Menu
Gravidez > Saúde > Gravidez em forma

Dicas para as grávidas: 8 Regras para uma Gravidez Saudável

Dicas as grávidas: 8 Regras uma Gravidez Saudável

A autora do blog Café, Canela e Chocolate partilha com a Pumpkin as 8 Regras para uma Gravidez Saudável.

A gravidez é uma altura óptima para melhorarmos o nosso estilo de vida e adquirir bons hábitos a todos os níveis, como o exercício físico regular e a alimentação saudável.

A motivação de sermos as responsáveis pelo desenvolvimento saudável do nosso filho faz com que fiquemos mais alerta para uma alimentação saudável e que tenhamos cuidados redobrados relativamente a alimentos prejudiciais à saúde – nossa e do feto.

Há sempre muitas dúvidas relativamente ao que se pode ou não comer durante a gravidez. Pode-se comer de tudo? Há restrições alimentares? Que quantidade devemos comer?

Estas são dúvidas que nos surgem logo nas primeiras semanas de gravidez.

O aumento de peso aconselhado é entre 9 a 12 kg, por isso há que moderar a alimentação – longe vai o tempo em que se achava que uma grávida tinha de “comer por dois”. Claro que isto pode variar: se estivermos a falar de uma grávida que já tenha excesso de peso antes de engravidar poderá não aumentar tanto, e as com baixo peso poderão aumentar mais, ou as grávidas de gémeos.

É importante esclarecer com o médico as dúvidas que vão surgindo relativamente à alimentação, mas no geral, os princípios básicos são estes:

1. Uma alimentação variada é fundamental – ou seja, rica em proteínas e vitaminas, com gorduras e hidratos de carbono qb. Sopas e legumes, carne e peixe são essenciais. A fruta não deve ser ingerida em excesso porque tem muito açúcar (2 a 3 peças por dia são suficientes).

2. Muita água – a água ajuda a tudo na gravidez! É importante ingerir cerca de 2 litros de água por dia.

3. Não ficar mais do que 2-3 horas sem comer e fazer pelo menos 5 refeições por dia.

4. Atenção à toxoplasmose – quem não está imune tem de ter cuidados redobrados: não consumir carne mal passada, não comer vegetais crus e fruta fora de casa, sem ter a certeza que são muito bem lavados, lavar muito bem as mãos depois de mexer em gatos ou terra e usar luvas quando manipulamos carne crua.

5. Atenção ao sushi – o peixe cru pode ter bactérias e outros microorganismos prejudiciais ao feto, já para não falar nos vegetais a acompanhar, que podem transmitir toxoplasmose. Uma opção pode ser o sushi para grávidas, que já existe em vários restaurantes e é cozinhado, e portanto, seguro.

6. Atenção a queijos e enchidos – a Listeria é um agente infeccioso, que cresce particularmente nos queijos moles, e que provoca na grávida e feto uma infecção de gravidade variável. É fundamental confirmar se é tudo pasteurizado e certificado e não abusar deste tipo de alimentos. Quanto aos enchidos, só cozinhados.

7. Mariscos, eventualmente só acabados de fazer e bem cozinhados (com origem de confiança). E ovos com clara e gema bem passadas – cuidado com as salmonelas.

8. Não consumir álcool ou tabaco. A gravidez é uma excelente altura para deixar de vez o tabaco, porque sabemos que influencia negativamente a saúde da mãe, do feto e aumenta as complicações na gravidez, incluindo o descolamento de placenta e a morte fetal. O álcool também causa importantes malformações a nível fetal e deve ser evitado. Dois cafés por dia são permitidos, mas atenção a colas, chás e chocolates em excesso que também contêm cafeína. Os adoçantes também são desaconselhados a grávidas.

Sabemos hoje que a alimentação durante a gravidez vai influenciar a saúde futura dos nossos filhos, para além da nossa, por isso, a alimentação saudável deve ser um objectivo a ter em mente – antes, durante e depois da gravidez.