Família > Crescer > Desenvolvimento

Vocês acreditam no Pai Natal?

vocês acreditam no pai natal

Foto de  Caleb Woods no Unsplash

Motivos para incentivar ou não a crença no Pai Natal.

Para a família da Susana, do blog A Espuma dos Dias, a resposta rápida e simples é: sim e não.


Eu não vejo necessidade ou vantagem ou fazer o meu filho acreditar que os presentes surgem, magicamente, pela chaminé, trazidos por alguém cuja única função é avaliar se os meninos os merecem ou não e distribuí-los de acordo com a sua lista.

Não?

Porquê?

*cof cof* para além de não ser verdade *cof cof*

1. Que sentido tem criar esquemas elaborados para esconder a proveniência dos brinquedos que os pequenos pediram aos pais mas que, magicamente, o Pai Natal sabe quais são? E a maior parte das famílias tem os presentes debaixo da árvore, conforme vão sendo comprados, o que torna a história na distribuição na véspera de Natal ainda mais rebuscada. Eu sou apologista da simplicidade e sei que os miúdos não são nada parvos e percebem quando lhes estamos a mentir. Não vou complicar a vida com mentiras elaboradas.

2. Se o Pai Natal faz os brinquedos e todo ele é magia e confettis, porque raio é que não haviam os miúdos de receber todos os presentes que querem?

3. Gratidão: a quem lhes oferece e a compreensão de que os presentes não surgem magicamente porque os meninos se portam bem. Muitos meninos portam-se bem e não têm presentes. Não vou entrar em grandes explicações acerca de crianças pobres com um miúdo de 3 anos, mas é uma boa idade para começar a perceber que é um privilégio e uma sorte ter presentes, não um dado adquirido da vida e que só os maus é que não têm coisas boas.

Sim?

Não vamos fingir que o mito do Pai Natal não está por todo o lado. O Simão já sabe que o Pai Natal “existe” e que quando vê bonecos dele aponta e diz que é o Pai Natal. Como é que lidamos com isso? Bom, o Pai Natal existe, certo? Existe nas histórias que lhe contamos (tipo esta), existe nos desenhos animados, existe tanto como a Patrulha Pata, como os dragões e Peter Rabbit.

Não há problema nenhum em existir um Pai Natal, desde que fique onde pertence, na imaginação. Portanto nós falamos do Pai Natal, contámos histórias e vemos filmes (como se fosse possível evitar…) sempre tendo em mente que são isso mesmo, histórias.

E a “Magia do Natal”?

O mito do Pai Natal faz parte daquilo a que se entende vulgarmente como a “Magia do Natal”, essencial para a época ser devidamente desfrutada pelos mais pequenos. Eu aprecio magia em qualquer época do ano e para a quadra natalícia temos mais que suficiente com o Quebra-Nozes, chocolate quente, decorar a árvore (este ano vamos tentar arranjar um pinheiro a sério, portanto esse vai ser outro momento “mágico”), fazer cartões para toda a gente, e muitas outras coisas. Aliás, nem ponho de parte a ideia de escrevermos ao Pai Natal, não a pedir presentes, mas a apresentar-mo-nos, só para recebemos a resposta que os CTT enviam em nome do Pai Natal.

E vocês? Acreditam no Pai Natal?

Tudo para um Natal feliz em família:

– Está à procura da prenda de Natal ideal? É para o menino e para a menina, para a mãe e o avô!

– Receitas de Natal deliciosas para uma mesa cheia de amor.

– Decoração de Natal: preparem a casa para a quadra mais mágica do ano!

– Postais de Natal: criem o vosso e enviem-no… por correio!

– Vivam o Natal em família: são muitas as atividades para fazer com os miúdos no mês de Dezembro

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *