Gravidez > Nascimento > Parto

Crónicas Duas para Um: O parto… à luz de um homem!

Crónicas Duas para Um: O parto... à luz de um homem!

Crónicas Duas para Um: O parto... à luz de um homem!

O David Miranda é pai da Benedita e escreve o “Duas para Um – Daddy Blog” num registo divertido, com os desabafos de um papá que de certezas, só a do amor que tem para dar. Este é o primeiro artigo que partilha com a Pumpkin: a sua visão sobre o parto! 

Ok, bem sei que as Mulheres passam uma vida a sonhar (ou a ter pesadelos) com o Dia D… O tipo de parto, o hospital, a roupa Dela, a roupa do bebé, as fraldas, chupetas e afins… Quando o momento chega, tudo está pronto e à porta de casa… Ótimo!

Connosco, homens, o parto encaixa na perfeição naquela nossa secção preferida do “quando acontecer, logo se vê…”. Sofrer por antecipação é coisa que não existe no nosso dicionário e por isso quando realmente recebemos a notícia… O terror começa!

Não fazendo a mínima ideia do que nos espera, o que fazemos? Recorremos ao Youtube para perceber o porquê de tanto alarido. Conclusão: Enorme Erro!

Meu Deus! O que é isto?!
Como é que alguém no seu perfeito juízo se submete voluntariamente a tamanha tortura?!

Uma coisa vos garanto, se fosse eu, filhos só adoptados!

Desde os penosos meses finais da gravidez, escolha da tortura (qual delas a pior…) ao inevitável e não menos terrífico pós parto, tudo seria demasiado para mim ou para qualquer outro Homem…

Durante anos, sempre que me perguntavam (o que entre Homens nunca vinha à conversa…) se planeava assistir ao parto. A resposta era simples: NUNCA! Todo aquele abre, fecha, cose, descose, puxa daqui, empurra dali, sempre me meteu imensa impressão… Dói-me o corpo todo sempre que vejo uma pequena ferida, quanto mais ver uma criatura a ser arrancada das entranhas de uma pessoa… Naaa… Fico lá fora a roer a unhas que é menos mau…

A verdade é que lá fui… e sabem que mais? Não me apercebi minimamente de todo o espetáculo do Tarantino que por ali se passava. Os olhos não conseguem enxergar nada que não seja a carinha da pequena, que durante tantos meses apenas pudemos ver em ecrãs minúsculos e com a qualidade da câmara semelhante a um velhinho Nokia…

Odeio cair no cliché, mas é mesmo verdade que quando os vemos, pegamos ou damos a mão, tudo passa a valer a pena. As noites mal dormidas (dela), as dores de costas (dela) as quebras de tensão (dela), os calores desenfreados (dela), e tudo mais (dela claro)…

Para nós homens a coisa é realmente fácil… Claro que temos de aturar o mau humor, claro que damos em doidos, claro que temos de fazer os favores todos, mas já imaginaram o tamanhão do “favor” que Elas nos fazem a nós?? Nunca na vida o conseguiremos pagar e sabem que mais? Elas voltariam (e voltam…) a fazê-lo novamente!

Sou o fã numero 1 das Mulheres, já o disse inúmeras vezes e sempre achei que nos davam 15 a 0 mas agora que sou Pai e, acima de tudo vi a minha cara metade ser Mãe, acho que 15 a 0 é pouco, muito pouco…

P.S. – Pensem o que quiserem, queixem-se o mais que puderem, mas uma coisa vos confesso, não imaginam o sexy que ficam para nós, grávidas. E as cicatrizes? Passam a ser a parte mais bela do vosso corpo…