Como minimizar a Ansiedade de Separação de pais e abobrinhas - Pumpkin.pt

Patrocinado por Logo NOS

Como minimizar a Ansiedade de Separação de pais e abobrinhas

ansiedade de separação

Trazemos algumas dicas para facilitar as despedidas – e para estarem sempre ligados aos que mais importam!

Please, don’t go. Don’t goooo, I’m begging you to stay. Lembram-se desta música que surgiu no início dos anos 80? A ansiedade de separação não ficou no século passado, com os KC & The Sunshine, e é muito comum nas crianças pequenas.

No entanto, a separação, principalmente quando supõe um ganho de autonomia nas abobrinhas um pouco mais crescidas, pode ser difícil também para os pais, que têm que gerir a preocupação e as saudades da forma mais equilibrada possível. Eles ganham asas, a vida acontece, e é aceitar ou chorar (ou ambas).

Na verdade, um dos ensinamentos mais importantes que podemos partilhar com os nossos filhos é o da responsabilidade, porque ao fazê-lo estamos também a desenvolver a sua segurança nas próprias capacidades, além de uma relação familiar mais forte e baseada na confiança mútua.

Partilhamos, com o apoio NOS – que acaba de lançar um localizador que vos vai deixar muito mais descansados -, alguns conselhos e dicas para que a separação não custe a ninguém. Muito, pelo menos.

1. So long, farewell, we need to say goodbye…

Vamos tentar encontrar um meio termo: não faz sentido deixá-los a chorar, claro, mas é boa ideia evitar despedidas prolongadas, beijinho para cá, abraço para lá, vá, não chores, a mamã já vem, mais um abraço, colo, e de repente quando vemos estamos há 20 minutos à porta da escola e nada.

Estas despedidas dignas de aeroporto criam confusão e insegurança nas crianças, que sabem ler os sinais de perturbação dos pais, ficando com a sensação de que eles também não o querem deixar ali.

2. Dar um passo atrás para dar dois à frente

Principalmente no caso das crianças mais pequenas, e nos primeiros dias de adaptação, é importante ter um Plano B. A ideia não é tanto ceder ao primeiro choro, mas evitar que a situação seja traumática para a criança.

Tenham, por isso, algum jogo de cintura para, nos primeiros tempos, conseguir ir buscá-los mais cedo, ou tirar mesmo alguns dias de férias para do longe se fazer perto.

3. Liguem-se a tudo e todos

Conforto para os pais e para as abobrinhas

A NOS tem uma novidade que vos vai deixar muito mais descansados: é o NOS IoT, um localizador que permite saber a localização do que vos é mais querido a partir dos vossos smartphones, basta fixá-lo e acompanhar na app.

Por isso, o IoT da NOS vai transformar a vossa vida e ajudar, em muito, a gerir a ansiedade de pais e abobrinhas: já podem ficar ligados aos vossos filhos, mesmo longe!

Como? Basta fixar o dispositivo na criança (como na mochila, estojo ou casaco) e acompanhar os seus passos na app Movetrack. Podem ter acesso a informação de diferentes formas: em tempo real, de 3 em 3 minutos, ou apenas quando requerido.

A ideia não é controlar a criança a todos os momentos, mas sim garantir o seu bem-estar: as crianças a ganhar autonomia têm a segurança de que os pais as estão a acompanhar, e os pais sabem que serão avisados caso algo aconteça.

Esta proximidade é ainda mais importante com as crianças entre os 6 e os 10 anos, que ainda não possuem telemóvel, mas que já vão a pé ou de transportes para a escola e atividades extracurriculares.

Podem também definir uma zona de segurança e recebem uma notificação se a abobrinha sair do perímetro estabelecido – pode ser o recinto escolar, o percurso até à paragem de autocarro, ou o trajeto escola-casa, por exemplo.

Preços e autonomia imbatíveis

A autonomia do dispositivo, de 4 a 6 dias, é perfeita para a semana escolar. Essa é, aliás, uma das grandes vantagens do serviço loT da NOS, cuja duração da bateria é superior à de outros trackers semelhantes, disponibilizados no mercado nacional.

O localizador tem o custo de 39,99€ e a oferta de três meses de mensalidade. Após este período, será cobrado um valor de 2,99€ mensais (sem fidelizarão associada). Este preço competitivo retira aos pais a necessidade imediata de oferecer um smartphone a crianças tão pequenas.

O localizador NOS IoT tem também outra vantagem: não temos de estar próximos geograficamente da criança para receber os dados, ao contrário do que acontece com os dispositivos que utilizam a tecnologia bluetooth. Na verdade, podemos acompanhar as nossas crianças estando nós, ou eles, em qualquer ponto da União Europeia.

pack IoT NOS

A experiência é intuitiva e muito rápida, já que a Caixa já traz tudo. À venda nas lojas NOS físicas e online, podem encontrar o localizador também noutros espaços, como a Zippy, a Worten ou a FNAC.

E quem diz crianças diz animais domésticos e seniores com falta de autonomia, porque tanto os nossos bichinhos como os avós são importantes para a família e faz sentido garantir que estão todos, sempre, bem.

A NOS não guarda informação relativa aos dados, sendo apenas provedores da conectividade à internet.

4. ‘Tou, sim?

ansiedade de separação telefonema

Uma chamada por dia não sabe o bem que lhe fazia! Uma…

Os telefonemas (com ou sem vídeo) são uma boa forma dos pais se manterem perto, mesmo à distância, e se sentirem mais descansados.

De qualquer forma, não devemos fazer um “massacre”, principalmente às crianças mais velhas, e ligar-lhes apenas pontualmente, por exemplo durante a hora de almoço.

Por outro lado, é importante perceber que muitas crianças e pré-adolescentes não gostam de falar ao telefone, principalmente se estiverem entretidas, pelo que é preciso respeitar essa vontade.

Com os mais velhinhos podem, por exemplo, trocar mensagens, principalmente em caso de imprevistos, tipo “mãe, a professora faltou, podes vir buscar-me?”.

5. Quem te avisa bom pai é

As crianças gostam de previsibilidade e funcionam muito bem com rotinas precisamente por isso: porque antecipam o próximo passo.

Por isso, faz sentido conversar com as abobrinhas e explicar-lhes, dentro do seu limite de entendimento, que haverá uma separação por algumas horas/momentos/dias, mas que à tarde/noite/amanhã já estarão juntos.

“Olha, amor, amanhã vais para a escolinha, onde há muitos meninos para brincar, e uma amiga mais crescida que vai tomar conta de todos vocês, a mamã e o papá vão trabalhar, e depois vimos buscar-te”. Algo assim, simples, serve perfeitamente.

Também é importante cumprir a promessa, para que a criança mantenha a confiança e a segurança e não sinta que lhe estão a falhar no compromisso assumido. Quando as crianças percebem que este enunciado é de facto cumprido diariamente, os medos desaparecem.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *