Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

O regresso do sarampo

Sarampo

É muito importante cumprirmos as vacinas nas alturas certas.

Temos um excelente Plano Nacional de Vacinação no nosso país e felizmente muitas doenças graves têm desaparecido graças a ele. E é muito importante cumprirmos as vacinas nas alturas certas – quem o garante é Sofia Serrano, médica e blogger, que partilha connosco este artigo sobre o regresso do Sarampo a Portugal.

Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do virus do sarampo no verão passado, ainda que considere que a vacinação continue a ser essencial. Esta doença, provocada por um virus, é altamente contagiosa, a sua evolução é habitualmente benigna, mas, nos raros casos muito graves, pode resultar em sequelas neurológicas ou mesmo morte.

A verdade é que desde o início de 2017 já temos 5 casos de sarampo diagnosticados em Portugal, quatro deles no algarve neste último mês. Sabe-se que um dos casos corresponde a um adulto que veio da Venezuela, já infetado, mas as restantes são crianças uma delas com 11 meses, ainda sem idade para ser vacinada.

Como se apanha sarampo?

Altamente contagioso, o sarampo é propagado por meio das secreções mucosas (como a saliva, por exemplo) de indivíduos doentes para outros não-imunizados (sem vacina). O período de incubação dura entre 10 e 14 dias. .

Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são:

  • Febre
  • Tosse persistente, conjuntivite

Após estes sintomas, geralmente há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. Além disso, pode causar infeção nos ouvidos, pneumonia, diarreia, convulsões e lesões no sistema nervoso.

O reaparecimento do sarampo é preocupante, porque era uma doença eliminada devido ao programa de vacinação, sobretudo das crianças – a vacina é administrada aos 12 meses. É muito importante darmos as vacinas aos nossos filhos,na altura certa, para evitar o reaparecimento destas doenças.