Gravidez > Saúde > Sintomas da gravidez

Sintomas de gravidez: conheça os 9 mais comuns

Sintomas de gravidez

Muitos são os sintomas de gravidez que o corpo manifesta quando está grávida, mas nem todas as mulheres sentem o mesmo. Conheça-os no artigo!

Vários são os fatores que levam ao atraso da menstruação de uma mulher e que podem ser sintomas de gravidez. Entre eles, pode-se destacar o excesso de stress, a ansiedade e a desregulação hormonal. É verdade que nem sempre o atraso menstrual significa gravidez. Contudo, o cenário muda quando à falta de menstruação se juntam outros sintomas.

Sintomas de gravidez

Os primeiros sinais são muito subtis, conseguindo apenas detetá-los se estiver muito atenta ao seu corpo e à forma como este normalmente funciona.

1. Corrimento vaginal arosado

Quando o óvulo é fecundado, é normal que tenha um pouco de corrimento cor-de-rosa, que, na verdade, nada mais é do que o corrimento normal da mulher, mas acompanhado de vestígios de sangue. Assim que o embrião chega ao útero “cola-se” na parede (a chamada implementação do embrião no útero), o que pode causar um ligeiro sangramento uterino que se manifesta na forma de sangramento vaginal.

Esta perda ligeira de sangue acontece no primeiro trimestre da gravidez que pode durar 3 dias e originar ainda algumas cólicas. Tudo isto leva muitas mulheres a acreditar que este acontecimento se trata de uma menstruação irregular e não do primeiro sinal do início de uma gravidez.

É, no entanto, importante referir que nem todas as mulheres têm este sintoma.

2. Atraso menstrual

O atraso menstrual é o sintoma mais comum. É nesta altura que a mulher começa a pensar se terá havido algum deslize ou a cruzar os dedos para que tudo dê certo, conforme as circunstâncias do casal.

Normalmente, é por volta desta altura que a maioria das mulheres faz o teste de gravidez.

Mas calma! Há muitas mulheres que têm ciclos menstruais irregulares e que apresentam períodos nos quais não ovulam, o que faz com que tenham um intervalo de 1 a 2 meses entre as suas menstruações. Além disso, existem vários outros motivos pelos quais pode não estar a menstruar, como o excesso de stress, a ansiedade, infeções, mudança de método concecional, a espera ansiosa pela chegada da menstruação quando sabe que teve comportamentos de risco, entre muitas outras.

Neste caso, o aconselhável será esperar algumas semanas e tentar relaxar. Se verificar que continua na ausência de menstruação marque uma consulta e faça um teste de gravidez.

3. Cólicas e inchaço abdominal

Depois do óvulo ser fecundado, verifica-se um aumento de fluxo sanguíneo na região pélvica e as hormonas femininas começam o seu trabalho de preservação do embrião, o que pode resultar num certo desconforto abdominal semelhante à cólica menstrual.

Também nesta fase pode acontecer uma pequena perda de sangue.

Já o inchaço é causado pelas alterações pélvicas que acontecem no corpo da mulher – o aumento do fluxo sanguíneo e adaptação do útero ao crescimento do seu novo habitante. Este sintoma é recorrente nas mulheres e manifesta-se por volta da 5.ª semana de gestação (o que não quer dizer que não o possa sentir antes, porque, como já mencionámos, cada mulher é uma mulher e cada corpo reage de forma diferente).

4. Dor e aumento dos seios

Sintomas de gravidez

Entre a quarta e a sexta semana de gestação (é variável) é visível o aumento dos seios.

Os seios ficam sensíveis, algo que, uma vez mais, também acontece no período pré-menstrual, mas com uma ligeira diferença – no caso da gravidez, os seios estão mais sensíveis por um maior período de tempo. Também os mamilos podem sofrer alterações, não só de cor – ficam ligeiramente mais escuros-, como de sensibilidade – ficam bastante mais sensíveis ao toque. O motivo para estas alterações é simples: a congregação de duas hormonas – o estrogénio, produzido pela placenta, e a prolactina, hormona produzida pela hipófise (glândula situada no cérebro responsável pela produção de várias hormonas).

Mas, passado pouco tempo (1 ou duas semanas), os seios começam também a crescer, resultado das alterações hormonais que acontecem no seu corpo, desenvolvendo partes do corpo essenciais para o desenvolvimento do bebé e também do seu crescimento. Neste caso, as glândulas mamárias são estimuladas para as preparar para o período de amamentação que chegará assim que o bebé nascer.

5. Enjoos e vómitos

sintomas de gravidez - enjoo

Os enjoos e os vómitos são os sintomas mais comuns na gravidez. Ocorrem por volta da 4.ª semana de gestação e costumam ser frequentes durante o primeiro trimestre.

No que toca a estes sintomas, há que ter alguma atenção, porque caso os enjoos e os vómitos sejam incessantes e não “permitam” que a mulher se alimente, isso pode ser um indicativo de estar a sofrer de uma condição chamada de Hiperemese gravídica. Caso assim o seja, é recomendável que se desloque de imediato a uma unidade hospitalar para ser vista por um profissional de saúde e determinar quais as precauções ou medidas a tomar. Este problema pode, nos casos mais graves, obrigar ao internamento da grávida e ao seu acompanhamento médico permanente.

6. Cansaço

Juntamente com os enjoos, chega o cansaço. Um cansaço desmedido, praticamente insuportável. Este sintoma resulta da ação da progesterona no seu organismo, cuja atividade é ainda mais intensa durante a gravidez.

Costuma ser mais evidente nas primeiras 12 semanas de gestação, enquanto o seu corpo adapta o seu metabolismo de forma a dar a energia necessária para o desenvolvimento do bebé.

Este cansaço é percetível quando a mulher começa a sentir que as tarefas que fazia anteriormente começam a tornar-se muito cansativas, chegando ao fim do dia sem qualquer réstia de energia ou a precisar de dormir mais do que as horas que habitualmente dormia para que o seu corpo reponha a energia que gastou.

7. Azia

sintomas de gravidez - enjoos

A azia também faz parte da lista dos sintomas. Se normalmente não costuma ter azia e de repente começou a senti-la com muita intensidade, é provável que seja indicativo de que está à espera de bebé. Contudo, é importante referir que, se sentir só azia, sem ser acompanhada de um qualquer outro sintoma, pode ser só o seu corpo a pedir que altere alguns hábitos alimentares.

Mas, se se confirmar que está à espera de bebé, fique a saber que a alimentação na gravidez tem um forte impacto sobre esse ardor que resulta do refluxo gástrico.

8. Aversão a cheiros fortes

É bastante comum logo no início da gravidez que a mulher tenha alguma sensibilidade – e até, aversão – a cheiros fortes, mesmo que sejam aparentemente agradáveis, como o perfume por exemplo. Após a inalação de um cheiro intenso, as grávidas podem mesmo vomitar. Além disso, como o olfato está alterado, algumas mulheres também podem sentir uma certa alteração no sabor da comida, originando enjoos.

9. Variações de humor

Logo nas primeiras semanas de gestação, a mulher poderá também sentir algumas variações de humor, sem uma causa aparente. Tal acontece devido às enormes alterações hormonais, decorrentes da gravidez que originam um desequilíbrio nos neurotransmissores do cérebro.

Preparem-se pais – é possível (muito, mas mesmo muito provável) que esta “sensibilidade extra” das vossas grávidas dure os nove meses! Muita calma, amor e compreensão é o que é necessário agora!

O importante nesta fase é não desesperar! Não tarda os enjoos e todos estes incómodos irão passar e irá poder sentir o seu bebé a mexer-se na sua barriga!

A Pumpkin sugere:

Os enjoos na gravidez são um dos sintomas mais comuns das futuras mamãs. Veja aqui o que fazer para os aliviar!

Muitos são os sintomas que a mulher experiencia durante a gravidez e a azia é um deles. Saiba do que se trata, porque surge e quais os truques para a combater.

Vomitar mais de 40 vezes por dia parece-nos impossível, mas é uma das consequências desta complicação associada à gravidez.

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *