Horta Urbana: guia completo para criarem a vossa! - Pumpkin.pt

Patrocinado por

Horta Urbana: guia completo para criarem a vossa!

Gostam de natureza e de alimentos frescos? Venham aprender a fazer a vossa horta na cidade, do planeamento ao cuidado das plantinhas!

De manhã, bem cedinho, o despertador do Pai Pumpkin toca: está na hora de espreguiçar, tomar um bom pequeno almoço e começar o dia a tratar da sua horta urbana, a dois passinhos de casa e bem no centro de Lisboa!

Hã? Mas uma horta na cidade? É verdade! As hortas urbanas são cada vez mais comuns e trazem imensas coisas boas às famílias, desde o tempo bem passado aos momentos de aprendizagem e aos alimentos frescos e biológicos. A Família Pumpkin tem uma horta há 3 anos. Com muita dedicação e cuidado, ela dá morangos, curgetes, favas, tomates, espinafres, batata doce, alfaces, brócolos roxos… e até a coelhinha Pompom!

Venham aprender tudo para fazerem uma horta em casa adaptada aos vossos sonhos. Não se esqueçam de levar sempre convosco água, protetor solar e Bepanthene® Plus Creme, para desinfetar, proteger e cicatrizar as feridas num só gesto, sem arder (pequenos percalços acontecem no meio da natureza)!

Porquê fazer uma horta urbana?

Mas se temos um supermercado e três mercearias mesmo ao virar da esquina… porque é que haveríamos de cultivar alimentos em casa? Atentem nestas vantagens maravilhosas:

Comida saudável e orgânica

Um morango comprado na mercearia é bom, mas um morango nascido e criado na nossa própria horta… é muito melhor! Para além de ter o sabor de um morango verdadeiro, sabe a amor e dedicação.

Cultivar os vossos alimentos é uma ótima forma de comer de forma mais fresca e genuína, sem químicos, enquanto poupam algum dinheiro e tornam a vossa dieta mais saudável!

Um hobby relaxante e recompensador

Sim, dá algum trabalho cuidar de uma horta. Mas tudo o que dela recebemos como recompensa (e não estamos só a falar dos alimentos) faz valer a pena! Quem cuida das plantas cria uma ligação única com a natureza, podendo desfrutar da calma e dos pequenos milagres que nela acontecem.

Em tempos em que o stress é uma constante na vida de pais e filhos, este pode ser um ótimo hobby para retomarem a paz de espírito!

Aprendizagens úteis para as abobrinhas

horta urbana
O Pai Pumpkin partilha conhecimentos com as abobrinhas Leonor e Amelie.

É cada vez mais comum as crianças acharem que as batatas crescem nas árvores – e é normal! Nos grandes centros urbanos, não existem muitas oportunidades para lhes mostrarmos como funciona a natureza. Mas podem criar o vosso próprio centro de aprendizagem aí em casa!

Com uma horta em casa, as abobrinhas podem aprender imenso: como se plantam os frutos e legumes, como crescem, a importância do cuidado e o impacto das nossas ações. É também uma ótima forma de lhes transmitirmos valores como a responsabilidade, a noção de comunidade e o respeito pela natureza.

Que tipos de hortas urbanas existem?

Horta comunitária pumpkin
A horta comunitária do Pai Pumpki, a dois passinhos de casa.

Nas cidades, as hortas existem em todos os tipos e formatos: na cozinha, no jardim, na varanda, em espaços públicos… Estes são os 3 tipos principais:

  • Hortas Urbanas em Vasos: é provavelmente o tipo de horta mais comum para quem não tem um espaço grande, como um terreno ou jardim. Vários vasos, floreiras ou recipientes servem de casa às plantinhas, muitas vezes em locais fechados, desde que apanhem luz natural.
  • Hortas Urbanas Verticais: as hortas verticais são muito usadas em espaços pequenos, como armazéns, varandas ou marquises. Em vez de cultivarmos as plantas umas ao lado das outras, como com os vasos, distribuímos os recipientes em altura, do chão ao teto, podendo usar para isso prateleiras ou ganchos, por exemplo.
  • Hortas Comunitárias: a horta do Pai Pumpkin é uma horta comunitária. O município disponibiliza terrenos para os moradores cultivarem hortícolas, contribuindo para a qualidade do ambiente, para o seu bem-estar e para a socialização com outros “agricultores urbanos”. Existem vários espaços destes pelo país fora – se tiverem interesse, falem com a vossa câmara municipal!

Como começar uma horta urbana?

Condições ideais

Antes de começar a vossa horta em casa, é importante garantir que têm um espaço livre com estas condições:

  • Muita luz natural: o sol é o melhor amigo das sementes e das plantas! Numa varanda, num terraço ou em frente a uma janela são bons locais para começar o vosso projeto.
  • Alguma sombra: se muita luz faz bem, luz em demasia pode queimar as plantinhas. O local ideal não é inundado pelo sol em todas as horas do dia. Também é bom evitar um local em que o sol não se concentre durante as horas mais quentes do dia – apenas iluminado de manhã, por exemplo.
  • Pouco vento: o vento é saudável para as plantas, mas q.b. Caso coloquem a vossa horta ao ar livre, é importante garantir que o espaço que escolhem oferece alguma proteção de brisas fortes que podem prejudicar algumas espécies com maior altura, como é o caso dos tomateiros.

Materiais necessários

Fizeram check em tudo? Ótimo! Atentem agora nos materiais necessários:

horta urbana horta em casa ferramentas necessárias
Algumas das ferramentas mais usadas pelo Pai Pumpkin.
  • Recipientes: não precisam de ser obrigatoriamente vasos. Potes, caixas de madeira, hortas pré-fabricadas em degraus, garrafas ou até panelas velhas podem dar ótimas casas para as plantinhas! Devem escolher os recipientes de acordo com o espaço que têm disponível e as necessidades espaciais das plantas que escolherem cultivar.
  • Terra com substrato: está à venda em lojas especializadas em jardinagem, mas também em supermercados ou lojas de bairro (aquelas que têm tudo e mais um par de botas, sabem?).
  • Fertilizante: podem comprar fertilizante em lojas especializadas ou fazer uma versão caseira através da compostagem de resíduos orgânicos, ou da aplicação de restos específicos como as cascas de banana, borras de café ou cascas de ovos, que têm muitos nutrientes para oferecer. O Pai Pumpkin usa fertilizante caseiro patrocinado pela coelhinha Pompom!
  • Ferramentas: o essencial é uma pá pequena – dá para escavar, para calcar, para cavar um túnel até Nárnia… enfim, tudo o que precisarem! Também podem comprar um kit de jardinagem para crianças, daqueles que têm regadores, garfos, etc, ou simplesmente usar a criatividade para reutilizar objetos que tenham em casa!
  • Outros: dependendo das espécies que escolherem cultivar, podem precisar de alguns acessórios extra. É o caso de materiais de suporte (paus, bamboo, estacas) para plantas que crescem verticalmente ou ficam muito altas, como ervilhas, favas, tomates e outros. Se decidirem plantar morangos, por exemplo, será útil terem redes contra pássaros para evitar que as frutas sejam comidas ou mordidas.
  • Sementes, plantinhas ou raizes: dependendo da forma como pretendem plantar, escolham cuidadosamente os tipos e as espécies que querem na vossa hortinha! Não fazem a mais pequena ideia? Damos uma ajudinha!

Escolha de plantas para a horta urbana

horta urbana beringela sementeira
Sementeira de beringelas.

Mais do que as plantas que gostávamos de ter, é importante focarmo-nos nas condições que a nossa horta em casa tem para oferecer. Abacates ou framboesas silvestres seria incrível, mas nenhum dos dois caberia ou teria condições para crescer no cantinho da nossa cozinha, por exemplo!

Por isso, analisem bem a quantidade de sol e o espaço que têm disponível e pesquisem as necessidades das espécies que gostariam de cultivar. Algumas plantas, como as alfaces e os coentros, crescem bem na sombra. Já outras, como os tomates e os morangos, precisam de 6 a 8 horas de sol por dia para um desenvolvimento saudável.

Para começar, o Pai Pumpkin aconselha algumas plantas fáceis de cuidar:

  • Ervas aromáticas: coentros, salsa, hortelã, manjericão, tomilho, alecrim… há imensas possibilidades, e é sempre útil ter especiarias para tornar os nossos pratos mais deliciosos. Podem ser semeados em vasos, mas não convém juntar duas espécies no mesmo recipiente – as ervas aromáticas absorvem muitos nutrientes. Dica extra: este tipo de plantas, para além de oferecerem um cheirinho agradável, afastam pragas de insetos, ajudando a proteger as outras residentes na horta.
  • Alfaces: são deliciosas e muito fáceis de cuidar. Podem ser semeadas em canteiros, em vasos ou no solo. Lembrem-se de as alfaces não dão todo o ano – existem espécies de verão e de inverno, que devem ser semeadas na altura indicada.
  • Espinafres: versáteis e ricos em ferro, também são fáceis de plantar e manter. Podem usar os mesmos recipientes referidos para as alfaces.
  • Tomates: crescem verticalmente, pelo que precisam de algum espaço e de materiais de suporte, mas são de fácil manutenção. Podem ser plantados em vasos, um tomateiro por vaso, ou no solo, onde deve existir uma distância de mais ou menos 50 cm entre cada tomateiro.
  • Morangos: um pouco mais desafiantes, mas se estiverem a sentir-se aventureiros e dedicados, vale muito a pena! Podem ser plantados em camalhões, vasos ou floreiras. Deve existir uma distância de 30 cm entre cada planta e a seguinte.

Já escolheram os futuros residentes da vossa horta urbana? Aprendam agora a plantar e cuidar deles!

Como plantar?

No momento de plantar, existem três opções: semear e observar todo o processo desde o início, comprar uma planta e transplantar para a nossa horta, onde vai crescer até ser colhida, ou utilizar um resto de legume para fazer crescer um novo. Saibam mais sobre estes processos:

A partir de sementes

Semear é incrível porque podemos ver a “magia” acontecer. Comecem por escolher as variedades exactas que vão plantar, segundo os fatores que listámos acima, a época do ano, os alimentos que consomem, etc.

Para semear, a forma mais simples é colocar a terra no recipiente (pode ser o vaso permanente ou um espaço mais pequeno, como os buracos de uma caixa de ovos), humedecê-la, deitar 2-3 sementes num buraco feito com o dedo e cobrir com uma camada fina de terra – 2 a 3 vezes o tamanho da semente. Acrescentem mais um pouco de água.

Devem regar as sementeiras todos os dias com um pulverizador, de forma a que se mantenha húmida a 1-2 cm da superfície. É importante não dar água a mais, pois as sementes irão apodrecer. Dependendo das sementes, poderão demorar vários dias ou semanas a germinar. O mais comum é demorar cerca de 2-4 semanas.

Assim que os primeiros rebentos aparecerem (UAU!), continuem a regar para que cresçam até terem no mínimo 2 folhas permanentes. Nesta altura poderão transplantar as plantas para a sua casa definitiva!

A partir de plantas (transplantar)

Uma opção mais simples e que poupa tempo e tentativas é optar por comprar plantinhas. Se for a vossa primeira vez, o Pai Pumpkin aconselha que assim o façam!

Podem encontrar vasos com plantas pequenas à venda em feiras, supermercados e lojas especializadas, ou mesmo pedir um “pé” (pedaço da planta com raíz, pronto a ser plantado) a alguém que conheçam e que já tenha uma planta crescida.

Escolham um vaso adequado e façam um buraco com cerca de 2 vezes o tamanho do pé que vão plantar. Coloquem a planta na terra e cubram, de modo a que as folhas de baixo não toquem na terra – se isto acontecer, poderão apodrecer.

Calquem a terra e reguem um pouco a planta para lhe dar as boas vindas à nova casa!

A partir de restos de legumes

Um alho francês novo a nascer do resto da raíz!

Sabiam que os pés de certos legumes podem ser usados para fazer crescer um legume novo? Sim, também ficámos com essa cara quando descobrimos!

É o caso da beterraba, do alho francês, da cebola, do aipo, da cenoura, da batata doce… basta cortar a parte da raíz ou folhas (dependendo do legume escolhido) e colocar em água.* Vão mudando a água a cada dois dias e verão como começa a crescer! Porque este será um vegetal que cresce a partir de outro, sem terra, será menos rico em nutrientes e sabor, mas mesmo assim delicioso. E é um processo super giro de mostrar e explicar às abobrinhas!

*Pesquisem um pouco para aprender como fazer para cada legume – os processos são diferentes!

Manter a horta em casa

horta urbana regar cuidar das plantas
Amelie e o pai regam as plantinhas.

O maior desafio não é começar uma horta: é mantê-la! Como todas as coisas que valem a pena, as plantas precisam de tempo, atenção e dedicação para crescerem saudáveis.

Cuidar das plantas

Cuidar delas é um pouco como cuidar de um bebé e, como pais, provavelmente já sabem que elas vão mostrar quando não estão felizes. A recomendação do Pai Pumpkin é que estejam atentos e tentem reconhecer os sinais para agir sempre que as plantas precisarem. Lembrem-se destas dicas:

Falta de água

Se a vossa planta tem folhas enroladas ou amarelas e/ou secas, assim como terra seca, é possível que esteja com sede. Para verificar, coloquem o dedo cerca de 2 cm dentro da terra para ver se está húmido. Se não estiver, as raízes estão a precisar de água! Podem então aumentar a quantidade de água que dão diariamente ou colocar materiais orgânicos, como caruma, folhas secas ou palha, em cima da terra para preservar a humidade.

Falta de nutrientes

Se a planta não cresce, não desenvolve novas folhas ou tem folhas amarelas, poderá estar a precisar de mais nutrientes. Experimentem tirar as folhas amarelas uma a uma, cortando, e dar um bocadinho de fertilizante comprado ou caseiro.

Ervas daninhas

De onde veio aquela erva verde que está a crescer mais rápido que a vossa planta? É provavelmente uma erva daninha, uma planta que nasce espontaneamente, sem ser cultivada, num sítio onde não a desejamos. As ervas daninhas constituem um problema porque vão absorver a água e os nutrientes destinados à vossa planta. Por isso, assim que as encontrarem, arranquem-nas pela raíz.

Doenças e bichos

Alguns bichinhos podem gostar tanto das vossas plantas quanto vocês. Se for o caso, não as vão deixar em paz e podem prejudicar a saúde delas. Para afastar pássaros, que comem os frutos, podem experimentar uma rede à volta da planta ou mesmo um espantalho. Para lesmas ou caracóis, que costumam dar grandes dentadas nas folhas, o mais eficaz é retirá-los das plantas à mão. Também podem espalhar cascas de ovos ou borras de café à volta das plantas – eles não gostam nada.

Se têm outros visitantes indesejados na vossa horta urbana, o Pai Pumpkin recomenda que espreitem o site Cultivos da Caseiro, que tem imensos conselhos úteis para cuidar das plantas e lidar com os bichinhos!

Colher os alimentos

horta urbana horta em casa colher e comer os frutos
Nhami, morangos da nossa horta! Gostávamos de poder partilhar o sabor convosco.

Depois de bem cuidar das plantinhas, é importante saber qual é o momento e a forma certa de colher os frutos do nosso trabalho árduo!

Aromáticas

Quando a planta estiver crescida, retirem folha a folha ou um ramo pequeno, deixando o resto da planta para que possa voltar a crescer. É sempre preferível tirar algumas folhas em vez de cortar uma parte da planta, para facilitar a continuação do desenvolvimento. Escolham sempre cortar com uma pequena tesoura em vez de arrancar, para não danificar a planta.

Alface e espinafres

A forma de colher varia muito de planta para planta. As alfaces e os espinafres, por exemplo, podem ser colhidos folha a folha para que cresçam novamente – basta que deixem sempre 5 a 10 folhas para a planta continuar a desenvolver-se. Se preferirem, podem colher a planta inteira quando já estiver com o tamanho adequado – verifiquem sempre no rótulo das sementes.

Morangos, tomates e outros frutos

horta em casa colher morangos
Quanto mais vermelhinhos os morangos estiverem, melhor o sabor!

Os frutos só devem ser colhidos quanto estiverem bem desenvolvidos e maduros. Para além do tamanho, podemos perceber isto através da cor. Os morangos e os tomates, por exemplo, estão ótimos para comer quando o seu tom é super vermelho – é nesta fase que têm mais sabor!

Agora que já decidiram criar uma horta em casa… o que vão plantar? As possibilidades são infinitas!

Prontos para criar a vossa horta urbana? Se precisarem de alguma dica, deixem as vossas perguntas nos comentário! O Pai Pumpkin tentará ajudar com toda a dedicação 🙂


Bepanthene Plus creme é um medicamento não sujeito a receita médica, com dexpantenol e cloro-hexidina, para o tratamento de feridas e queimaduras superficiais quando existe algum risco de infeção. Contraindicado no caso de alergia a qualquer dos componentes deste medicamento e no tímpano perfurado. Evitar o contacto com os olhos e mucosas. Leia cuidadosamente o folheto informativo e, em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico.

Também vos pode interessar:

2 comentários em “Horta Urbana: guia completo para criarem a vossa!

  1. Ana Almeida Junho 16, 2021

    Sim .
    Tenho uma boa varanda fechada e adoro jardinar….!!! Péssimo hábito de por água em excesso, mas vou melhorando.
    Bons conselhos e orientações neste vosso site. Obrigado.

    1. Dani Gonçalves - Equipa Pumpkin Junho 17, 2021

      Obrigada pelas palavras, Ana!
      É normal, deste lado também vamos aprendendo com a prática.

      Beijinhos abobrinhas 🙂

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<