Família > Sãos e salvos > Segurança

Segurança nas Piscinas

Seguranca nas Piscinas

Dicas para que os seus filhos enquanto brincam na piscina estejam seguros.

Uma porta aberta, um brinquedo esquecido no jardim ou uma folha caída na piscina é suficiente para despertar a atenção da criança. É nessa altura que os afogamentos acontecem: quando não existem adultos por perto e a criança tem acesso sozinha a uma piscina não protegida.

Se tem piscina em casa, no local onde vai passar férias ou nas redondezas garanta que estão devidamente protegidas com uma vedação. A medida mais eficaz na redução dos afogamentos com crianças pequenas é a existência de barreiras físicas que dificultem o acesso da criança e retardem o seu contacto com a água, dando mais tempo ao adulto para colmatar uma falha de vigilância. Esta não pode permitir a passagem de uma criança por cima, por baixo ou através dela, nem ser escalável.

Ou seja, uma vedação eficaz tem que ter as seguintes características:

  • No mínimo, 110 cm de altura, sem elementos que possam servir de apoio para trepar (elementos onde a criança possa por os pés ou as mãos)
  • No máximo, 9 cm de distância entre elementos verticais
  • Um portão com abertura para o exterior (do recinto da piscina), com um sistema de fecho automático
  • Ter o fecho do portão fora do alcance das crianças, ou um mecanismo de fecho só possível de abrir através de duas ações distintas e coordenadas
  • Alguma transparência, de forma a que o recinto da piscina seja visível do exterior.

Se quer construir ou comprar uma vedação para piscina tenha em consideração que existe uma norma portuguesa para vedações e proteção dos acessos de piscinas e outros planos de água (NP 4500:2010) que define os requisitos de segurança para este tipo de produtos. Apesar de ser de aplicação voluntária, a conformidade com esta norma é uma garantia de que o produto é seguro e eficaz na prevenção dos afogamentos.