Família > Crescer > Aprender

Saber estudar: planear e aplicar para melhor aprender

Saber estudar: planear aplicar melhor aprender

Estudar é essencial para o sucesso escolar do seu filho. O Cadin fala-nos de como pode ajudar o seu filho planear o estudo e a saber estudar. 

Antes de começar a tentar ajudar o seu filho a aprender a estudar, ajude-o primeiro a reflectir sobre ele próprio: como estuda? Quais as suas estratégias? O que faz bem e o que gostaria de melhorar? Depois desta auto-análise, conversem um pouco e definam por onde começar.

A gestão do espaço e do tempo são áreas nas quais os pais devem ser facilitadores, ou seja, devem ajudar o filho a escolher ou criar um local de estudo apropriado, onde ele consiga concentrar-se e estar confortável para estudar (não o suficiente para descansar). Em relação à gestão do tempo, deve-se pensar em planos anuais, trimestrais, semanais, diários e planos de estudo.

Deve-se incentivar agendar todos os eventos escolares e outros pertinentes num calendário, planear como usar o tempo para a preparação de testes ou trabalhos, organizar um horário semanal equilibrado, onde seja contemplado tempo para estudar, mas também para algumas actividades extra-escolares do agrado da criança e tempo de lazer ou descanso.

A rotina diária deve ser estabelecida, de forma a que se garanta que haja tempo para uma breve revisão da matéria dada nas aulas, a execução dos trabalhos para casa e eventualmente a preparação para os testes, mas não esquecendo de respeitar os ritmos biológicos e ter algum tempo da criança livre.

Na gestão do tempo deve-se tentar dividir as tarefas em termos de importância e de urgência, para definir as prioridades e planear a gestão das tarefas no tempo disponível que temos.

Em relação a planos de estudo, é importante definir metas realistas, que possam ser cumpridas; mais vale fazer sessões mais frequentes e breves de estudo, do que insistir em horas de estudo, das quais apenas nos primeiros 20 minutos o seu filho estava concentrado e motivado.

Nestas sessões deve também criar-se uma rotina, por exemplo seguindo os seguintes passos: P.O.J.E.C.O.

  • Prepara o espaço e os materiais (livros, lápis, calculadora, dicionário, ….)

  • Organiza o trabalho (revisão de aulas, TPC, preparação de testes. Começa pelas disciplinas de dificuldade mediana, passa para as mais difíceis e deixa para o fim as mais fáceis)

  • Junta os materiais e avança no trabalho

  • Estás a conseguir?

  • Confirma se está tudo certo

  • Óptimo, arruma o trabalho na mochila e vai descansar

Em relação a ajudar nos métodos de estudo, um aspecto que nunca se deve esquecer é que deve partilhar a sua experiência ou opinião, mas não deve forçar a utilização de determinadas técnicas, métodos ou estratégias, pois o que resultou consigo para estudar, pode não resultar com o seu filho.

Essa terá de ser uma descoberta a fazer, qual a melhor forma de memorizar, qual a melhor estratégia para acompanhar as aulas, para retirar as ideias mais importantes dos textos.

Cada pessoa tem competências e preferências diversificadas para estudar:

  • Organizar o caderno diário

Ajudar a reflectir sobre a melhor forma de ter um caderno diário bem apresentado e com informações pertinentes e que seja de fácil consulta pode ajudar muito para que o seu filho se habitue a utilizá-lo como um guia de estudo.

É importante aprender a tomar notas e em cada ano de escolaridade mais avançado, maior tem de ser a capacidade de distinguir o que é importante apontar e destacar. No caderno devem constar os sumários, os apontamentos da aula, as páginas do livro a que correspondem as matérias dadas e reservar uma área só para o agendamento de testes e trabalhos a entregar.

  • Identificar ideias principais

Distinguir a ideia principal das secundárias é fundamental, não só para focar a atenção e memória nos aspectos basilares, como ajuda na construção de bons resumos da matéria. Conseguir relacionar as ideias entre si, identificar ideias principais explícitas e implícitas é algo que facilita na compreensão profunda do material a estudar.

Distinguir entre tema e ideia principal, lembrando que a ideia principal deve ser uma frase na qual estejam as palavras-chave e com a qual todas as ideias secundárias se relacionam. Enquanto estiver a estudar com o seu filho nunca se esqueça de fornecer a direcção, mas não a resposta!

  • Sublinhar ideias nos textos

Não é preciso, nem deve, ser uma tarefa multicolor. Não disponibilize uma colecção colorida e divertida de canetas e marcadores, pois irão funcionar como fatores de distracção.

Ensine a sublinhar o principal, dando prioridade a definições, fórmulas, esquemas, termos técnicos e outros elementos que sejam a chave da ideia principal, e explique que podem ser usados vários tipos de sublinhado, consoante a importância da matéria ou a utilidade. Em paralelo ao sublinhar os textos, pode-se fomentar tomar pequenas anotações nas margens dos textos.

notasEstudo

 

  • Sistematizar a informação em esquemas e resumos

Eliminar, Substituir e Seleccionar, são os passos para se elaborar um resumo, ou seja, eliminar a informação redundante ou pouco importante, substituir um grupo de palavras por um termo genérico que as englobe e seleccionar a ideia principal.

Para a elaboração de resumos deve-se utilizar uma estratégia que contemple uma primeira abordagem com uma leitura global do texto/capítulo a estudar, pois não se deve começar a estudar sem primeiro ter uma ideia sobre o que vai ler, depois pode dividir-se o material em sub-seções, elaborando sub-títulos ou perguntas a serem respondidas, de seguida ler atentamente, seleccionar as palavras-chave e escrever por palavras suas um parágrafo que resuma a secção, posteriormente deve-se rever o resumo e verificar se tem toda a informação relevante e escrita de forma compreensível, por fim passa-se ao estudo desses resumos, recomendando-se a recitação, pois facilita o processo de memorização.

Uma estratégia interessante que pode utilizar é a 3Q: o Que sei sobre o tema; o que Quero saber e o Que aprendi. Para os esquemas, demonstre como pode utilizar vários tipos de esquemas de acordo com o tipo de informação, podem-se utilizar tabelas para comparar características de algo, utilizar diagramas para destacar aspectos comuns, pirâmides, ciclos, listagens, processos e relações, se tiver oportunidade de utilizar computador, no processador de texto encontra alguns modelos de esquemas pré-definidos que podem servir de modelo.

Um bom exercício para treinar a elaboração de esquemas e resumos é partir de um esquema para elaborar um resumo e fazer a situação inversa, a partir de um resumo elaborar um esquema. Os esquemas têm a vantagem de ser mais facilmente memorizados visualmente e facilitarem o estabelecimento de relações entre as informações.

  • Utilizar abreviaturas

A utilização de abreviaturas deve ser fomentada, pode-se exemplificar como criar abreviaturas e símbolos, demonstrando a sua utilidade ao poupar-se tempo quando se tomam notas e fazem apontamentos.

É algo que só é útil com muita prática, até ser automática a sua escrita e decifração. As abreviaturas têm de ter significado para quem as vai usar, ou seja, para o seu filho. Portanto não o force a utilizar algo que para ele seja difícil de decifrar, pois as notas e apontamentos são para ele estudar. Se tiver de escrever um trabalho ou algo para entregar a outra pessoa, aí sim, deve utilizar um código escrito compreensível por todos.

  • Estratégias de memorização

Antes de iniciar a memorização de informação é fundamental a sua compreensão, deve deixar claro ao seu filho que mais facilmente memorizamos e nos lembramos daquilo que compreendemos bem, do que de informação que não faça qualquer sentido. Basta experimentarem decorar duas listas de 20 palavras, uma com palavras sem qualquer relação entre si e outra com palavras que se relacionem de forma lógica.

Em qual das listas se recordam de mais palavras? A técnica habitualmente escolhida para memorizar é a repetição, mas não é a mais eficaz. Utilizar imagens mentais, é útil para matérias com informação disposta em imagens ou esquemas.

Recordar através de palavras-chave e de ideias encadeadas é uma técnica útil, mas a utilização de mnemónicas é sem dúvida uma das técnica mais eficazes, que pode consistir por exemplo em lembrar-se das letras iniciais formando uma palavra e que pode servir para fixar fórmulas, passos a seguir, listas de palavras.

Outras mnemónicas podem ser rimas e jogos, esta é habitualmente a forma mais fácil e motivadora de fixar, por exemplo os meses do ano ou a tabuada.

Saiba mais sobre como ensinar a estudar e como o seu filho se pode preparar e sobreviver com sucesso aos momentos de avaliação. 

Autora: Leonor Ribeiro – Técnica Superior Educação Especial e Reabilitação e Mestre em Educação Especial