Família > Crescer > Desenvolvimento

Dicas para estimular o desenvolvimento do seu filho – desde o nascimento aos 36 meses

Dicas estimular desenvolvimento filho - desde nascimento 36 meses

Algumas ideias para estimular as capacidades e desenvolvimento do seu filho e para se divertirem juntos!

Hoje relembro cada pai, cada mãe, cada avó, cada tio e cada primo, cada educador da sua responsabilidade. Relembro que é importante uma boa educação escolar, a ajuda de técnicos para princípios pedagógicos mais ajustados e para crianças e jovens mais saudáveis.

Mas desde a barriga, sim desde que são pequeninos que nem se veem, que a responsabilidade é de todos e de cada um que o rodeia e que olha para ele. Sim, é seu filho e será sempre.

Pode fazer a diferença e cumprir a sua parte. Todos os dias.

Lembrei-me dos primeiros anos de vida e da sua importância e de como aquilo que é só divertido para o seu filho de 18 meses, de 24 ou de 36 pode ser também muito, muito estimulante e determinante para o seu desenvolvimento sensorial, cognitivo, emocional e social.

E este desenvolvimento não é só feito na escola, pode e deve ser feito em casa. Não tem de ser na escola, não tem de ser educador, psicólogo ou psicomotricista, basta estar atento, basta relacionar-se com o seu filho, basta ser criativo. E começar… Hoje!

Deixo-lhe algumas ideias para estimular as capacidades do seu filho. Aposto que se irão divertir!

 

A audição:

–       Aplaudir;

–       Dar estalos com a língua;

–       Assobiar;

–       Imitar sons de animais;

–       Falar alto, falar baixo;

–       Fechar os olhos enquanto ouvem sons vindos de várias direcções.

 

O Olfacto:

–       Cheirar diferentes tipos de objectos, comidas, flores…

–       De olhos vendados descobrir o que é apenas pelo cheiro.

 

A Visão:

–       Sombras chinesas para identificar que objectos se trata;

–       Sombras para identificar objectos;

–       Desvendar objectos apenas mostrando parte deles;

–       Colocar objectos a uma grande distância e perguntar de que se trata, ir aproximando lentamente até conseguir decifrar do que se trata.

 

O Tacto:

– Uso de materiais e objectos diversos e familiares para descobrirem o que são pelo tacto.

 

Psicomotricidade

–       Caminhar como se fossem muito pequeninos (agachados);

–       Caminhar como se fossem muito estreitinhos (em bicos dos pés, com as mãos bem junto ao corpo);

–       Caminhar como se fossem gigantes (passos muito largos);

–       Saltar como coelhinhos.

 

Motricidade fina

–       Dobragens e colagens;

–       Plasticinas;

–       Rabiscos.

 

Conceitos Matemáticos

–       Formar pares, trios, objectos iguais;

–       Contar escadas, contar carros, pratos e guardanapos.

 

Linguagem e memória

–       Rimas;

–       Canções;

–       Repetição de palavras.

 

Estou certa de que já está cheio(a) de ideias para além das sugestões aqui deixadas. Serão momentos divertidos e fundamentalmente muito ricos para  o desenvolvimento do seu filho. Lembre-se: É também uma responsabilidade sua. Por onde vai começar?

 

Rita Castanheira Alves

Psicóloga Coordenadora da área MindKiddo, área infanto-juvenil e familiar da Oficina de Psicologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *