Família > Crescer > Desenvolvimento

Os segredos para criar crianças felizes

segredos criar criancas felizes

Oficina de Psicologia partilhou com a Pumpkin 7 segredos para criar crianças felizes.


Vínculo

A ligação primária e mais crucial das crianças é o amor incondicional dos pais. É essencial que o demonstrem e que a criança o sinta.

Proporcionar-lhe oportunidades para formar ligações emocionais com outras pessoas é igualmente importante, uma vez que as relações sociais constituem um dos maiores contributos para a felicidade (segundo as conclusões das investigações sobre a temática dos últimos 50 anos).

Ao ajudar a criança a sentir-se conectada à família, outros cuidadores, amigos, ou até animais de estimação estará a promover o seu bem-estar emocional a longo prazo.

Além disso, o maior protetor contra o stresse emocional, pensamentos suicidas e comportamentos de risco (fumar, beber e consumir drogas) é o sentimento de conexão, ou seja, a criança sentir-se amada, compreendida e querida pelos seus, é a conclusão de uma investigação internacional que envolveu 90 000 adolescentes.

 

Não colocar a criança numa bolha

A melhor coisa que pode fazer pela felicidade a longo prazo do seu filho pode ser parar de tentar mantê-lo feliz a curto prazo. Parece contraditório, mas ao realizar todos os desejos momentâneos dele e ao tentar fazer com que esteja contente e satisfeito a toda a hora, não estará a prepará-lo para o mundo real.

Os pais que se sentem responsáveis pelas emoções dos seus filhos têm dificuldade em permitir-lhes experienciar emoções desagradáveis. Porém, é indispensável que as crianças aprendam a lidar com a frustração, irritação ou tristeza, por exemplo, e tentem resolver o que lhe estiver a causar sofrimento, desenvolvendo a capacidade de resiliência que vão necessitar para desafios futuros.

 

Consolidar a felicidade dos pais

Embora não possamos controlar a felicidade dos nossos filhos, somos responsáveis pela nossa. As crianças aprendem com os seus cuidadores e por isso uma das melhores coisas que pode fazer para o bem-estar emocional da criança é atender ao seu.

Tente organizar-se de forma a ter tempo para descansar, socializar, cuidar de si e investir na sua relação conjugal. A felicidade dos pais terá reflexos na da criança.

 

Elogiar de forma adequada

Os elogios são ótimos reforços positivos para a criança se sentir valorizada e motivada para melhorar as suas competências. Contudo, há pais que não elogiam e outros que apenas elogiam os resultados obtidos pelas crianças, ao invés do esforço aplicado.

Por exemplo, só elogiam se a criança marcar o golo decisivo para a vitória, ou alcançam a melhor nota da turma. Investigações demonstram que as crianças que são elogiadas principalmente para serem excelentes tornam-se intelectualmente tímidas, receando serem vistas como menos inteligentes e com menos valor se falharem.

Neste sentido, a solução será elogiar o esforço, a persistência, o trabalho duro, a criatividade, mais do que o resultado em si.

Assim, estará a reforçar a autoestima da criança, que anda de mãos dadas com a felicidade.

 

Permitir o sucesso e o fracasso

Um dos erros comuns dos pais é fazerem pelos filhos algo que eles são capazes de fazer. Embora possa ser difícil ver os filhos esforçarem-se arduamente e errarem, eles nunca conhecerão a sensação de mestria, a menos que lhes seja permitido arriscar e falhar.

Poucas são as habilidades aperfeiçoadas numa primeira tentativa, sendo necessária a prática para que as crianças alcancem o sucesso. Assim, desenvolvem a autoconfiança que lhes permite abordar os desafios vindouros com o entusiasmo e otimismo fundamentais para uma vida feliz.

 

Dar responsabilidades

A felicidade depende amplamente da sensação de que o que fazemos é importante e valioso para os outros.

Quanto mais os pais transmitirem à criança que ela está a ter uma contribuição relevante para a família, desde tenra idade, maior será a sensação de valor próprio, vínculo e confiança.

Dê tarefas à criança para que ela se sinta útil e nas quais possa aplicar os seus pontos fortes.

 

Praticar a gratidão

Os estudos científicos relacionam consistentemente a gratidão com bem-estar emocional.

Se pretende promover a gratidão do seu filho, peça a cada membro da família que partilhe em voz alta algo que se sinta grato nesse dia, poderá ser antes ou durante uma refeição, por exemplo. Tornando-se um ritual regular, estimulará emoções positivas que podem contribuir para felicidade duradoura.

 

 

 

Raquel Carvalho | Psicóloga Clínica – Mestrado Integrado em Psicologia

Equipa Mindkiddo – Oficina de Psicologia