Gravidez > Engravidar > Antes de Engravidar

Como engravidar: os truques

truques para engravidar

Nem sempre a gravidez acontece com a facilidade com que se gostaria, por isso aqui ficam algumas dicas.

Decidir engravidar é um passo importante. A vida muda com a chegada de um novo elemento da família. Mas nem sempre a gravidez acontece com a facilidade com que se gostaria. Por vezes passa muito tempo, e para quem está a tentar, parece uma eternidade. Na verdade, a grande maioria dos casais precisa de pelo menos 6 meses para engravidar, e só ao fim de dois anos é que 90% conseguiu uma gravidez. Por isso, o ideal é otimizar todas a variáveis possíveis. 

Ficam aqui alguns truques gentilmente cedidos por Sofia Serrano, médica ginecologista e autora do blog Café, Canela e Chocolate, para ajudar mais facilmente a chegar a uma gravidez saudável.

Como Engravidar?

Parar a pílula

O ideal é parar a toma da pílula cerca de 3 meses antes de começar a tentar engravidar para compreender como é o ciclo menstrual e, consequentemente, qual a altura mais fértil do mês. Em média, as mulheres ovulam ao 14.º dia – mas isto é válido para um ciclo de 28 dias ( não esquecer que o 1.º dia do ciclo é o 1.º dia da menstruação). Por isso, se o ciclo for de 25 dias, a ovulação ocorrerá provavelmente mais cedo, e se o ciclo for de 35 ou 40 dias, mais tarde. Há alguns sinais associados ao período da ovulação, nomeadamente a presença de um muco gelatinoso (o chamado “tipo clara de ovo”).

Há, portanto, que aprender a calcular o período fértil e a ovulação para que tenha maiores chances de engravidar.

Iniciar um suplemento polivitamínico

É importante que o suplemento contenha ácido fólico (para prevenir defeitos do tubo neural) e idealmente iodo (também recomendado pela DGS). O suplemento deve ser feito pelo menos meses antes da gravidez e mantido durante a mesma. A vitamina C começa também a ser reconhecida como importante durante a concepção e gravidez.

Parar os maus hábitos

Deixar de fumar, perder peso em caso de obesidade, fazer regularmente algum tipo de exercício físico – as caminhadas diárias são uma boa opção. O ideal é optar por alimentação saudável e hábitos de vida saudáveis, que se mantenham durante a gravidez e para além dela – o bebé e a nossa saúde agradecem. O tabaco está relacionado com a infertilidade (que pode tanto infertilidade feminina como infertilidade masculina ou até de origem desconhecida) e maior probabilidade de gravidez ectópica, para além de estar relacionado com complicações durante a gravidez e maus desfechos como o descolamento de placenta e a morte fetal.

Fazer análises prévias à gravidez

É importante determinar o grupo sanguíneo e confirmar se as vacinas estão em dia, e também fazer o rastreio do cancro do colo do útero (citologia cervical).

Sexo

Quando se decidir engravidar, o ideal é ter relações sexuais em dias alternados, alguns dias antes da altura da ovulação, e alguns dias depois. E porquê? Dia sim-dia-não, porque se forem diárias, os espermatozóides são mais imaturos e não terão tão boa qualidade para a fecundação.

Idealmente, deve-se tentar alguns dias antes da ovulação, porque não se sabe ao certo qual será a altura da mesma, e o óvulo só se mantém 24h viável – os espermatozóides, por outro lado, sobrevivem cerca de 72 horas no aparelho reprodutor feminino, e os que ficam algum tempo ao nível do colo do útero sofrem um processo que se chama capacitação e que os torna óptimos para a fecundação. Assim sendo, tentamos aumentar as probabilidades de os gâmetas femininos e masculinos se encontrarem.

Tentar reduzir o nível de stress

O stress e a ansiedade interferem na ovulação e na capacidade de engravidar. Tentar ter uma vida tranquila é um dos passos para que tudo corra bem.

Não esperar muito tempo

O pico da fertilidade é por volta dos 20 e começa a decrescer aos 30. A partir daí as probabilidades de conseguir engravidar vão diminuindo e aumentam as complicações. E a gravidez depois dos 40? É segura? Sim, em alguns casos sim, no entanto há que ter alguns cuidados e pode ter que recorrer a tratamentos de procriação medicamente assistida (PMA), como o caso da inseminação artificialfertilização in vitro, ou outro que o médico assistente pense ser mais adequado para o vosso caso. Será também, muito provavelmente, seguida com uma maior regularidade.

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *