Cuidarmos de nós próprias - Pumpkin.pt

Cuidarmos de nós próprias

cuidarmos de nós próprias

15 ideias para manter a sanidade mental.

Vivemos numa sociedade onde o “ser produtivo” é o objectivo de toda a gente até à exaustão. Ter a casa limpa e arrumada e organizar os horários da família de modo a tudo correr suavemente é bom, mas o nosso tempo não é para ser passado a correr de tarefa em tarefa. A Susana do blog A Espuma dos Dias fala-nos da importância de… parar. E cuidarmos de nós.


Há uma expressão em inglês que não tem correspondente exacto na  língua portuguesa: self-care. A tradução directa seria algo como cuidado pessoal, tomar conta de nós próprios ou semelhante, mas acho que a expressão original vai mais além. Traduz-se em pequenas (ou grandes) coisas que fazemos em prole no nosso bem-estar físico e mental. Toda a gente precisa disto, mas desde que tive o Simão que sinto que o meu bem-estar pessoal precisa de ser intencionalmente priorizado, senão vai pelo ralo abaixo. É muito fácil esquecermos-nos de nós quando temos uma cria completamente dependente a exigir cuidados, carinho e atenção. E a verdade é que não só precisamos de tomar conta de nós porque também somos gente, como torna-se impossível tomar conta de mais alguém se estivermos esgotadas.

Não é preciso ir passar uma semana a uma SPA (apesar de não ser má ideia para quem pode). Tenho uma lista de coisas que gosto de fazer quando preciso de me pôr em primeiro lugar e manter a minha sanidade mental e amor próprio. Algumas destas coisas  fazem-se em 15 minutos, outras requerem um dia inteiro. Se estiver a meio de um dia esgotante, às vezes basta comprar umas flores a caminho de casa ou acender uma daquelas velas especiais e já me sinto mais centrada. Quando é possível, não perco a oportunidade de passar umas horas na cama a ler um livro ou a ver um filme.

Deixo aqui a minha lista (sempre em crescimento) de coisas que faço quando quero dedicar tempo e energia em mim. Convém notar que eu sou uma pessoa introvertida e com um filho de 2 anos, portanto o ponto chave para mim é mesmo ter algum tempo sozinha. Algumas destas ideias podem não se aplicar aos vossos gostos e inclinações mas serve de inspiração para criarem a vossa. Não fazem tricot? Substituam pelo vosso hobby predilecto. Preferem uma sessão de ginásio a uma de yoga? Força nisso.

1. Sessão de Yoga

De momento não estou inscrita em nenhum centro de yoga, é mesmo só em casa; se precisarem de inspiração para as vossa prática de yoga, fica   aqui um link de yoga para iniciantes  e outro com a minha playlist preferida para yoga.

2. Comprar um livro ou revista

Aqui vou variando de acordo com o estado de espírito: ou compro uma coisa de que sei que vou gostar ou arrisco e compro uma coisa nova. Uma vez comprei a revista “Cristina”, essencialmente porque tinha curiosidade (estão sempre fechadas em plástico, não dá para espreitar) e apesar de ter chegado à conclusão que não era de todo para mim, foi uma experiência engraçada.  Bónus: pegar na nova aquisição e ir passar a tarde num café ou esplanada a ler.

3. Almoçar fora sozinha

Ou lanchar, se der mais jeito. Aqui a ideia é de ter uma refeição que a) não tivemos de cozinhar b) não teremos a loiça para lavar c) não somos interrompidas 1627384956 vezes para dar de comer à cria, ir buscar mais água, agora quer uvas, agora quer sair da cadeira e….. a comida ficou fria. Se forem do tipo extrovertido, se calhar o ideal é irem almoçar fora com uma amiga, ou saírem para os copos com aqueles colegas de faculdade que não vêem há imenso tempo.

4. Usar óleos essenciais

Eu tenho um difusor a que dou imenso uso, principalmente desde que descobri o site DiffuserBlends onde há imensas combinações diferentes e podemos escolher por tipo, óleo, “sensação” etc. A minha preferida é a Shangri-La.

5. Experimentar uma receita nova

Aqui a ideia não é ir fazer o jantar. É mesmo folhear livros ou rever os milhares de pins que guardámos no Pinterest, decidir calmamente o queremos experimentar, comprar os ingredientes, e passar uma tarde na cozinha a fazer experiências.

6. SPA doméstico

Isto pode ir desde pintar as unhas até um dia completo a fazer máscaras de argila e a por os pés de molhos em água morna com lavanda. Depende do tempo que tenho disponível. Outra opção é ir ao cabeleireiro cortar o cabelo ou arranjar as unhas, se o que precisam é mesmo sair de casa.

7. Acender velas

Há qualquer coisa de mágico em relaxar à luz das velas. Quando não tempo possibilidade de me livrar da  deixar a cria com os avós ou o pai leva-lo ao parque uma ou duas horas , acender uma vela aromática ao fim do dia depois de deitá-lo e relaxar no sofá serve de bálsamo instantâneo.

8. Escrever num diário

Aqui uma coisa que fazia religiosamente desde que aprendi a escrever até aos meus 16 ou 17 anos e depois perdi o hábito. Mas estou a recuperá-lo.  Escrever é excelente para processar as coisas más e  guardar memória das boas. É delicioso ir reler as coisas que escrevemos há algum tempo. Tenho duas opções: ou escrevo simplesmente o que se passou durante o dia (e acreditem, às vezes apercebo-mo de coisas que não notei na altura) ou uso uma “pergunta”. Estas “perguntas” arranjam-se ao milhões pela internet. Experimentem pesquisar por “journal prompts”.

9. Tomar um banho de espuma

De preferência com uma daquelas bath bombs super cheirosas da Lush. As idas à Lush podem ser um bocado stressantes se tiverem o azar de apanhar uma daquelas vendedoras que não vos largam, mas no geral a ideia de escolher algo cheiroso para depois enfiar-me na banheira deixa-me extremamente feliz. Isto é o tipo de coisa que pode perfeitamente ser feito no dia de semana, depois de deitar as crianças. 20 minutos numa banheira de água quente fazem maravilhas. Portanto, sirvam pizza ao jantar (para sujar o mínimo de loiça que o marido pode muito bem lavar  e arrumar sozinho).

10. Fazer tricot ou crochet

Ou qualquer outra actividade criativa que vos dê prazer; estas duas são perfeitamente compatíveis com o ponto abaixo

11. Passar umas horas (ou o dia todo) na cama a ler e ver filmes

Especial foco em mini-séries da BBC, adaptações de livros clássicos, ou uma maratona de uma série que esteja a seguir no Netflix.

12. Ir escolher lãs ou tecidos para um novo projecto

Eu tenho uma queda por coisas arrumadas por cores e ver prateleiras de novelos deixa-me estupidamente satisfeita. Não gosto particularmente de ir a lojas de roupa, mas se for do vosso agrado, passar uma manhã (bem cedo, para evitar multidões e filas) a escolher uma ou duas peças que estejam a fazer no guarda-roupa é bastante gratificante.

13. Ir a um Museu

Sozinha, para poder ver as coisas ao meu ritmo; já não faço isto há imenso tempo e tenho saudades.

14. Ir ao cinema sozinha (melhor ainda se for à Cinemateca)

Outra coisa que já não faço há imenso tempo (vida de casada).

15.Comprar flores

O mais simples de tudo; temos uma frutaria aqui perto que vende molhos de flores variadas e o Lidl tem frequentemente vasos com bolbos de jacintos. Não é preciso ir à procura de uma florista, se não houver nenhuma no vosso bairro, basta descobrir qual o sítio mais a jeito que tenha flores ou vasos. O que queremos aqui não é um bouquet artístico, basta um molho de tulipas para pôr numa jarra.

Experimentem algumas destas ideias, façam a vossa própria lista e criem o hábito de dedicar algum tempo e energia ao vosso bem-estar!

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Ainda não tem votos)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *