Escolas > Notícias para escolas > Passatempos e iniciativas

A Academia de Código_Júnior abre vagas gratuitas para as escolas poderem ensinar a programar

Academia de Código Júnior

São 100.000 vagas para crianças do 1º e 2º ciclo!

Já estão abertas as inscrições para o Projeto <Aprende a Programar> , uma iniciativa da <Academia de Código Júnior> , com o apoio da Direção-Geral de Educação (DGE) que oferece a 100.000 crianças do 1º ao 6º ano a possibilidade de aprenderem programação e abraçarem uma aventura digital que os vai levar de utilizadores a criadores. As escolas interessadas em ter Ciências da Computação na sua oferta curricular devem candidatar-se até 7 de outubro. O projeto está desenhado para que qualquer professor possa ensinar a programar.

As escolas que se propuserem ao programa têm que estar equipadas com computadores e acesso à internet (um computador pode servir para até 2 alunos). Os professores terão formação online de 25 horas, acreditada pela Associação Nacional de Professores de Informática (ANPRI), para estarem preparados para acompanhar os estudantes neste desafio que os levará a familiarizar-se com o código. As inscrições são feitas até dia 7 de outubro, sendo que à data já estão preenchidos mais de 45.000 lugares.

Combater o insucesso escolar e preparar as crianças para a sociedade digital

blanc plataforma

A missão passa por preparar as crianças para uma sociedade digital, combater o insucesso escolar, desenvolver o pensamento computacional, raciocínio lógico e a capacidade de “problem solving” com a introdução às Ciências da Computação.

O programa está dividido numa componente online com vídeos, jogos e exercícios de programação – através da plataforma Blanc – e outra offline com jogos interativos. Desta forma as crianças passam de consumidoras de tecnologia para criadoras de tecnologia.

A plataforma Blanc aparece como ferramenta de inclusão na sala de aula como ilustra este vídeo com testemunhos reais. “Descobrimos que várias escolas e colégios usaram o nosso software para envolver crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE) com o resto dos alunos dentro da sala de aula.

 

O facto dos alunos se poderem ligar à plataforma em equipas para resolver os exercícios, fez com que crianças que de outra maneira não conseguiriam participar no ritmo da aula, participassem e ultrapassassem expectativas.” diz João Montenegro Head of Product da plataforma Blanc, da .

Todo o conteúdo lecionado na plataforma anda a par com o programa das disciplinas lecionadas e vai ainda de encontro com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, contribuindo para o progresso dos alunos enquanto cidadãos responsáveis – temas como a Tecnologia, Energias Renováveis, Preservação do Meio Ambiente, Combate às Mudanças Climáticas, Cidades Sustentáveis e Igualdade de Género, por exemplo.

Todo o conteúdo lecionado na plataforma anda a par com o programa das disciplinas lecionadas e vai ainda de encontro com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, contribuindo para o progresso dos alunos enquanto cidadãos responsáveis – temas como a Tecnologia, Energias Renováveis, Preservação do Meio Ambiente, Combate às Mudanças Climáticas, Cidades Sustentáveis e Igualdade de Género, por exemplo.

Como participar?

O Projeto é totalmente gratuito para os estabelecimentos de ensino públicos e privados de Portugal Continental à exceção da área metropolitana de Lisboa, Algarve e escolas dos Arquipélagos da Madeira e dos Açores, sendo que estas podem incentivar as Autarquias locais a aderirem.

Para mais informações consultar o folheto informativo, o site da DGE, ou ainda enviar um e-mail para [email protected].

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *