Este equilíbrio, é, claro, muito difícil de alcançar, principalmente quando o adulto está emocionalmente abalado com a situação.

Adaptar o nosso vocabulário ao da criança, de forma a simplificar as explicações, é também essencial. Abaixo respondemos a algumas das perguntas mais frequentes numa linguagem o mais clara e adaptada possível.

O que é o cancro, mamã?

O nosso corpo é formado por muitas, muitas células, e todas elas têm uma função diferente. Quando as células cumprem o seu papel ou se danificam, morrem, e outras células ocupam o seu lugar. O cancro aparece quando este processo do nosso organismo falha, ou seja, quando as células danificadas não morrem, continuando a nascer as que as deviam substituir. Quando isto acontece, surge um tumor.

Os tumores podem ser benignos ou malignos. Num tumor benigno, as células não se espalham por outras partes do corpo e, por isso, não são cancerígenas – ou seja, não provocam cancro. Num tumor maligno, as células cancerígenas conseguem espalhar-se para além da zona original do corpo, e contaminam outros órgãos, tecidos e órgãos, provocando alguns sintomas muito desagradáveis e maus.

Como é que sabemos se temos cancro, mamã?

Quando estamos constipados, temos febre, tosse e espirramos muito. Quando temos um tumor o nosso corpo também nos envia alguns sinais para que o possamos perceber a tempo. No entanto, estes sinais não significam que alguém tem cancro, podem ser também sintomas de outras doenças menos graves.

Além disso, costuma dizer-se que o cancro é uma doença silenciosa, ou seja, muitas vezes é difícil perceber que alguém tem cancro porque não há sintomas evidentes. Por isso, o diagnóstico final deve ser sempre, sempre, sempre feito por um médico, através de análises e exames especiais.

Alguns dos sintomas do cancro são:

  • Dificuldade em engolir;
  • Dificuldade em respirar;
  • Um sinal novo na pele;
  • Trânsito intestinal alterado;
  • O aparecimento de uma massa (um altinho) numa parte do corpo;
  • Muito cansaço;
  • Perda de peso;
  • Sangue nas fezes, na urina ou na boca;

Porque é que o cancro aparece, mamã?

Nenhum médico consegue ainda explicar porquê que estas células danificadas não morrem. Por isso, a origem dos tumores e do cancro é ainda desconhecida. No entanto, existem alguns comportamentos que podem ajudar ao aparecimento de alguns tumores:

  • Fumar;
  • Beber bebidas alcóolicas em excesso;
  • Alimentação pouco saudável;
  • Passar demasiado tempo ao sol sem proteção.

Alguns cancros podem também surgir devido a fatores genéticos, inflamação crónica e vírus específicos.

O cancro cura-se, mamã?

Infelizmente, nem todas as pessoas conseguem ganhar a luta contra o cancro, mas também são muitos aqueles que recuperaram e vivem vidas completamente normais.

Combater o cancro com esperança e boa disposição é muito importante, mas também é normal e recomendado dar espaço à tristeza, porque ela é uma reação normal de crescidos e pequeninos.

O cancro pode e deve ser combatido de várias formas, e existem tratamentos médicos diferentes para cada tipo de tumor. Alguns dos mais comuns são:

  • Cirurgia, ou seja, uma operação onde os médicos retiram o tumor e algum tecido saudável, para evitar que ele volte a espalhar-se. A cirurgia, se numa fase inicial, pode curar o paciente. É sempre um passo muito importante no tratamento.
  • Radioterapia, um tratamento com radiação que torna o tumor mais pequenino, porque mata as células más e poupa as boas. Também serve para reduzir a dor.
  • Quimioterapia, um tratamento com medicação que impede o crescimento das células más, mas que também causa alguns efeitos secundários, como a queda de cabelo,

O apoio, amizade e carinho da família e dos amigos nesta fase difícil não curam, mas são fundamentais ao longo de todo o processo. Os tratamentos são longos, duros e dolorosos, por isso é muito importante que o doente saiba que não está sozinho.

Livros e outros materiais didáticos sobre cancro, para crianças:

Os livros, os filmes e os jogos são ferramentas muito importantes no desenvolvimento de consciência e na conquista de conhecimento, e também podem ser muito úteis para explicarmos às crianças o que é o cancro e como lidar com ele.

A Matilde está Careca

Operacao_Nariz_Vermelho_criancas_Livro_Matilde_Esta_careca_ml

Esta é a história da Matilde, uma menina que enfrenta, como tantas outras crianças, uma doença muito assustadora.

A Matilde Está Careca” é uma obra escrita a várias mãos, por ex-alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa, e maravilhosamente ilustrada por José Souto Moura.

Estes alunos, hoje profissionais de saúde, contactaram durante os seus anos de formação com a presença de Doutores Palhaços nos corredores do Hospital Santa Maria e este livro retrata também a sua visão sobre a importância do trabalho da Operação Nariz Vermelho junto das crianças hospitalizadas.

Explorando a obra, recomendada pelo Plano Nacional de Leitura, podem abordar junto das vossas crianças este tema assustador de forma simples e sensível, ajudando a promover a inclusão social.

O Cancro Não Gosta de Beijinhos

o cancro não beijinhos

Este livro, extraordinário na sua simplicidade e autenticidade, aborda a forma como o diagnóstico desta doença num adulto pode/deve ser transmitido aos filhos pequenos e como o respetivo tratamento pode/deve ser vivido em família.

Baseado na história verídica de uma mãe a quem foi diagnosticado cancro da mama quatro meses após o nascimento da filha, este livro acompanha todas as fases do tratamento – a cirurgia, a quimioterapia, a queda do cabelo, a radioterapia… -, apostando sobretudo na cura pelos afetos e constituindo um excelente ponto de partida para explicar às crianças uma doença tão séria.

Pela ternura e delicadeza com que o tema é tratado, mas também pelo seu pragmatismo, “O Cancro Não Gosta de Beijinhos” é um livro capaz de ajudar, incentivar e motivar os doentes oncológicos na sua luta quotidiana contra a doença que os aflige.

Formigas e Joaninhas

formigas e joaninhas

Era uma vez uma joaninha que, com a ajuda de outras formiguinhas, construiu uma casa onde viver. Um formigueiro. Um organismo. E se esse organismo ficasse, de repente, em perigo?

Formigas e Joaninhas” é um livro para crianças onde se explica, com a calma que só uma formiguinha pode ter, o que é a doença do cancro, e se aconselham pequenos passos para ajudar a ser mais saudável. Uma forma doce de desmistificar o cancro.

Alice no País do Cancro

alice no país do cancro

Ao longo desta história emocionante e sensível, vista através dos olhos da pequena Alice, o leitor vai descobrir que a força da imaginação pode ser a chave da harmonia reencontrada entre a inocência de uma criança – o País das Maravilhas – e as dificuldades da vida.

Alice no País do Cancro“, de assunto difícil mas actual, acompanha a criança e ajuda-a a encarar a realidade – o País do Cancro – e a aceitá-la. É também um amigo precioso na relação dolorosa que os doentes vivem com o mundo do cancro.

Outros livros pedagógicos sobre cancro

o meu irmão tem cancro

Estes livros já não estão à venda, mas encontrámo-los nas redes das Bibliotecas de Lisboa. Perguntem nas bibliotecas municipais da vossa área de residência porque é muito provável que lá também os tenham disponíveis. Aquele que mais nos marcou foi “O Meu Irmão tem Cancro”, produzido pela Acreditar e destinado às crianças que têm irmãos doentes.

O meu Irmão tem Cancro“, que também podem encontrar em versão .pdf e imprimir, conta a história de um rapaz e de uma rapariga que também têm um irmão com cancro. Além da história, o livro traz também algumas perguntas para as crianças responderem sobre o que se tem passado consigo e com a sua família, e que os vão ajudar a lidar melhor com todas as dúvidas, ansiedades e medos.

Também lemos “Gaspar-Quimio e a sua caça às antipáticas células do cancro”, que explica de uma forma muito simples, pedagógica mas factual a origem do cancro e como é que ele pode ser combatido.

Vídeo explicativo sobre o cancro, desenvolvido pela CUF

Vídeo explicativo sobre o Linfoma, uma das variações cancerígenas que mais atinge as crianças

 

E com o cancro infantil, como lidar?

Já é difícil explicar a uma criança o cancro como doença de alguém de quem ela gosta muito: um avô, uma tia, algum dos pais. No entanto, o cancro infantil é também uma realidade, felizmente mais rara. Segundo dados da Associação Acreditar, em Portugal são diagnosticadas cerca de 400 crianças com cancro por ano. Apesar de a taxa de cura ser elevada (cerca de 80% de sobrevivência), o cancro ainda é a principal causa de morte nas crianças após o primeiro ano de vida.

Cristina Potier, diretora-geral da Fundação Rui Osório de Castro, acredita que “chegar a uma taxa de sobrevivência de 100% não é uma utopia”, mas reforça a necessidade de apostar mais na investigação e na de dar oportunidade a que mais crianças participem em ensaios clínicos.

Outra inquietação da FROC é que a realidade não é verdadeiramente conhecida, já que a última informação estatística nacional se refere a 2005. “Desta forma, como podemos ter a pretensão de melhorar uma realidade que de facto não conhecemos? É urgente que o registo nacional em oncologia pediátrica seja feito”, apela Cristina Potier.

O Dia Internacional da Criança com Cancro é assinalado a 15 de Fevereiro e foi criado pela Childhood Cancer International com o objetivo de ajudar todas as crianças vítimas de cancro a conseguirem acesso a melhores tratamentos e medicamentos, dando também um apoio grande às suas famílias e amigos.

Com este dia pretende-se educar o público em geral sobre o cancro na criança, promover entidades e organizações que trabalham nesta área, e, claro, reunir verbas para apoiar instituições e famílias. Nós listamos algumas, que podem ajudar as famílias nesta fase difícil, e que nós podemos ajudar sempre.

Acreditar

Instituições Particulares de Solidariedade Social Associação Acreditar

Acreditar é a associação de pais e amigos de crianças com cancro. Pretende ajudar as crianças e as respectivas famílias a superar melhor os diversos problemas que se colocam a partir do momento em que é diagnosticado o cancro, contribuindo para fomentar a esperança.

Saibam mais sobre o trabalho desenvolvido pela Associação Acreditar.

Liga Portuguesa contra o Cancro

Instituições Particulares de Solidariedade Social Liga Portuguesa Contra o Cancro

A Liga Portuguesa contra o Cancro promove a prevenção primária e secundária do cancro, o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico e a formação e investigação em oncologia.

Saibam mais sobre a Liga Portuguesa contra o cancro.

Os Aprendizes da Nono

Instituições Particulares de Solidariedade Social Instituições Particulares de Solidariedade Social

A APLAS – Associação Princesa Leonor Aceita e Sorri é uma Associação cuja missão é ajudar crianças e respetivas famílias que estejam a sofrer com o flagelo do cancro, bem como as suas Famílias.

É na página Os Aprendizes da Nono que esta Associação partilha todo o seu trabalho e aprendizagens. Lá, podem encontrar os dados para contribuir para esta causa.

Fundação Rui Osório de Castro

fundação rui osório castro

Fundação Rui Osório de Castro tem por objectivo apoiar as crianças com cancro e os seus familiares. A Fundação escolheu desenvolver a sua actividade principal na área informativa por constatar que a informação existente sobre oncologia pediátrica se encontra dispersa e de difícil acesso e compreensão.

Desenvolveram, por exemplo, o  PIPOP – Portal de Informação Português de Oncologia Pediátrica, além de várias publicações que dão apoio direto às famílias e às crianças.

Saibam mais sobre a FROC.

Operação Nariz Vermelho

Instituições Particulares de Solidariedade Social Operação Nariz Vermelho

O principal propósito da Operação Nariz Vermelho é assegurar de forma contínua um programa de intervenção dentro dos serviços pediátricos dos hospitais portugueses, através da visita de palhaços profissionais.

Esses artistas, têm formação especializada no meio hospitalar e trabalham em estreita colaboração com os profissionais de saúde, realizando actuações adaptadas a cada criança e a cada situação. A Pumpkin acompanhou uma visita dos Doutores Palhaços ao IPO, em Lisboa, e contou tudo sobre o seu maravilhoso trabalho num relato íntimo e especial.

Conheçam melhor esta iniciativa dos Doutores Palhaços e saibam como pode ajudar, no site da Operação Nariz Vermelho.

Outras associações de apoio a doentes com cancro:

  • ADL (Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma);
  • AAPC (Associação de Apoio a Pessoas com Cancro);
  • APCL (Associação Portuguesa da Luta Contra a Leucemia);
  • APLL (Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas);
  • Ame e viva a vida (Associação de mulheres mastectomizadas);
  • APAMCM (Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama);
  • Associação Portuguesa de ostomizados;
  • Europacolon Portugal (Apoio ao doente com cancro digestivo);
  • Evita (Associação de apoio a portadores com alterações nos genes relacionados com cancro hereditário);
  • Laço (Associação de solidariedade social);
  • Pulmonale (Associação portuguesa de luta contra o cancro do pulmão);
  • Viva mulher viva (Associação para o bem-estar e qualidade de vida das mulheres com cancro da mama).

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *