Família > Crescer > Desenvolvimento

Os 3 principais motivos pelos quais uma criança não obedece

Desobediência

"Tu queres ver que eu vou ter de me chatear contigo?"

Se sente que lidar com o seu filho é um desafio, este é o artigo que precisa de ler, e ninguém melhor do que Magda Gomes Dias, do Mum’s the Boss, para nos dar dicas sobre como lidar com a desobediência das abobrinhas. 

Tu queres ver que eu vou ter de me chatear contigo?
Tu gostas mesmo de me ver do avesso, não gostas?
Mas vais começar? Ouve lá, quem é que manda aqui em casa?

Soa-te a familiar este tipo de frases? Custa-te a acreditar que ele insista nisto sistematicamente, não é? Ou, a esta altura, já achas que é ele a querer desafiar-te… Aqui entre nós, que ninguém nos ouve, achas mesmo que o teu filho fica acordado durante a noite toda a pensar numa forma de te pôr com os nervos em franja? Achas mesmo? Será que não haverá outros motivos? Continua a ler, o motivo pode estar escondido num destes 3 pontos.

1) Obediência ou Cooperação.
Desde o início deste blogue, em 2010, que tenho procurado fazer entender, a quem aqui vem, frequenta as formações, lê os livros ou faz coaching que o que nos interessa não é ter crianças obedientes e que façam tudo a ‘toque de caixa’ e antes crianças que cooperem connosco.

Naturalmente que para cooperar tem de haver boa vontade e eu só tenho boa vontade quando me sinto ligado à outra pessoa. Daí que para teres a obediência do teu filho – sem que ele questione seja o que for – tenhas apenas de gritar e fazer cara de mau com regularidade. Mas se quiseres cooperação tens de trabalhar a vossa relação, ou seja, o vínculo. E o que é o vínculo? O vínculo tem a ver com a qualidade da relação que vocês desenvolvem um com o outro. E do que depende? Da tua atenção, disponibilidade, paciência e até sentido de humor.

2) Agendas não sincronizadas.
Tu queres sair cedo de casa, não queres apanhar trânsito e queres estacionar perto da entrada da escola. Ele quer ficar a olhar para a manteiga a derreter na torrada dele. Têm, pois, agendas que precisam de ser sincronizadas. Em vez de lhe dizeres que ele é sempre o mesmo, em vez de estares sempre a chamar à atenção, vai acompanhando o teu filho nas tarefas da manhã (para isso precisas de estar pronta), diz-lhe porque insistes tanto em sair de casa a horas e… acorda um pouco mais cedo. Nem que para isso precisem (todos) de se deitarem mais cedo à noite.

3) Impulso.
Há uma coisa que todas as crianças pequenas têm: uma grande incapacidade em gerirem o seu impulso, ou seja a sua vontade. Vão da sala para o quarto de banho escovar os dentes mas, entretanto, viram que estava uma meia no chão e dirigiram-se para o quarto e repararam num livro que estava numa estante.

Eles sabiam o que iam fazer mas de repente distrairam-se e foram incapazes de se concentrarem na tarefa que iam fazer. Faz parte! É mesmo assim. E como é que fazes para os ajudares nisto? Vais com eles até ao quarto de banho, sobretudo naquelas fases em que eles se distraem mais. É só isso. Dá trabalho mas o retorno, no futuro é positivo e, no imediato, não tens uma criança que se perde dentro da própria casa.


Gostaste deste post? Gostavas de saber mais? Então o workshop “A questão da autoridade e da obediência”, dia 27 de Maio em Tavira é ideal. 

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.