Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

Crianças e dentistas – mantenha o sorriso dos seus filhos

Criancas dentistas

10 perguntas que sempre quis pôr ao seu dentista sobre a higiene oral das suas crianças

Com a colaboração da Drª Rita Sousa Tavares, Médica Dentista 

 

1. Quando iniciar a Higiene Oral? Desde cedo. A higiene oral deve ser iniciada antes da erupção dos dentes. Assim a criança habitua-se e não reclamará quando os dentes nascerem.  Na higiene oral deve ser considerado o que vai à boca do bebé. Por exemplo as mãos de quem cuida do bebé devem ser lavadas com água e sabão após cada ida à casa de banho (principal forma de contágio dos “sapinhos”). O bebé deve ser habituado a que lhe mexam na boca. Assim conseguirá higienizar facilmente e poderá detectar qualquer novidade boa ou má.

2. Como começar? Inicialmente, com uma compressa suave molhada ou um dedo muito bem lavado ou uma dedeira pode passar em todo o rebordo da gengiva superior e inferior.  Quando começam a nascer os dentes poderá usar uma escova macia de cabeça pequena (existem várias marcas em Farmácias e grandes superfícies).

Numa primeira fase não é necessário usar pasta (habitua-se a criança à escovagem). Posteriormente junte pasta sem flúor ou se há cáries em casa uma com 250ppm de Flúor.  Quando os dentes estiverem quase todos erupcionados alguns ficam bem juntos aí deve ser utilizada a fita dentária – também chamado fio dental (há no mercado aplicadores descartáveis de fita muito práticos de usar).

3. Chucha: sim ou não e porquê?  A chucha é geralmente introduzida por vontade dos Pais, porque realmente acalma nas alturas mais necessárias, mas pode tornar-se uma faca de 2 gumes.  A força do marketing e a vontade de fazer o melhor pelo filho levam os Pais a comprar chuchas cada vez maiores. O facto de o bebé a perder constantemente faz com que sejam colocadas fraldas e fitas pesadas. Tudo junto altera a estrutura óssea e dentária da boca do bebé muitas vezes de forma difícil de corrigir.  Para bem do seu filho, evite dar-lhe chucha, e se der opte pelas chuchas mais pequenas (tamanho Zero).  Inicialmente a estimulação da saliva com a chucha até poderá prevenir cáries. Mas quando adoptam  a “chucha grande” a boca não fecha e sempre de boca aberta desidratam-se os dentes aumentando claramente o risco de Cárie. Nesta fase, os ossos podem estar tão alterados que as crianças nem pelo nariz conseguirão respirar em condições, necessitando ser seguidos pelo Ortodontista e Otorrinolaringolista.

4. As visitas ao dentista devem começar em que idade? A partir dos 2-3 anos, podendo os pais iniciar as consultas para controlo, prevenção, ensino das técnicas de higiene e habituação.

5. Haverá alimentos perigosos? Há alimentos que devido à quantidade de açúcares e suas características são realmente de evitar: gomas, cereais de pequeno-almoço, rebuçados… Petiscar é de evitar!!! E durante a noite nunca.  Tudo o que se cola aos dentes não é muito saudável.  Uma dieta equilibrada será sempre melhor.

6. Quando se devem lavar os dentes? Quem deve lavar os dentes da criança? De manhã e à noite sem dúvida. Após as refeições sempre que possível. Até aos 6 anos as crianças não têm destreza nem o cuidado necessário para uma boa higiene oral, por isso os dentes devem ser lavados por um adulto e até à adolescência devem ser vigiados.  Se à criança sempre foram bem escovados os dentes ela aprenderá per si.

7. Qual a importância dos dentes de leite? Os dentes de leite darão lugar aos dentes definitivos. A boa higiene e uma boca sem cáries é “meio-caminho” para uma boca saudável na idade adulta.  Os dentes de leite são úteis na mastigação e são também fundamentais na fala e para a estimulação do crescimento dos dentes definitivos além de manter o espaço necessário. Uma infecção num dente de leite pode provocar uma lesão grave no dente definitivo que substituirá.

8. Qual o melhor procedimento se se encontrar uma cárie nos dentes de leite? Sem dúvida marcar logo consulta no Dentista ou Odontopediatra

9. É verdade ou mito que os antibióticos estragam os dentes?

Mito! Os antibióticos não estragam os dentes, mas há várias situações relacionadas que podem ter esse efeito: a quantidade de açúcar que existe nos antibióticos (dá-se à noite e não se escovam os dentes), a forma como atacam as bactérias comensais (bactérias protectoras da boca), e naturalmente ninguém tem cabeça para escovar os dentes de uma criança doente.

10. Biberão ou Amamentação? A amamentação sendo a forma mais natural e económica de alimentar um bebé tem vantagens “inimagináveis”. A sucção da mama provoca a estimulação do crescimento natural do maxilar superior e consequentemente do inferior – por isso antigamente havia menos “dentes tortos”! Enquanto o biberão goteja, na mama a criança tem de esforçar-se dando assim o estímulo necessário ao desenvolvimento dos dentes. Finalmente é inegável que o leite materno é mais saudável.

Finalmente, que conselhos daria às famílias Pumpkin?

Três conselhos a não esquecer: – Escovar sempre e bem os dentes do bebé/criança.  – Nunca usar os mesmos talheres adulto-criança (nem para ver se a sopa está quente):  a cárie dentária é altamente contagiosa. – O Flúor é tóxico e pode causar lesões graves nos dentes definitivos ou lesões na criança bem mais graves. Use-o como um medicamento e sempre longe do alcance das crianças.

 

 

Rita Sousa Tavares - Médica Dentista

Este artigo foi da autoria de Rita Sousa Tavares, 37 anos, Médica Dentista direccionada a Crianças, Adolescentes e Grávidas.

Trabalha em Torres Vedras em regime Particular e de Beneficiência.

Em 2002, juntamente com outros colegas fundou a ASOT e assim abriu uma clinica de apoio à população carenciada. 

Até 2007 trabalhou em full-time,  até nascer a sua primeira filha.

Desde então divide-se entre ser mãe e ser dentista em part time.