Coronavírus: o que é e quais são os seus sintomas? - Pumpkin.pt

Coronavírus: quais são os sintomas?

coronavírus

O COVID-19 mudou o mundo como o conhecíamos. Apesar de já todos conseguirmos identificar os sintomas, e de estarmos familiarizados com a doença, reunimos informação básica que podem e devem consultar sempre que tiverem dúvidas.

Um dos desafios que o vírus do COVID-19 oferece é o do seu diagnóstico, visto que os sintomas de coronavírus são semelhantes aos de uma gripe comum.

Ainda assim, há diferenças entre os sintomas de uma e de outra doença. Fiquem a perceber o que as distingue, graças à Doctorino e às conclusões a que um ano de pandemia nos permite chegar.

O que se sabe sobre o coronavírus?

Os coronavírus dizem respeito a um grupo de vírus que causa infeções respiratórias leves a moderadas, em seres humanos e em animais.

Todavia, alguns coronavírus podem causar doenças mais graves, como é o caso do novo Coronavírus (2019-nCoV), detetado na cidade de Wuhan, na China, em finais de 2019, e que rapidamente se espalhou por todo o mundo, criando alarme internacional e ceifando milhões de vidas.

Génese do coronavírus:

A génese deste vírus ainda não é totalmente clara. As informações mais recentes adiantam que os cientistas concluíram que o código genético do coronavírus é 96% semelhante à doença infeciosa de que os morcegos são portadores.

Contudo, o único dado que é certo é que este é um vírus zoonótico, ou seja, transmite-se de animais para pessoas.

De acordo com um estudo da Universidade de Pequim e da Universidade de Bioengenharia de Wuhan, o surto do coronavírus pode ter surgido no Mercado de Wuhan. Suspeita-se que vírus Sars-CoV-2 possua como hospedeiros determinadas espécies de morcegos, cuja carne é consumida na China.

Formas de transmissão do coronavírus:

O contágio pelo coronavírus pode acontecer pelo ar ou pelo contacto com secreções contaminadas, tais como:

  • gotículas de saliva;
  • catarro;
  • tosse;
  • espirro;
  • toque ou aperto de mão;
  • toque em objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contacto com a boca, nariz ou olhos.

Como já dissemos, o coronavírus atinge, principalmente, as vias respiratórias. Os seus principais sintomas são:

  • dificuldade em respirar;
  • febre;
  • tosse.

No entanto, a COVID-19 afeta cada pessoa de formas diferentes. A maioria das pessoas infetadas desenvolve a doença com sintomas ligeiros a moderados e recupera sem necessidade de hospitalização.

Diagnóstico do coronavírus:

Para confirmar a presença do coronavírus, é necessário recolher materiais respiratórios com potencial de aerossolização (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro).

Essas amostras são o meio de diagnóstico. Em seguida, os exames de biologia molecular vão identificar ou não a presença de RNA viral.

Tratamento do coronavírus:

Foram desenvolvidos esforços imediatos para que as investigações por uma vacina se concretizassem no menor tempo necessário. A fase de vacinação iniciou-se no início de 2021 e, até serem convocados, todos os cuidados são poucos.

Se forem infetados, há algumas medidas que podem ser tomadas, no sentido de aliviar os sintomas da doença, tais como:

  • descansar;
  • beber muita água;
  • tomar analgésicos e antipiréticos;
  • tomar banhos quentes.

Prevenção do coronavírus

É fundamental apostar na prevenção, através de gestos que evitem a contaminação por este coronavírus. Tomem nota:

  • evitar contacto com pessoas com infeções respiratórias agudas ou sintomas desta doença;
  • não partilhar objetos pessoais, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • lavar frequentemente as mãos, especialmente depois do contacto com pessoas doentes ou com o meio ambiente ou depois de tossir ou espirrar;
  • evitar tocar nas mucosas dos olhos, nariz e boca;
  • utilizar lenços descartáveis para limpar as fossas nasais;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar contacto próximo com animais selvagens ou animais doentes.

O que fazer se suspeitam que contraíram o vírus?

Se preencherem todos os sintomas e sinais de alerta, devem manter-se o mais isolados possível e entrar em contacto com a linha de saúde 24 (808 24 24 24) ou contactar o 112.

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *