Gravidez > Nascimento > Preparação para o parto

Preparação para o parto!

preparação para o parto

O parto é o momento em que os pais vão, finalmente, conhecer o seu bebé! Entre um turbilhão de novas emoções, também os medos e receios têm espaço nesta nova etapa da vida.

O parto acontece (na maioria das vezes, pois não podemos esquecer o tema da prematuridade que ainda afeta muitas gravidezes) reta final da gravidez. Este é o momento em que os pais vão, finalmente, conhecer finalmente o seu bebé! Sendo um acontecimento tão importante é muitas vezes um momento de novas sensações e emoções. Por isso, nada melhor do que se preparar para o parto. Como? O Vou Nascer, explica-lhe. 


Preparação para o parto

A preparação para o parto teve origem nos finais dos anos 70, sensivelmente na mesma altura em que se deu o grande movimento de emancipação feminina. Coincidindo com a passagem do parto do domínio domiciliar (parto em casa) para o domínio hospitalar.

Observa-se na sociedade um fenómeno interessante: a gravidez, o parto e o puerpério (pós-parto) que antes pertenciam ao contexto doméstico, já que os nascimentos se davam em casa com o apoio de parteiras e curiosas, passam a acontecer no hospital à porta fechada, a célula familiar fica reduzida a pais e filhos, as famílias deixam de ter avós, tios e primos a viver na mesma casa, além de que os avós trabalham até tarde havendo escassas fontes de suporte a quem escolhe ser pai/mãe.

Toda esta conjetura contribuiu para que a família se sentisse menos apoiada, quer em relação à gravidez, quer aos cuidados do recém-nascido. Este fenómeno impulsionou o aparecimento de cursos de preparação para o parto, depois para o nascimento e mais recentemente para a parentalidade. No VouNascer, gostamos de lhe chamar Criação de uma Nova Consciência Parental.

Nos dias que correm, a sociedade é extremamente exigente com os jovens adultos e adultos, existindo uma pressão social constante por um emprego estável, uma determinada posição no trabalho, melhores condições de habitação e de estabilização financeira. Mas, depois de tudo isto, onde existe espaço para que estes jovens adultos que agora têm um novo ser a seu cuidado aprendam a ser pais? Será que é um ato instintivo? Será que assim que vir o seu bebé pela primeira vez nos seus braços nasce uma capacidade que até aí não tinha?

A verdade é que não sobra tempo e também não é um ato instintivo. Existem, de fato, algumas capacidades que se adquirem quase de forma intuitiva, mas na realidade o ser humano adquire o seu conhecimento pela aprendizagem e pela experiência, ou seja, ou tentamos várias vezes e adquirimos conhecimentos ou entramos em pânico. A segunda opção não é de todo viável. A tentativa-erro é a base da nossa vida em tudo o que fazemos e será aí a nossa tarefa encontra-se bastante mais facilitada.

A experiência e a aprendizagem que temos daquilo que é ser mãe e ser pai cinge-se à nossa própria experiência de sermos filhos, irmãos, sobrinhos ou netos e à observação que fizemos, durante o nosso desenvolvimento, das relações humanas. Quando somos deparados com o nosso próprio papel enquanto pais entramos numa esfera muito intimista e pessoal, onde cada casal tem as suas próprias expectativas, dúvidas, receios.

É importante reconhecer todas as especificidades próprias desta especial fase da vida de um casal e família, bem como o desenvolvimento desta nova Consciência Parental (que acreditamos só deve ser trabalhada com cada casal individualmente no seu próprio espaço: a sua casa).

Desta forma quando falamos na preparação do quarto do bebé, por exemplo, não estamos simplesmente a fazer uma exposição teórica, estamos, de facto, a ver consigo o que resulta melhor tendo em conta o seu espaço e o seu estilo de vida, ajudando a montar e a tornar o espaço do seu bebé o mais funcional e agradável possível.

Quando falamos de trabalho de parto, falamos da anestesia (epidural), das hipóteses de posições durante o trabalho de parto e também das técnicas que podem ser benéficas para o avançar do trabalho de parto e para o seu bem-estar e do seu bebé.

É, portanto, a preparação para o parto algo extremamente importante – para estarem alinhados e seguros do que querem na altura do parto (através do planeamento de plano de parto, numa discussão com os médicos assistentes e enfermeiras), das hipóteses, do que pode correr bem e o que pode correr mal e, o mais importante de tudo, estarem conscientes e tranquilos com o momento mágico que estão prestes a viver!

Veja também:

  • Parto: as diferentes formas de ver a magia acontecer!
  • Epidural no trabalho de parto: informação para uma escolha consciente

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *