Família > Crescer > Aprender

Como escolher e inscrever os seus filhos numa creche

Como escolher e inscrever os seus filhos numa creche

Creches, infantários, jardins de infância, berçários… quando somos pais pela primeira vez até os nomes são confusos e nem sabemos bem a que se referem. Sabemos sim que é dificil encontrar um sítio que reúna todas as condições para deixar os nossos maiores tesouros.

Como escolher uma creche para as abobrinhas?

Até aos 12 meses ou à aquisição da marcha os bebés ficam no berçário. Com uma lotação limitada pelo número de berços disponíveis, é um desafio para os pais encontrarem vagas e devem procurá-las o mais cedo possível – ainda durante a gravidez, idealmente.

O período para inscrições varia de instituição para instituição, mas muitos estabelecimentos recebem inscrições logo em Janeiro para o ano letivo seguinte – estejam atentos para não perderem a oportunidade de fazer a inscrição atempada.

Os bebés podem naturalmente entrar em qualquer altura do ano para berçário, desde que haja vaga.

Em termos de gestão, que determina o preço das mensalidades, podem optar por creches ou jardins de infância:

Públicos:

Geralmente a cargo de administração local (freguesia ou município), a administração central dá resposta essencialmente a nível de jardins-de-infância e a partir dos 4 anos,

Instituições Privadas de Solidariedade Social (IPSS):

É por exemplo o caso  das creches geridas por Paróquias e Santa Casa da Misericórdia, cujas mensalidades são geralmente proporcionais aos rendimentos do agregado familiar.

Privados:

Instituições com fins lucrativos.

Critérios a considerar na selecção de creches e infantários:

– Preço da mensalidade, inscrição, seguro.

– Actividades incluídasm como por exemplo musica, inglês, matemática, sessões de baby yoga, psicomotricidade, etc.

– Fraldas, toalhitas e cremes disponibilizados ou não.

– Equipamento necessário (exemplo: uniforme escolar, material didáctico).

– Alimentação fornecida – avaliem a variedade e a qualidade. Algumas creches seleccionam apenas alimentos biológicos, outras oferecem a possibilidade de escolher uma dieta ovolactovegetariana, outras são mais tradicionais. Percebam quais se adaptam às vossas necessidades.

– Disponibilidade para apoiar a manutenção do aleitamento materno, e alimentar os bebés com leite materno.

– Férias e períodos de fecho do estabelecimento.

– Horário normal de funcionamento e possibilidade de prolongamento – e custo associado.

– Idades incluídas: há creches que aceitam crianças só até aos 3 anos e jardins de infância que só aceitam crianças maiores de 3. Também existem estabelecimentos que recebem crianças dos 3 meses aos 18 anos. Uma vez mais, é uma questão de planear a médio prazo e perceberem quais as instituições que melhor respondem à vossa procura.

– Se há passeios, festas e outros eventos planeados durante o ano letivo.

– Acompanhamento psicológico das crianças e estabelecimento de planos de desenvolvimento pessoais.

– Apoio de terapeutas da fala, pediatras e outras valências relevantes.

– Opções pedagógicas (Movimento Escola Moderna, São João de Deus, Waldorf), religiosas (exemplo: Maristas) e internacionais (várias instituições promovem um ensino bilingue, outras promovem o ensino de inglês desde o berçário).

– Posição da instituição relativamente à inclusão social.

Como encontrar creches na sua área:

– Preparámos uma lista de estabelecimentos organizados por áreas da cidade de Lisboa, que esperamos ser util. Creches, jardins de infância e infantários na área de Lisboa

– Para o todo o país pode procurar na Carta Social em cada freguesia a oferta social para jovens e crianças, seleccionando creches.

– Recomendamos que visite cada instituição para avaliar pessoalmente as condições e conhecer os responsáveis. Se gostar, efetue pré inscrições (geralmente sem qualquer compromisso).

O que é comum apresentar aquando da matrícula:

– Cópias de documentos dos pais e da criança (Cartão do Cidadão ou Cartão de Identificação, Nº de utente do Serviço de Saúde e Cartão de Contribuinte).

– Cópia de boletim de vacinas atualizada.

– IRS dos pais (no caso das IPSS).

– Comprovativo de residência.

– Contactos dos pais e de outras pessoas autorizadas a levar ou trazer as crianças.

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *