Descubram traduções diferentes para os nutrientes que todos conhecemos - Pumpkin.pt

Descubram traduções diferentes para os nutrientes que todos conhecemos

Descubram traduções diferentes para os nutrientes que todos conhecemos

A tradução habitalmente feita de conceitos como proteínas, ómegas e cálcio pode ser revista. A Aliança Animal convida-nos a fazer outras traduções.

A Catarina Sanches, da Aliança Animal, faz e promove uma alimentação familiar sem proteína animal. É mãe do pequeno Lucas, um bebé também vegano, saudável e muito feliz!

Neste artigo, fala-nos da tradução habitalmente feita de conceitos como proteínas, ómegas e cálcio e convida-nos a fazer outras traduções! Toca a ler e a partilhar!

Assinala-se, no dia 30 de setembro, o Dia Internacional da Tradução.

Um dia criado pela Federação Internacional de Tradutores para celebrar e promover a profissão de tradutor. E o que se entende por tradutor? Uma pessoa que tenta aproximar as pessoas, ao quebrar as barreiras (no caso, linguísticas) que as separam.

Não nos interpretem mal. Sabemos que, de tradutores, não temos nada. No entanto, movidos pela nossa vontade em quebrar barreiras, resolvemos criar uma espécie de (Des)Dicionário da língua da alimentação, com três traduções (nada) aleatórias. Vamos a isso?

Proteína

Tradução mais comumente utilizada: Carne ou Peixe

(Des)Tradução: A proteína não é um ingrediente, mas antes um nutriente vital. A razão pela qual as fontes de proteína animal são confundidas com o próprio nutriente é porque estas são fontes ‘completas’ de proteína. E isto significa o quê? Que são compostas por todos os aminoácidos essenciais (apesar de em quantidades diferentes), o que resulta numa (se quisermos colocar desta forma) forma prática de ingerir proteína.

Agora vamos a um facto talvez menos conhecido (ou devidamente equacionado): a razão pela qual utilizamos (e confundimos) estas fontes de proteína com fontes únicas é porque os seus aminoácidos pertenciam aos músculos, células e fibras dos animais a que foram ‘retirados.’ Colocado desta forma, não é estranho que escolhamos retirar a outros seres vivos aquilo de que o nosso organismo precisa, se existem outras formas para o fazermos?

A verdade é que também existem fontes de proteína vegetais. A razão pela qual estas não são tão comumente confundidas com o nutriente em si é porque estas não são, na sua maioria, completas. Por este motivo, obrigam a uma maior criatividade na hora de desenhar a ementa semanal da família, já que temos de ser mais inventivos e procurar colocar maior diversidade no prato. Podem ver onde podem ir buscar a proteína, outro artigo da Aliança Animal.

Ómegas, as gorduras “do bem”

Tradução mais comumente utilizada: Peixe

(Des)Tradução: Os ómegas são ácidos gordos essenciais e são ‘gorduras’ fundamentais para que tenhamos uma alimentação equilibrada. Estes óleos mágicos existem, não só nos peixes, como também nas algas (ou não partilhassem estes o mesmo ambiente!), em muitas sementes e outras tantas oleaginosas.

As nozes, as sementes de linhaça, chia, cânhamo e todos os seus óleos são excelentes fontes destes nutrientes, muito embora nem sempre sejam mencionadas quando o tema são os ómegas. Saibam mais sobre que ómegas existem e onde encontrá-los no artigo da Aliança Animal sobre o tema.

Cálcio

Tradução mais comumente utilizada: Leite

(Des)Tradução: O cálcio é um nutriente essencial na nossa alimentação e nós, Humanos, só somos capazes de absorver uma pequena parte daquele que se encontra no leite da Vaca. Então, por que não escolhemos fontes dais quais o nosso corpo é capaz de retirar o todo necessário? Desde vegetais escuros, a frutos secos e também a sementes: as fontes vegetais são inesgotáveis e todas muito aproveitáveis!

Por exemplo brócolos, couve-galega, espinafre, nozes e amêndoas são apenas alguns exemplos de alimentos de origem vegetal que fornecem cálcio de boa biodisponibilidade (o que significa que conseguimos facilmente absorver o cálcio presente na sua composição) e que podemos consumir livremente sem quaisquer contraindicações, dado que não foram produzidos pela Natureza para alimentar um animal com necessidades nutricionais completamente diferentes das nossas. Podem conhecer outros alimentos que fornecem cálcio no artigo da Aliança Animal sobre este tema.

Vamos (re)aprender um último conceito?

Experimentar

Tradução mais comumente utilizada: Experimentar algo novo.

(Des)Tradução: Desta vez, não há. O convite é mesmo para que sejamos capazes de desconstruir o nosso vocabulário de alimentês e de aprender as muitas (e novas) traduções que existem nas sementes, oleaginosas, frutas e vegetais!

Porque uma vida mais rica em a-b-cês pode ser também muito mais saudável em tantos não-sei-quês! J

Bom apetite, tradutores! 

Juntem-se ao Desafio Vegetariano da Aliança Animal!

Podem acompanhar o trabalho da Aliança Animal no site, Facebook e Instagram.

Se quiserem receber receitas 100% vegetais e todo o apoio, inscrevam-se em https://desafiovegetariano.com – É simples, é grátis, e muito saboroso!

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<