Família > Crescer > Desenvolvimento

Fatores Psicomotores: praxia fina e sinais de alarme

motricidade fina

A Praxia ou Motricidade Fina é o sétimo fator psicomotor a ter em conta no desenvolvimento das crianças.

A motricidade fina, a capacidade em realizar movimentos mais precisos, com destreza e controlo manual, implica a conjugação de todos os factores psicomotores anteriores. A psicomotricista Beatriz Pereira do blog Mais Q’ Especial fala-nos agora da praxia fina.


Por exemplo, sabiam que alguns problemas de motricidade fina estão relacionados com hipertonicidade ou hipotonicidade (recordo que a tonicidade é o primeiro dos factores psicomotores)? Sabiam também que crianças com uma fraca noção do corpo têm dificuldades no manuseamento de objetos mais pequenos?

Por tudo isto quando se trabalha o desenvolvimento da motricidade fina tem de se promover mais que a coordenação manual. Há que trabalhar o tónus, a estabilidade postural, a coordenação de ambos os lados do corpo, a coordenação visuo-motora, o sistema sensorial, percepção visuoespacial… Ufa, bem mais que o movimento das mãos, certo?

A maturação deste factor psicomotor ocorre por volta dos 6 ou 7 anos e envolve mais do que agarrar o lápis.

Alguns sinais de alarme:

– Dificuldade em tamborilar os dedos;

– Dificuldades a utilizar a tesoura;

– Dificuldades em pintar;

– Dificuldades em abotoar, manusear talheres.

– Instabilidade postural;

– Excesso de força no manuseamento de objetos;

– Leveza no manuseamento de objetos que leva a que estejam sempre a cair, ou o traço seja fraco.

Conheça todos os fatores psicomotores:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *