Gaguez: quais as causas e os tratamentos adequados? - Pumpkin.pt

Gaguez: quais as causas e os tratamentos adequados?

gaguez

Sabiam que a gaguez afeta cerca de 100 mil portugueses? Quem fala assim é gago, e está tudo bem.

A gaguez é uma perturbação da fluência do discurso, e, portanto, afeta o domínio total da comunicação.

Ao contrário do que se possa pensar, não é um problema de construção de raciocínio: a pessoa sabe exatamente o que quer dizer, mas a sua fala é dominada por algumas repetições, prolongamentos, pausas inesperadas ou bloqueios em que as palavras são subitamente interrompidas.

A gaguez é uma condição comum, afetando mais de 60 milhões de pessoas no mundo – em Portugal, são cerca de 100 mil as pessoas diagnosticadas, mais frequentemente do sexo masculino.

A propósito do Dia Internacional da Gaguez, reunimos algumas dicas e recursos para melhor lidar com crianças gagas, além de resumirmos as causas e possíveis tratamentos associados a esta condição.

As causas da gaguez

Lembram-se daquela história de um susto poder provocar gaguez? Lamentamos informar, mas é mito. No máximo, uns anos de vida perdem, mas gagos não ficam…

Por norma, e segundo especialistas da CUF, os fatores genéticos são aqueles que maior influencia têm: em 60% dos casos existe um histórico familiar de gaguez. Existem também situações provocadas por causas neurológicas e psicossociais, mas a gaguez não é de todo provocada por:

  • Nervosismo;
  • Stress;
  • Susto;
  • Traumas e/ou estados emocionais;
  • Dimensão da língua;
  • Negligência parental.

Os tratamentos para a gaguez

Embora não exista uma medicação para a gaguez, são várias as metodologias com as quais se obtém relativo sucesso no tratamento da condição.

Quanto mais cedo acontecer a intervenção, maiores são as probabilidades de recuperação, por isso é importante agir cedo, identificando na criança uma ou mais das seguintes perturbações na fala:

  • Repetir constantamente sons ou sílabas;
  • Prolongar os sons;
  • Incluir um som “incomum” no discurso de forma repetida;
  • Elevar o timbre e o volume da voz;
  • Produzir um tremor ou movimentos involuntários em redor dos lábios durante a produção de um som, palavra ou sílaba;
  • Fazer um número invulgar de pausas ou substituição de palavras;
  • Ter medo de pronunciar palavras “difíceis”;
  • Ter dificuldades em iniciar e manter o ritmo do discurso.

A terapia da fala é o método utilizado com maior frequência, existindo dispositivos eletrónicos que também podem ajudar. Um terapeuta da fala tem como objetivo ajudar as crianças e jovens a aplicar métodos e técnicas que lhes permitem tornar o discurso mais fluente.

Estes tratamentos são, regra geral, bastante longos, pelo que devem preparar-se para a exigência física e emocional envolvida.

Além de um terapeuta da fala, pode fazer também sentido envolver no processo um psicólogo, que lhe reforçará a impressão positiva e lhe oferecerá recursos para lidar com a incompreensão, as críticas e o, infelizmente, muito possível bullying.

O trabalho com um profissional de psicologia é também importante para trabalhar a “origem do problema”, se esta estiver associada à ansiedade ou outra causa neurológica.

Como lidar com uma criança com gaguez?

A primeira regra é: não interromper o ritmo de discurso da criança. Por muito tentador que nos possa parecer completar, adivinhar ou corrigir a criança, o melhor para a pessoa com gaguez é ter tempo para terminar de falar.

Isto fa-lo-á sentir-se mais forte, trabalhando a sua auto-estima e autonomia.

A segunda regra é: não culpar a criança por algo que ela não domina. Principalmente nos estágios iniciais de fala, pode ser comum demonstrarmos alguma frustração com aquilo que consideramos uma “falha” injustificada.

Todas as crianças têm o seu ritmo de desenvolvimento, e, por isso, é importante esperar timings diferentes, e até períodos de disfluência relativamente curtos. Se perceberem que a criança “quer falar” mas não consegue, então aceitem-na, mostrem empatia e compreensão, e procurem ajuda.

Tentem dar também o exemplo, falando calma e descontraidamente com a abobrinha. Não é preciso falar devagar, porque isso parecerá pouco normal; a ideia é manter um discurso sem pressa e com pausas. Usem, quando ouvem, uma escuta ativa. Isto é: mostrem através das expressões faciais e linguagem corporal que estão atento ao conteúdo, e não à forma, da mensagem.

Se a criança com gaguez não for nossa, mas existir convívio regular com outra abobrinha com a condição, talvez faça sentido sensibilizar os nossos filhos para essa diferença, explicando-lhes a origem e pedindo paciência e compreensão.

Recursos para ajudar a criança a lidar melhor com a gaguez

O envolvimento dos pais e familiares é muito importante para que a criança se sinta apoiada e compreendida. Uma forma útil de lhe mostrarem esse apoio é através de alguns recursos educativos. Reunimos alguns que vos podem ajudar:

Ernesto, o Menino com Gaguez em Família

Ernesto o menino com gaguez

A gaguez é uma patologia da comunicação que afecta não só a criança que gagueja mas também todo o seu meio envolvente.

Ao gaguejar, a criança sente-se triste, irritada e frustrada por não ser capaz de passar a sua mensagem. Os seus pais e familiares, por sua vez, sentem-se impotentes por não saberem como ajudá-la, nem poderem fazer o problema desaparecer, e, por último toda a sociedade que se deixa impressionar com a fala de quem gagueja e muitas vezes não reage da melhor maneira.

Este livro infantil visa colmatar as lacunas descritas acima, introduzindo o tema gaguez, de forma lúdica e aprazível, permitindo que a criança não se sinta sozinha com o seu problema e que vá, ao longo do livro conhecendo a gaguez, desmistificando os medos que dela possam advir e desenvolvendo comportamentos comunicativos que promovam a fluência da fala.

É igualmente um importante e único, até á data, material de apoio na intervenção terapêutica de psicólogos, terapeutas da fala e outros profissionais saúde e educação, com estas crianças, ao nível da gaguez.

Ernesto, jogos para a Gaguez

A aplicação “Ernesto, jogos para gaguez” é baseada no livro “Ernesto, o menino com gaguez em família” e é única, não existindo oferta semelhante no mercado das apps.

Está disponível para Android em Português-Europeu e Portugal-Brasileiro, e também em inglês, tendo sido desenvolvida numa parceria entre a ToyMobi, a editora Coisas de Ler e a autora e terapeuta da fala Mónica Gaiolas.

Através de imagens, sons, vídeos e 4 jogos, a app estimula diversas capacidades cognitivas envolvidas no processo da fala.

A aplicação tem um custo de 3,49€.

O Discurso do Rei

o discurso do rei

“O Discurso do Rei” é um filme para as abobrinhas mais crescidas, ou até para os pais, mas não queremos deixar de recomendar pela mensagem poderosa que reforça, além de demonstrar de forma muito palpável as dificuldades com que uma pessoa gaga se depara ao longo da vida.

O premiado filme, que ganhou inclusive o OSCAR de Melhor Filme, conta a história do rei Jorge VI, que contrata Lionel Logue, um terapeuta da fala, para o ajudar a superar a gaguez. Os dois homens tornam-se amigos enquanto trabalham juntos e o rei confia a Logue a missão de ajudá-lo a fazer um importante discurso no rádio, no começo da Segunda Guerra Mundial.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *