Gravidez > Engravidar > Antes de Engravidar

Gravidez de gémeos: curiosidades e explicações

gravidez de gémeos

Vai ter gémeos? Tenha calma... explicamos-lhe um pouco mais sobre a gravidez gemelar!

“Gémeos? Estou grávida de gémeos?” é o que devem pensar muitas das mulheres quando se veem deparadas com esta notícia. Podíamos falar sobre como ter gémeos e como acontece esse fenómeno, mas vamos antes diretos ao ponto – venha saber tudo (ou quase tudo) sobre a gravidez de gémeos.

Gravidez de gémeos

A gravidez de gémeos é um acontecimento cada vez mais frequente. Isto deve-se ao número crescente de casais detetados com infertilidade, que pode estar associada ao atual estilo de vida (com muito stress e ansiedade). Assim, estes casais recorrem a técnicas de reprodução medicamente assistida, como a FIV (fertilização in vitro) ou inseminação artifical.

“Estes métodos têm uma maior probabilidade de gerar múltiplos fetos, dependendo do número de embriões transferidos”, explica Sofia Serrano, médica ginecologista e autora do blog Café, Canela e Chocolate.

No entanto, há também famílias que registam gémeos na família, havendo, também aí, uma grande probabilidade de ter gémeos. E claro, noutros casos ter gémeos é uma surpresa absoluta!  As gravidezes de gémeos têm algumas particularidades. Em primeiro lugar, é importante saber quantas placentas e quantas bolsas existem.

Tipos de gravidezes gemelares

Existem diferentes tipos gravidezes de gémeos:

  • monocoriónicas monoamnióticas (uma placenta e uma bolsa – os gémeos idênticos);
  • monocoriónicas e biamnióticas (uma placenta e duas bolsas – os chamados gémeos falsos);
  • bicoriónica biamniótica (duas placentas e duas bolsas – outro tipo de gémeos falsos).

Sintomas da gravidez de gémeos

A maioria das mulheres ficam nervosas e até assustadas só com a ideia de ter dois bebés (ou mais) simultaneamente, além de ter receio das possíveis complicações durante a gravidez ou o parto.

Na realidade, as grávidas de gémeos estão mais propensas a sofrerem de depressão durante a gravidez, e o risco aumenta se a mulher engravidar e não estiver à espera.

De resto é, em muito, similar com as outras gravidezes:

  • sono, agora a dobrar;
  • mais enjoos, azia, vómitos;
  • inchaço e dor nos seios;
  • varizes;
  • prisão de ventre;
  • dores nas costas;
  • dores na região pélvica.

Cuidados a ter durante a gravidez de gémeos

Como em todas as gravidezes há certos cuidados a ter, como uma alimentação na gravidez equilibrada, fazer exercício físico adequado e beber bastantes líquidos. No entanto, estes cuidados têm de ser ainda mais reforçados, uma vez que a mulher carrega não um, mas dois (ou mais) bebés no ventre.

Existem mulheres que não podem, por contraindicação médica, realizar exercício físico na gravidez. Por este e muitos outros motivos, a gravides gemelar é acompanhada mais de perto pelo médico assistente, sendo requisitados exames mais regularmente, e as ecografias de gravidez podem ser mais do que as de uma gravidez dita normal.

Todas as mulheres grávidas devem descansar e estar relaxadas, se for de gémeos ainda mais. É importante que consiga sinplificar a rotina do seu dia-a-dia antes dos bebés nascerem e, não seja teimosa, aceite a ajuda que lhe derem.

Se já tiver outros filhos, tente ter ajuda para não andar a correr de um lado para o outro – assim só vai aumentar a probabilidade dos seus bebés virem ainda mais cedo.

Sempre que houver tempo e espaço, aproveite para fazer uma sesta. Quando eles cá estiverem fora, não será tão fácil ter estes momentos.

Se estiver a trabalhar, é importante que saiba que pode deixar de trabalhar até 30 dias antes da data provável do nascimento (como poderá ver no artigo sobre a licença de maternidade) ou até estar de baixa por gravidez de risco (constitui um dos direitos parentais).

Cuide-se para que se sinta bem e esteja bem de saúde e os bebés nasçam com saúde para dar e vender.

Complicações na gravidez de gémeos

  • O peso extra acumulado acaba afetando os músculos e as articulações;
  • Parto prematuro – é muito mais provável os gémeos nascerem antes das 37 semanas.

Precisamente por estas complicações é que as consultas são mais frequentes. Além disso, não se esqueça que é fundamental encontrar apoio, não só em termos psicológicos, como de logística. A vida a dois passará a ser a 4.

Veja também:

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *