Gravidez > Engravidar > Antes de Engravidar

Pressão arterial da mulher antes da conceção pode revelar o sexo do bebé

menina ou menino

Um estudo publicado recentemente na China descobriu que a pressão sanguínea da mãe antes da conceção pode influenciar o sexo do futuro filho.

“Será menino? Será menina?” é o que vem à cabeça de muitos pais assim que descobrem que vem aí um novo membro da família. Mas, nem sempre é fácil obter resposta para essa pergunta, nem – até agora – era possível prever o sexo do bebé, sem ter que recorrer às ecografias.

Ainda assim, existem muitos mitos sobre este tema. Há quem diga que se a barriga da mulher grávida estiver alta, o bebé que aí vem é do sexo feminino. Por outro lado, se a barriga for “empinada” as crenças ditam que é um menino.

Contudo, não há provas científicas de que estes ditos populares correspondam à realidade. Até hoje em dia, não havia forma de prever o sexo do pequenino ser humano que as mulheres geram no seu ventre ainda antes de o fazer.

Até hoje sim, porque, de acordo com site de notícias Medical News Today, estão já a ser realizadas várias investigações sobre a forma de prever o sexo das crias de alguns animais objetos de estudo. Nesses, as fêmeas com melhor condição física demonstraram ser as mais propensas a conceber crias do sexo masculino.

Alguns investigadores acreditam que no ser humano o processo é semelhante. No entanto, em vez de ser verificado somente pela atividade física, o sexo do bebé poderá também ser previsto com base no tipo de alimentação da gestante. As mulheres com as dietas mais equilibradas têm uma maior tendência a ter mais rapazes, contrariamente às mulheres com uma dieta pouco cuidada cuja tendência será para terem meninas. Ainda assim, também esta teoria gera muita controvérsia, não alcançando unanimidade quanto à sua veracidade.

Pressão sanguínea e Sexo do bebé: existirá uma relação entre os dois?

menino ou menina

Um outro estudo, publicado no American Journal of Hypertension, optou por outro caminho, sendo a investigação sobre a possível relação entre a pressão arterial da mulher antes da conceção do feto e o sexo do futuro bebé.

O endrocrinologista Ravi Retnakaran do Hospital Mount Sinai, em Toronto, no Canadá, e um investigador do Instituto de Pesquisa Lunendfeld-Tanenbaum uniram esforços para criar uma equipa de investigadores com vista a estudar esta possível relação. Para isso, contaram com a participação de cerca de 1400 mulheres chinesas que se submeteram a algumas análises e exames, como as do colesterol, pressão arterial, nível de glicose no sangue e o número de triglicéridos presentes no corpo.Os exames foram realizados aproximadamente 26 semanas antes de engravidarem.

Destas gestações verificou-se o nascimento de cerca de 740 rapazes e 670 raparigas. Quando os resultados dos exames e dos fatores foram comparados (idade, tabagismo, circunferência da cintura, índice de massa corporal, triglicéridos, os dois tipos de colesterol – LDL e o HDL – e glicose), os cientistas constataram que a pressão arterial sistólica média antes da gravidez foi maior nas mulheres que engravidaram de um menino do que nas que engravidaram de meninas.

Assim sendo, o estudo “sugere que a pressão arterial de uma mulher antes da gravidez é um fator não reconhecido e que está associado com a probabilidade de ter um menino ou uma menina”, explica o endrocrinologista Ravi Retnakaran, acrescentando que “esse novo insight pode ter implicações, tanto no planeamento reprodutivo, como na nossa compreensão dos mecanismos fundamentais subjacentes à relação sexual dos humanos”.

As conclusões podem parecer estranhas, mas este foi apenas um de muitos passos que precisam ser dados para atestar a veracidade deste pressuposto. Há ainda muita pesquisa a realizar. Quem o diz é a equipa chinesa que liderou o estudo.

Mas, como diz o ditado popular português “Mais vale prevenir…”. Portanto, pelo sim, pelo não, verifique a pressão arterial antes de “começar os treinos”!

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.