Família > Sãos e salvos > Ambiente e Natureza

12 meses a caminho do #zerowaste

zerowaste

12 ideias (1 por mês) para reduzir o lixo/plástico que usamos.

O que é o movimento Zero Waste? Ler aqui em inglês e em português.

Se já seguem o Ervilhas&Cenouras ou o Instagram da Susana há algum tempo, com certeza que já se aperceberam que estamos a falar de uma mãe com uma forte preocupação ambiental. Desta vez, traz-nos dicas para adoptar um estilo de vida mais preocupado com o ambiente e os outros, apostando na redução do lixo que produzimos para melhor vivermos.

O mais importante que se pode fazer para preservar o planeta é deixar de consumir produtos de origem animal. Seja no consumo de água, de energia, poluição, destruição da Amazónia, emissão de gases de efeito de estufa, tudo, a criação de animais para abate e derivados é sempre o problema número 1. (link para o site do Cowspiracy, que por sua vez tem os links todos para as agências ambientais, energéticas, etc)

Para além de sermos uma família vegana, reciclamos, usamos sacos reutilizáveis, o Simão usa fraldas de pano ou descartáveis biodegradáveis, eu uso um copo menstrual, entre muitas outras coisas. No entanto, há algumas coisas que eu gostava de mudar nos nossos hábitos de consumo. Lembrei-me então de mudar uma coisa por mês durante este ano. Se podia fazer mais de uma vez? Provavelmente. Podia ir  comprar online uma série de coisas reutilizáveis/biodegradáveis e começar a usar já, mas garanto-vos que não ia durar porque são coisas que não se compram ali no Mini-preço (algumas requerem algum planeamento e compra online) e que é preciso cimentar bem um hábito antes de passarmos ao próximo. Portanto, uma mudança por mês, todos os meses, até ao fim do ano e vamos ver como corre.

JANEIRO – Sacos para legumes e fruta

A primeira mudança do ano já está feita: comprámos uns sacos em rede, muito leves, para pesar as frutas e legumes no supermercado. Até agora, as coisas grandes e únicas (tipo uma courgete, uma meloa, etc) levavam com a etiqueta directamente na casca; as mais pequenas já tinham de ir para dentro de uma saco de plástico. Quando ia à frutaria aqui do bairro levava um de pano onde punha tudo e depois quando chegava à caixa tirava do saco, a caixeira pesava e eu voltava a pôr no saco. As funcionárias não gostavam particularmente desta manobra porque demorava mais uns segundos e dava mais trabalho que pegar num saco já fechado, mas temos pena, o petróleo não cai do céu e o que faço é para o bem do planeta de todos. Mas agora já temos o drama resolvido com uns sacos todos catitas.

Que sacos comprar? Nós optámos por estes.

FEVEREIRO – Panos absorventes

Há já algum tempo que deixámos de usar esponjas da loiça (eu fiz uns quadrados em crochet com textura) mas ainda usamos aqueles panos absorventes para limpar as bancadas e o fogão. Estou a ponderar a melhor maneira de substituí-los e acho que vou comprar uma toalha grande e felpuda e cortar quadrados.

MARÇO – Escovas de dentes

Esta é fácil: escovas de dentes em bambu! As cerdas são em plástico, ok, mas com os cabos em bambu é uma melhoria bastante significativa. Ainda não decidi quais comprar, mas já vi em vários sítios: na Sapato Verde, no Centro Vegetariano (e para crianças), em supermercados biológicos, etc.

ABRIL – Lenços

Eu espirro e assoo-me com alguma frequência graças à minha alergia a tudo o que mexe (curiosamente, não a gatos). A ideia de usar lenços de pano ainda me faz alguma comichão mas de facto não faz sentido usar tanto papel para limpar ranho. Lenços em algodão ainda se compram em muitas lojas de bairro e online.  Tenciono eliminar o uso de lenços de papel completamente dentro de casa e espero reduzir bastante fora de casa (mas não vou andar o dia inteiro com a mala cheia de lenços com ranho).

MAIO – Cotonetes

Não usamos muito, preferimos o método mais higiénico e seguro de usar um gancho de metal para tirar o excesso de cera. Sim, um gancho, daqueles dos carrapitos. Se quiserem ir comprar um instrumento específico (que há), força, mas é um desperdício de dinheiro. Ainda assim, às vezes uso cotonetes em algumas situações (hello, eyeliner) e acho que é uma substituição bastante fácil de se fazer. Vamos passar a usar estes.

JUNHO – Lâmina 

O meu marido tem barba e eu uso maioritariamente máquina depilatória, mas acabamos sempre por usar de lâminas descartáveis ocasionalmente, seja para acertar a barba ou para uma depilação à pressa. Já vi que a drogaria aqui da zona vende lâminas daquelas em que o cabo é sempre o mesmo (em metal) e substitui-se a lâmina.

JULHO – Shampoo

Se calhar é um bocado difícil de explicar a minha dificuldade com shampoo sem me conhecerem pessoalmente. Eu tenho muito cabelo. Em comprimento, em grossura dos fios e em quantidade por cm2 de couro cabeludo. Lavar o meu cabelo é uma tarefa para 45 minutos debaixo do chuveiro com dificuldade em fazer o shampoo penetrar até ao couro cabeludo e ainda mais em enxaguar devidamente. Isso, a juntar ao facto de ser preciso meia embalagem de shampoo de cada vez e percebem porque é que é-me difícil investir num shampoo mais ecológico (i.e. mais caro). Antes do Simão nascer e durante anos, fazia barras de sabão e era isso que usava sem problemas. Agora não tenho tempo. Bom, comprei uma vez o shampoo sólido da Lush (o Godiva) que não vem embalado e gostei bastante. Não me vou propor a trocar de shampoo E amaciador de uma só vez porque acho que vai correr mal se tiver de passar 1h30 no chuveiro. Para valer a pena, tenho de ir directamente à Lush comprar e não encomendar online, porque não faz muito sentido comprar um shampoo porque não tem embalagem e depois vem pelos CTT numa caixa de cartão com fita-cola e montes de papeis e autocolantes.

AGOSTO – Discos desmaquilhantes

Ok, esta é fácil. Nem preciso de ir comprá-los, tenho umas t-shirts velhas pretas em algodão que iam para doar e faço uns discos de tamanhos diferentes para limpar o rímel e eyeliner ocasional. Já estou a prever manchas, daí ir para o tecido preto.

SETEMBRO – Sacos para sandes

Não necessariamente para sandes, mas estão a perceber a ideia. Daqueles sacos para levar umas bolachas na mala e tal. Até agora usamos uns de plástico que reutilizamos ao máximo, mas se forem em tecido de algodão ou linho duram muito mais e são mais ecológicos.

OUTUBRO – Pensos higiénicos

Eu uso (e adoro) copo menstrual. Mas por uma questão de segurança gosto sempre de usar um penso daqueles diário fininhos, não vá um movimento mais brusco quebrar o vácuo e haver acidentes. Suponho que não os há (portanto que o penso dura de facto o dia todo), são 2 pensos diários por mês (1 por dia de menstruação) o que não é quase nada, mas ainda assim acho que podia substituir facilmente por pensos de pano. Ando a dar uma vista de olhos nesta marca. Mas isto até me parece fácil de fazer, portanto se calhar até Outubro ponho as mãos à obra e faço meia dúzia.

NOVEMBRO – Esfregão da loiça

Como já mencionei acima, as esponjas da loiça foram substituídas por quadrados em crochet e os panos absorventes serão também. Para esfregões mais rijos, tipo aqueles verdes, estou a ponderar usar lufas, que são plantas, logo biodegradáveis e até dá para plantarmos nos próprios (aliás, as que temos usado no banho foram-nos dadas por alguém que as planta em casa).

DEZEMBRO – Sacos para congelar 

Este é o grande quebra-cabeças. Têm de ser impermeáveis e selarem bem. Têm de vir em vários tamanhos. Porque é que não usamos tupperwares? Porque o nosso congelador é minúsculos e os sacos “modelam-se” ao espaço disponível de uma maneira que as caixas não têm como. Em última análise se calhar esta questão nem se põe porque estamos a ponderar seriamente comprar um frigorifico novo com mais espaço de congelar e se assim for passamos a usar só caixas. Se alguém tiver alguma ideia, que partilhe!