Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

Bronquiolite: prevenção e tratamento

Bronquiolite: prevencão tratamento

A bronquiolite é uma infeçãorespiratória que tem maior incidência durante o inverno e afeta maioritariamente crianças, sobretudo durante os dois primeiros anos de vida. Contudo, existem algumas medidas que podem ser adotadas, seja na prevenção de contágio ou no tratamento adequado desta patologia.

Apesar da bronquioliteser uma situação clínica comum, é mais usual em grupos considerados de risco, onde são consideradas crianças: prematuras, com doenças respiratórias crónicas, cardiopatias congénitas, imunodeficiências e com idade inferior a 3-6 meses. Apesar de poderem estar implicados outros vírus, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) é o agente mais frequente e responsável por mais de 70% dos casos.

Para evitar o contágio adote as seguintes medidas no seu dia-a-dia:

  • A lavagem frequente das mãos
  • Limitar o contato de pessoas com infecções respiratórias, nomeadamente com irmãos que frequentam infantário (e se impossível usar máscara)

  • Evitar locais de grande concentração de pessoas, poluídos e/ou com ambientes com fumo de tabaco.

A bronquiolite apresenta-se regularmente por rinorreia, obstrução nasal e/ou tosse, podendo ocorrer ou não episódios de febre. Após um período de dois ou três dias surgem sintomas de dificuldade respiratória que se vão agravando e que podem ser acompanhados por pieira, irritabilidade e recusa alimentar. Nas crianças mais pequenas, a bronquiolite aguda pode manifestar-se, numa fase inicial, por apneias (pausas respiratórias).

Regra geral, a bronquiolite é bem tolerada, e para o seu tratamento sugerimos medidas consideradas gerais como:

  • Fazer várias refeições ao dia;

  • Ingestão frequente de líquidos;

  • Fazer periodicamente a desobstrução nasal com soro fisiológico.

Apesar de ser uma situação, geralmente controlada pelas medidas sugeridas acima,  é fundamental que os pais saibam identificar os sinais de alerta.

O agravamento da dificuldade respiratória, a recusa alimentar e a prostração são alguns dos sinais aos quais devem ter especial atenção e mediante os quais devem recorrer rapidamente a um profissional de saúde especializado.

Devem fazer o mesmo mediante a presença de fatores de risco como: idade inferior a seis meses, prematuridade, doença pulmonar ou cardíaca e imunodeficiência.

 

Fontes:

http://www.fundacaoportuguesadopulmao.org/PREVENIR_DETECTAR_E_TRATAR_A_BRONQUIOLITE.html

http://www.fundacaoportuguesadopulmao.org/prevencao_infeccoes.html

 

© 2016 Mylan. Todos os direitos reservados.