Bebés e vacinas: porque é tão importante seguir o Plano de Vacinação

Bebés e vacinas: porque é tão importante seguir o Plano de Vacinação

Quais são as contraindicações da vacinação?

A vacinação constitui o meio mais eficaz de medicina preventiva, constituindo uma das mais potentes armas de defesa contra doenças muito graves.

Estima-se que as vacinas salvam, por ano, entre sete e oito milhões de vidas no mundo inteiro, isto é, salvam mais vidas do que qualquer outra medida sanitária. Daí ser tão importante precaver-nos desde cedo e cuidar da saúde dos nossos bebés, vacinando-os.

As vacinas conseguiram erradicar a varíola do planeta, e deixaram ao alcance de qualquer governo sensato, por exemplo, a eliminação da poliomielite, da difteria, do sarampo, da tosse convulsa, entre outras doenças.

O Dr. Armando Fernandes – especialista em Pediatria do Desenvolvimento no Centro Pediátrico de Telheiras – explicou-nos quais os objetivos, os efeitos secundários e as contraindicações da vacinação. 

Objetivos da vacinação:

1. Proteger o indivíduo contra a doença e suas complicações;

2. Proteger a comunidade contra a transmissão da doença através dos indivíduos infetados (com ou sem evidência de doença);

3. Reduzir o número de suscetíveis de modo a que a “imunidade de grupo” os possa proteger, conseguindo-se através de uma elevada percentagem de indivíduos vacinados;

4. Erradicar a doença.

Mecanismo desencadeado pela vacinação:

Quando somos infetados por um vírus, bactéria, ou outro agente causador de uma doença transmissível, o nosso corpo reage produzindo substâncias chamadas anticorpos. Estes anticorpos combatem o agente invasor (chamado antigénio) e ajudam-nos a recuperar da doença. Em geral estes anticorpos permanecem no nosso corpo, mesmo depois de estarmos curados, evitando que apanhemos a mesma doença mais tarde.

A isto chamamos ter imunidade à doença. Os bebés nascem imunes a muitas doenças, pois recebem anticorpos protetores através da placenta da mãe. Mas esta imunidade do recém-nascido desaparece durante o primeiro ano de vida, deixando o bebé exposto aos agentes infeciosos.

As vacinas permitem que mantenhamos o bebé imune a muitas doenças, mesmo depois dele perder os anticorpos recebidos da mãe. Dentro da vacina estão os agentes causadores de doenças (antigénios) num estado muito enfraquecido. A vacina “engana” o nosso organismo, fazendo-o pensar que estamos a ser invadidos pelo agente da doença.

O corpo reage produzindo anticorpos que permanecem durante muito tempo ativos. Se a criança vacinada for exposta à doença mesmo a sério, estará protegida contra esta.

Quais as vacinas a dar aos bebés?

A informação sobre o Plano de Vacinação foi disponibilizada pelo Serviço Nacional de Saúde.

É extremamente importante para a segurança individual e pública que respeitem o plano, protegendo os vossos bebés com as vacinas a seguir descritas.

Que vacinas tomam os bebés à nascença:

A 1ª dose da vacina contra a hepatite B (VHB) é recebida à nascença.

Que vacinas tomam os bebés aos 2 meses de idade:

  • vacina hexavalente DTPaHibVIPVHB
    • 1ª dose contra a difteria, tétano e tosse convulsa (DTPa)
    • 1ª dose contra doença invasiva por Haemophilus influenzae tipo b (Hib)
    • 1ª dose contra a poliomielite (VIP)
    • 2ª dose da vacina contra a hepatite B (VHB)
  • 1ª dose da vacina conjugada contra infeções por Streptococcus pneumoniae de 13 serotipos (Pn13)

DTP – Efeitos secundários: 

1. Febre > 38ºC (frequente)

2. Irritabilidade (frequente) ou sonolência/moleza (frequente)

3. Anorexia (perda de apetite), perturbações do sono, náuseas, vómitos, diarreia e dor abdominal (frequente)

4. Dor, tumefação e vermelhidão no local da(s) injeção(ões) (frequente)

5. Outros (muito raros): convulsões, choque, reação anafilática, encefalopatia.

Que vacinas tomam os bebés aos 4 meses de idade:

  • 2ª dose de DTPa, Hib e VIP (vacina pentavalente DTPaHibVIP)
  • 2ª dose de Pn13

Que vacinas tomam os bebés aos 6 meses de idade:

  • 3ª dose de DTPa, Hib, VIP e VHB (vacina hexavalente DTPaHibVIPVHB)

Que vacinas tomam os bebés aos 12 meses de idade:

  • 3ª dose da Pn13
  • vacina contra a doença invasiva por Neisseria meningitidis C – MenC (dose única)
  • 1ª dose da vacina contra o sarampo, parotidite epidémica e rubéola (VASPR)

VASPR – Efeitos secundários: 

1. Febre (que pode ser elevada), irritabilidade e vómitos, entre 5 a 12 dias após a administração da vacina.

2. Artralgias (“dores articulares”) nas pequenas articulações, entre 7 a 21 dias após a administração da vacina.

3. Exantema morbiliforme (“borbulhas”, “manchas”) transitório (7-10 dias após a administração da vacina) ou adenomegalias (gânglios aumentados de volume), que desaparecem espontaneamente.

Que vacinas tomam os bebés aos 18 meses de idade:

  • vacina pentavalente DTPaHibVIP
  • 1º reforço de DTPa (4ª dose) e de VIP (4ª dose)
  • único reforço de Hib (4ª dose)

Falsas contraindicações associadas às vacinas: 

Alguns dos efeitos secundários normalmente associados à vacinação são falsos. Listámos abaixo todos eles:

  • Doenças benignas, tais como infeções das vias respiratórias superiores ou diarreias, com temperatura inferior a 38,5ºC;
  • Alergia, asma ou outras manifestações atípicas, febre dos fenos ou rinites alérgicas;
  • Antecedentes familiares de convulsões;
  • Tratamento com antibióticos, incluindo no decurso da terapêutica*;
  • Terapêutica com doses baixas de corticosteroides ou esteróides tópicos ou por via inalatória;
  • Dermatoses, eczemas ou infeções cutâneas localizadas;
  • Doenças crónicas cardíacas, pulmonares, renais ou hepáticas;
  • Doenças neurológicas não evolutivas, tais como paralisia cerebral e trissomia 21;
  • História de icterícia neo-natal;
  • Prematuridade, baixo peso de nascimento para a idade de gestação;
  • Má nutrição;
  • Aleitamento materno;
  • Gravidez na mãe ou em pessoas com contacto próximo;
  • História anterior de tosse convulsa, sarampo, parotidite, ou rubéola;
  • Menor período de incubação de doenças.

Contra-indicações às vacinas:

A estabelecer pelo pediatra e dependendo da toma, podem sim existir algumas contra-indicações às vacinas:

  • Febre superior a 39,5 ºC nas 48 horas após administração da vacina;
  • Choro inconsolável ou irritabilidade de 4 horas a 48 horas após administração da vacina;
  • Ocorrência de convulsões nas 72 horas após administração da vacina;
  • Disfonia;
  • Pieira.

No mesmo dia podem ser administradas todas as vacinas (apesar de algumas vacinas terem de ser administradas em locais diferentes).

Se as vacinas não forem administradas no mesmo dia, então sim, terão que ser respeitados intervalos de tempo variáveis de acordo com as vacinas específicas para a administração das vacinas subsequentes.

Quando existem efeitos secundários significativos com a DTP (locais e febre), pode pedir-se a substituição da DTP pela DTPa (acelular) que tem menos efeitos secundários. Contudo, as contraindicações verdadeiras para a DTP também o são para a DTPa.

As vacinas após serem compradas, devem ser administradas logo que possível. Caso contrário, devem ser conservadas preferencialmente nas prateleiras do meio do frigorífico (e não na porta do frigorífico!).

NÃO ESQUEÇA, A VACINAÇÃO É UM ATO DE AMOR E DE CIDADANIA!

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos.

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *