Escolas > Notícias para escolas

Mindfulness na Escola

É urgente implementar algumas mudanças que amenizem as tensões diárias nas escolas.

Rita Carneiro e Sofia Coelho, que ministram regularmente workshops na Red Apple, explicam a importância de implementar técnicas Mindfulness na escola dos dias de hoje.

Numa escola contemporânea marcada pela sobrecarga dos programas curriculares, pela exigência na prestação das competências cognitivas , bem como pelo excesso de actividades complementares (sejam de carácter educativo ou lúdico) as crianças e jovens revelam cada vez mais o desgaste e desespero para corresponderem ao que lhes é solicitado. Por outro lado, os professores vêm-se com dificuldade em cumprir os seus deveres enquanto pedagogos, utilizando uma “ginástica” diária para cumprir com as burocracias inerentes à profissão.

A escola, como espelho da sociedade, sente-se neste momento exasperada.

É por isso urgente implementar algumas mudanças que amenizem as tensões diárias e contribuam para a construção de rotinas educativas que permitam a alunos e profissionais conviver de forma sã e positiva.

As crianças passam muito tempo na escola sentadas atrás das mesas e estão constantemente a pedir-lhes para ficarem quietas. Isso num momento em que são biologicamente programados para se mover, explorar e aventurar no mundo. Como tal, o movimento consciente é uma óptima maneira de libertar parte dessa energia. Além disso, o movimento atento oferece novos caminhos às crianças para aprofundar a sua compreensão e aplicação da atenção plena na vida diária.

As práticas mindfulness aplicadas ao contexto de escola revelam-se assim muito pertinentes e coadjuvantes daquilo que todos nós enquanto profissionais e pais gostaríamos de ver aplicado no sistema educativo.

Trata-se de introduzir pequenas rotinas, simples e eficientes, que promovem a atenção, estimulam a concentração e, acima de tudo, possibilitam que alunos e professores desenvolvam o estado de presença e serenidade perante as exigências do quotidiano.

A atenção plena não é mais do que mergulhar no momento e apreender a cada instante aquilo que é. Traduz-se na estruturação da aprendizagem (edificada em pilares coesos) bem como numa natural socialização assente em valores de convivência cívica.