Menu
Gravidez > Saúde > Consultas e exames

Dicas para as grávidas: Para que serve o Harmony, amniocentese e outros testes pré-natais?

Dicas as grávidas: serve Harmony, amniocentese outros testes pré-natais?

Para que serve o Harmony, amniocentese e outros testes pré-natais? A autora do blog Café, Canela e Chocolate explica-nos tudo.

Cada vez mais a tecnologia actual tem permitido perceber se vamos ter um bebé saudável – mesmo antes de ter nascido. Na verdade, a ecografia evoluiu muito nos últimos anos, permitindo detectar malformações no feto.

A par disso, surgiu também o doseamento de algumas proteínas no sangue materno, que, conjugadas com os dados da ecografia no 1º trimestre, permitem fazer um rastreio combinado, que dá uma probabilidade de o feto ter uma das principais alterações genéticas, como a Trissomia 21 (S. Down), a 18 e a 13. 

Para que serve o Harmony, amniocentese e outros testes pré-natais?

Para que serve o Harmony, amniocentese e outros testes pré-natais?

Mas para perceber se os cromossomas do bebé que vai nascer são normais, recorremos à amniocentese ou à biópsia das vilosidades coriónicas. Desde o final do ano 2013 que está disponível em Portugal uma outra opção para detectar as três principais Trissomias (a T21, 18 e 13), o chamado Harmony Prenatal Test. Através da colheita de sangue da mãe, permite então perceber se o bebé é portador de uma destas situações. Perante isto, surgem-nos dúvidas: qual o melhor? Um substitui o outro? Vantagens e desvantagens destes testes? Vamos perceber um pouco melhor como funciona cada um deles: RASTREIO COMBINADO

  • Realiza-se entre as 11 e as 13 semanas e 6 dias.

  • Implica uma ecografia, com avaliação da medição da nuca e dos ossos próprios do nariz e colheita de sangue à mãe para dosear algumas hormonas maternas (PAPP-A e Beta-HCG).

  • Com um software específico, onde se introduzem os dados anteriores, a idade materna e o peso (entre outros) obtém-se uma probabilidade de o feto ter Trissomia 21, 18 e 13.

  • Nos casos de risco elevado, propõe-se biópsia das vilosidades coriónicas ou amniocentese.

  • Detecta cerca de 97% das Trissomias.

  • Sem risco para a mãe ou para o feto.

  • Assegurado às grávidas pelo Serviço Nacional de Saúde nalgumas zonas do país.

BIÓPSIA DAS VILOSIDADES CORIÓNICAS

  • Realiza-se entre as 11 e as 13 semanas de gravidez.

  • Implica uma biópsia das vilosidades da placenta (que pode ser feita através do abdómen ou através do colo do útero)

  • Permite efectuar, na amostra obtida, um estudo alargado dos genes ou cromossomas do feto, diagnosticando assim doenças genéticas específicas.

  • Pode ser feita nos casos em que há doenças genéticas familiares, se houve casos anteriores de bebés com malformações, ou se o rastreio combinado foi positivo (entre outras indicações).

  • Risco de perda fetal de 1-2%.

  • Assegurado às grávidas pelo Serviço Nacional de Saúde nalgumas zonas do país. 

AMNIOCENTESE

  • Realiza-se a partir das 16 semanas de gravidez.

  • Implica a colheita de uma amostra de líquido amniótico através de uma punção através da barriga da mãe, com controlo ecográfico.

  • Permite o estudo dos cromossomas do feto para despiste de doenças genéticas específicas.

  • Pode ser feita nos casos em que há doenças genéticas familiares, se houve casos anteriores de bebés com malformações, ou se o rastreio combinado foi positivo (entre outras indicações).

  • Risco de perda fetal de 1%. – Resultado disponível ao fim de cerca de 2 semanas.

  • Assegurado às grávidas pelo Serviço Nacional de Saúde.


HARMONY PRENATAL TEST

  • Pode ser realizado a partir das 10 semanas de gravidez.

  • Implica colheita de sangue à mãe.

  • Sem risco materno ou fetal.

  • Permite determinar na amostra obtida o DNA fetal livre e determinar se o feto tem as 3 principais Trissomias, e as aneuploidias dos cromossomas sexuais.

  • Detecta cerca de 99% das principais Trissomias.

  • Não comparticipado. Custo: 670 euros.