Família > Passear > Passeios

O que visitar em Évora com crianças

Fotografia: Câmara Municipal de Évora

Vale muito a pena conhecer "a capital do Alentejo"!

Não sabe o que visitar em Évora com crianças?

Esta cidade histórica no coração do Alentejo é herdeira de um rico e variado património cultural, construído e preservado ao longo do tempo. Sem dúvida, um local de paragem obrigatória no Alto Alentejo. São tantas as igrejas, conventos, chafariz e edifícios de marca romana que merecem a nossa atenção que o mais difícil é escolher quais visitar!

Fizemos uma seleção de pontos imperdíveis em Évora, que as crianças vão adorar conhecer, mas o nosso melhor conselho é mesmo o de explorarem a cidade ao sabor dos vossos passos.

Património e Museus

Centro Histórico de Évora

praça giraldo

Fotografia: Diana FM

O Centro Histórico de Évora é uma parte da cidade, toda ela, considerada um “Museu”, dada a enorme variedade de História e de cultura que, através destas ruas, podem apreender. Por isso, para conhecer a verdadeira essência de Évora é inevitável passear pelas suas belíssimas Arcadas Medievais, beber um cafe na Praça do Giraldo, percorrer a Rua 5 de Outubro e entrar nas lojas de comércio local – a pequena rua que leva à Catedral e ao Templo Romano e onde podem ver malas, gravatas, sapatos, roupas, jóias e pratos feitos em cortiça.

Nesta zona histórica tão impressionante quando bonita podem visitar, também, o Convento da Cartuxa, a Igreja de São Francisco e a afamada Capela dos Ossos, o Palácio de Dom Manuel, a Universidade de Évora, o Teatro Garcia de Resende e várias igrejas com séculos de existência.

Museu de Évora

museu de évora

O Museu de Évora é, como o nome nos conta, um dos mais importantes museus da cidade e aquele que reúne, dentro do seu espaço, a história e evolução dos eborenses – mas também da arte, num geral, até porque algumas das peças mais importantes do seu espólio são os 13 painéis, pintados na Escola de Bruges, que representam a vida da Virgem Maria.

Entre outras peças, também podem ver estátuas da época romana e aras votivas (pedras erigidas em memória de alguém), além de túmulos medievais.

Para visitar o Museu de Évora, basta seguir em direção à parte mais alta da cidade, onde podem visitar também a Sé Catedral e o Templo Romano.

Onde: Largo do Conde de Vila Flor7000-804, Évora.

Muralhas de Évora

muralhas de évora

Fotografia: M’AR De AR Aqueduto

As Muralhas de Évora protegeram a cidade durante séculos, mas hoje em dia perderam a função de vigia – ou, melhor dizendo, permitem apenas aos turistas e eborenses “vigiar” a paisagem tremenda que oferecem a quem nelas se aventura.

O sistema defensivo da cidade de Évora é formado por duas linhas de muralhas que correspondem a diferentes períodos de tempo. A segunda linha, conhecida como cerca-nova, resultou do alargamento da área de habitação para além do perímetro da primeira muralha (a cerca-velha) e da necessidade de proteção desse novo núcleo.

As Muralhas de Évora apresentam uma grande variedade de estilos, marcados por várias alterações e restauros em diferentes épocas e por diferentes povos, como os Romanos, os Visigodos, os Mouros e os Portugueses Medievais, o que as torna um monumento, no seu conjunto, de valor incalculável e de grande interesse histórico.

Visitar as Muralhas – podem percorrer todo o seu perímetro a pé – é um passeio que vale muito a pena, até porque estas estão classificadas como monumento nacional desde 1922 e são parte integrante do conjunto do Centro Histórico de Évora Património Mundial UNESCO.

Onde: Évora.

Capela dos Ossos

capela dos ossos de évora

A Capela dos Ossos é um dos monumentos mais conhecidos de Portugal e um dos locais que não podem deixar de conhecer em Évora… se forem corajosos!

É que esta Capela, que está localizada na Igreja Real de São Francisco, pode ser assustadora para os mais pequeninos (e os mais velhos mais sensíveis).

Construída no século XVII por iniciativa de três monges franciscanos, pretendeu transmitir a mensagem da transitoriedade da vida, tal como se depreende do célebre aviso à entrada: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. Além da questão espiritual, também havia uma questão logística a resolver e à qual a Capela dos Ossos dava margem: existiam, na região de Évora, quarenta e dois cemitérios monásticos que estavam a ocupar demasiado espaço, localizados em zonas estratégicas que muitos pretendiam utilizar para outros fins.

Assim, foi decidido retirar os esqueletos da terra e usá-los para construir e decorar a capela: as suas paredes estão repletas de caveiras.

Onde: Praça 1º de Maio 4, 7000-650, Évora.

Igreja Real de São Francisco

igreja real de são francisco

Os primeiros franciscanos terão chegado a Évora em 1224, vindos da Galiza. Do primitivo convento apenas restam vestígios da igreja gótica e uma parte do claustro, construídos em 1376.

No entanto, o interesse dos reis em instalar o Paço em Évora, numa parte do convento, trouxe como contrapartida a reedificação de uma nova igreja sobre a antiga, de modo a conferir-lhe a dignidade e beleza consentâneas com o palácio real: é esta a origem da Igreja Real de São Francisco, onde podem também visitar a Capela dos Ossos e uma incrível coleção de presépios.

Onde: Praça 1º de Maio 4, 7000-650, Évora.

Templo Romano de Évora

templo romano de évora

Fotografia: http://www.historiadeportugal.info

Também conhecido como Templo de Diana, o Templo Romano de Évora é o monumento mais conhecido da cidade, património mundial da UNESCO, e uma prova intemporal da presença romana no nosso país.

O Templo foi construído muito provavelmente em homenagem ao imperador Augusto, que era venerado como um deus durante e após seu reinado.

Encontra-se rodeado pela Sé de Évora, pelo Tribunal da Inquisição, pela Igreja e Convento dos Lóios, pela Biblioteca Pública de Évora e pelo Museu de Évora.

Onde: Largo do Conde de Vila Flor, ao lado do Templo de Diana7000-804, Évora.

Palácio Cadaval

palácio cadaval

As palavras são de Diana Cadaval e não nossas: “Com mais de seis séculos de História, [o Palácio Cadaval é] um lugar único para celebrar a vida, um destino incontornável no Alentejo, um convite à viagem e ao sonho”.

Construído sobre a ruínas dum castelo mouro, sujeito a intervenções ao longo dos séculos, resulta numa combinação singular dos estilos mudéjar, gótico e manuelino.

Implantado no centro histórico de Évora, frente ao Templo Romano, conta com uma vasta área residencial de vários pisos, dois jardins interiores e uma igreja que é panteão de todas as gerações da família dos duques de Cadaval. Uma igreja que é também referência nacional pelos seus esplendorosos interiores em que imperam painéis de azulejos assinados e datados do início do século XVIII.

Atualmente, o Palácio Cadaval é residência da Duquesa de Cadaval e de sua família, embora a igreja e parte das salas estejam abertas ao público ao longo de todo o ano, exibindo peças raras: livros, forais, armaria, pintura, escultura, mobiliário, porcelana, retratos e acessórios de viagem, entre outros objetos de valor e grande interesse histórico.

Onde: Palácio Cadaval, 7000-845 Évora.

Cromeleque dos Almendres

cromeleque dos almendres

O Cromeleque dos Almendres é o maior conjunto megalítico da Península Ibérica e é conhecido como o “Stonehenge português”.

Estima-se que o monumento tenha sido erguido algures entre o sexto e quinto milénio a.C., mas só foi descoberto há pouco mais de 50 anos. São quase 100 menires dispostos num “círculo de pedras pré-histórico” (cromeleque).

Ninguém sabe com exatidão a real função do Cromeleque dos Almendres, embora se suspeite de que estes eram espaços sagrados, mas uma coisa é certa: o local é imponente e a visita vale muito a pena!

Onde: Herdade dos Almendres, Évora.

Sé Catedral de Évora

sé de évora

Fotografia: http://www2.cm-evora.pt

Dedicada a Santa Maria, a Catedral de Évora (a maior de Portugal) foi construída nos séculos XIII e XIV, sob o patrocínio real de D. Afonso III e do bispo D. Durando Pais, nos estilos românico e gótico.

No seu interior, existem muitos elementos arquitetónicos e artísticos de relevância, como o cadeiral do coro, o órgão renascentista, as peças do Museu de Arte Sacra (escultura, pintura, paramentaria e ourivesaria), entre outros, que merecem uma visita atenta!

Onde: Largo do Marquês de Marialva, Évora.

Aqueduto de Água da Prata

aqueduto da água da prata

Fotografia: Câmara Municipal de Évora

O Aqueduto de Água da Prata, inaugurado em 1537, é um monumento renascentista construído para abastecer de água a cidade de Évora. O aqueduto transporta água desde nascentes situadas na Graça do Divor, percorrendo 18 quilómetros até chegar a Évora.

Parte integrante do Centro Histórico de Évora e classificado como Monumento Nacional desde 1910, o Aqueduto de Água da Prata é um dos poucos desta época que continua a funcionar na atualidade, contribuindo para o abastecimento da cidade.

Uma forma muito interessante de descobrirem este monumento é fazendo o Percurso Ambiental de Évora, que acompanha o aqueduto por 8,3km – a pé ou de bicicleta, respirem o ar puro dos campos de montado e das quintas que abraçam Évora.

Podem também procurar a Porta da Lagoa e seguir o Aqueduto desde esse ponto, até ao centro histórico de Évora, terminando na Fonte da Praça do Giraldo.

Ruínas Fingidas

ruínas fingidas

Fotografia: https://www.mardearhotels.com

Estas Ruínas Fingidas não são mesmo ruínas… ou melhor, são mais ou menos! A construção é do século XIX, mas para ela foram utilizados materiais arquitectónicos provenientes das ruínas de vários monumentos civis e religiosos da cidade – principalmente de um estilo manuelino, a evocar a nostálgica época dos Descobrimentos portugueses.

As Ruínas Fingidas, integradas numa torre e troço da muralha medieval (séc. XIV) e próximas do Palácio de D. Manuel (séc. XVI), foram parte integrante da concepção geral do Jardim Público, também ele desenhado por Cinatti como espaço de passeio, deleite e contemplação bucólica, próprio do ideário “progressista” de finais da segunda metade do séc. XIX.

Onde: Jardim Público de Évora, Praça 1º de Maio7000-650, Évora.

Termas Romanas

termas-romanas de évora

As Termas Romanas de Évora terão sido construídas entre os séculos II e III e estima-se que fosse este o maior edifício público da Évora Romana. Aqui, o povo podia, além das questões de higiene, conversar, conviver e até negociar.

Enquadradas dentro do atual edifício da Câmara, são um bom ponto de passagem: a entrada é gratuita mas só podem ser visitadas durante a semana.

Onde: Largo do Sertório7004-506, Évora. 

Arquivo Fotográfico de Évora

arquivo fotografico de évora

A Câmara Municipal de Évora possui um importante acervo fotográfico, constituído ao longo dos últimos 20 anos, que representa, já hoje, um testemunho importante dos últimos anos da história local, e é uma forma diferente de mergulharem no passado e presente desta cidade tão bonita!

Onde: Rua Diogo Cão, 19, 7000, Évora.

Museu do Artesanato e do Design

museu do artesanato e do design

Fotografia: Turismo do Alentejo

O MADE é um espaço cultural onde podem conhecer o artesanato local, principalmente peças feitas em barro e madeira, bem como tecidos.

Para além disso, proporciona outras exposições com objetos mais contemporâneos, como aparelhos electrónicos do século passado: TVs, aquecedores, máquinas fotográficas, reprodutores de música, máquinas de escrever.

Um espaço pequeno e acolhedor que vai permitir às abobrinhas mergulhar no passado recente e conhecer parte da “cultura alentejana”.

Onde: Praça 1º de Maio, nº 3, 7000-656 Évora.

Museu da Carruagem

museu da carruagem

Fotografia: M’AR De AR Aqueduto

Este pequeno museu, situado no antigo celeiro da Sé de Évora, pertence à Fundação Eugénio de Almeida e é composto por uma colecção particular de carruagens e outros objetos de viagem, que serviam a família nas suas deslocações até Lisboa, nos anos finais do séc. XIX e início do séc. XX.

Um regresso incrível ao passado, onde podem também conhecer o Palácio da família!

Onde: Largo Dr. Mário Chicó, n.º 47000-802, Évora. 

Museu do Relógio

museu do relógio polo évora

Tudo começou em 1972 quando António Tavares d ‘Almeida (1948-2012), o principal dinamizador deste espaço herdou dos seus avós três relógios de bolso avariados. A partir de então, este coleccionador procurou relógios por todo o país e mundo, com vista ao restauro e ao aumento do espólio.

Em 1995 abre a sua colecção ao público e desde então perto de 400 relógios avariados foram doados ao Museu, que com a colaboração dos seus Mestres relojoeiros são recuperados e mostrados ao público. Em Dezembro de 2011 deu-se a expanção do espólio com a abertura do Pólo de Évora, que podem visitar para se encantarem pelos relógios de antes… e os de agora! São de todos os tamanhos, cores e feitios.

Onde: Palácio Barrocal – Rua Serpa Pinto, 6 (junto à Praça do Giraldo), 7000-537, Évora.

Natureza e Jardins

Jardim Público de Évora

jardim público de évora

Fotografia: http://www.visitevora.net

O Jardim Público de Évora foi construído entre os anos de 1863 e 1867 e é uma autêntica relíquia para os eborenses e quem pela cidade passa em visita.

Aqui, além de visitarem as ruínas da Muralha Medieval, o Palácio Dom Manuel e as Ruínas Fingidas de Cinatti, podem levar as abobrinhas ao Parque Infantil, à Ludoteca e ao Museu do Brinquedo. Vão também poder cruzar-se com pavões, patos e cisnes, além de contemplar um jardim belíssimo onde até a vegetação exótica (há árvores centenárias!), típica do século XIX, é conservada – tal como o coreto, um ícone do Jardim Público de Évora.

Podem também encontrar esplanadas e quiosques onde lanchar – ou existe a possibilidade de fazerem um piquenique na Mata, ou no Parque de Merendas.

Onde: Praça 1º de Maio7000-650, Évora. 

Jardim Diana

jardim diana

Fotografia: http://www.visitevora.net

Este pequeno jardim, junto ao Templo de Diana, é um autêntico palco daquilo que de mais marcante existe em Évora: a monumentalidade da história, a típica arquitetura alentejana a perder de vista no miradouro, e a natureza verdejante, ao fundo do olhar – e no próprio jardim, onde podem, por exemplo, deliciar-se com um geladinho ou lanchar.

Podem também observar, do lado oposto ao do Templo, o Aqueduto da água e o Convento da Cartuxa, o único convento em Portugal onde os monges vivem em silêncio e contemplação.

Onde: Largo do Conde de Vila Flor 4, ao lado do Templo de Diana7000-804, Évora.

Jardim dos Colegiais

jardim dos colegiais

Fotografia: http://www.visitevora.net

Nas traseiras da Pousada dos Loios esconde-se este pequeno mas charmoso jardim, contíguo ao Jardim e ao Templo de Diana, e abraçado pelas muralhas do Paço de São Miguel. É um espaço muito bonito que convida a um passeio.

Onde:Rua do Menino Jesus7000-601, Évora.

Parque Infantil Almeida Margiochi

parque infantil almeida margiochi

Mais um grande parque em Évora, com imensos divertimentos para as abobrinhas, e com muitas sombras – até mesmo nas áreas de jogo e brincadeiras – para que possam relaxar em família sem se preocuparem com os escaldões e o calor em demasia.

É um espaço muito agradável para quem tem crianças mais pequeninas.

Onde: Avenida General Humberto Delgado7005-158, Évora.

Na hora da diversão

Monte Selvagem

monte selvagem veado

Já foram ao Monte Selvagem? Nós sim e adorámos! Um sítio a não perder, sem dúvida, e onde podem passar um dia agradável em família!

Situado no concelho de Montemor-o-Novo, distrito de Évora, o Monte Selvagem – Reserva Animal é um espaço que combina uma reserva de biodiversidade, um parque de lazer e um projeto pedagógico para descobrir.

Este é um espaço de respeito pelo ambiente e de proteção da vida animal, que promove o contato das populações com a Natureza, na intenção de protegê-la, conservá-la e educar para a sua sustentabilidade.

Onde: Monte do Azinhal, Lavre 7050 Montemor-o-Novo.

Fluviário de Mora

fluviario-mora

O Fluviário de Mora possui 6 galerias onde podem conhecer mais sobre a vida aquática e os ecossistemas de água doce de Portugal, da Península Ibérica e das regiões tropicais da América do Sul e de África.

O espaço está muito giro e a exposição está muito bem feita, conciliando os aquários interiores com uma área aquática exterior!

O Fluviário de Mora é o maior aquário de água doce da Europa, permite-nos conhecer o percurso de um rio desde a sua nascente até à foz e foi eleito pelas famílias portuguesas como um dos 10 finalistas da categoria Melhor Atividade de Fim-se-Semana no resto do país, nos Pumpkin Awards!

Onde: Parque Ecológico do Gameiro, 7490-909 Mora.

Aldeia da Terra

aldeia da terra

A Aldeia da Terra é a “aldeia mais caricata de Portugal” e é toda construída em barro pelo talento incrível de Tiago Cabeça.

A barrística é uma forma de arte com tradições profundas em Portugal e Tiago quis explorá-la com uma abordagem diferente: a Aldeia da Terra, além de classificada de Interesse Cultural pelo Ministério da Cultura, é uma homenagem a esta arte centenária portuguesa, na forma de uma banda desenhada em barro a três dimensões.

Sensível, irreverente e cheia de bom humor, nascida há quase uma década como um jardim de esculturas a céu aberto, originalmente em Arraiolos, esta original e magnifica aldeia é uma delícia para todos os que a visitam.

E ainda podem encomendar uma caricatura da vossa família para expor em casa!

Onde: Rua de São Manços 15 e 19; 7000-932 Évora.

B de Brincar

B de Brincar

A B de Brincar é uma loja de brinquedos em Évora que merece uma visita!

Especializada em brinquedos alternativos, mais ecológicos e produzidos em materiais diferentes que, por norma, não se encontram nas grandes superfícies, a B de Brincar oferece uma alternativa segura, diferente e de qualidade de jogos educativos.

Grande parte destes brinquedos são feitos em madeira, uma das melhores alternativas à proliferação do (perigoso) plástico e outros materiais sintéticos que inundam a grande maioria das lojas de brinquedos.

Onde: Tv. de Lopo Serrão 16, 7000-612 Évora.

Museu do Brinquedo de Évora

museu-brinquedo-evora

Fotografia: Visit Évora

Descubram os brinquedos de antigamente!

O Museu do Brinquedo de Évora está situado no Jardim Público de Évora e é uma forma divertida e interessante de terminar a visita a este espaço incrível, depois de as abobrinhas correrem até se cansarem no parque infantil.

A exposição do Museu do Brinquedo de Évora tem, segundo o site Visit Évora, várias coleções de brinquedos, essencialmente dos anos 40 e 50 do século XX. Apesar de o espaço ser pequeno, existem imensos exemplares de vários tipos de brinquedos: dos brinquedos musicais aos brinquedos militares, das casas de bonecas aos brinquedos tradicionais alentejanos (artesanais, de madeira e arame), e também um comboio antigo que vos vai levar, quase literalmente, a viajar até à vossa infância.

Os miúdos vão adorar descobrir como eram os brinquedos dos papás e dos avós!

Onde: Jardim Público de Évora.

Piscinas Municipais de Évora

piscinas municipais de évora

Évora é uma cidade muito quente no Verão, por isso nada melhor do que uns mergulhos refrescantes para tornar a visita mais agradável!

As piscinas municipais de Évora foram inaguradas em 1964 mas são, ainda hoje, um equipamento moderno, bem conservado e que proporciona momentos muitos divertidos a toda a família.

Com várias pranchas de saltos (a mais alta tem 7 metros!), piscina olímpica, piscina de aprendizagem, piscina coberta, tanque para bebés, parque infantil, uma larga zona relvada e parque de merendas, as piscinas de Évora são uma boa opção para um dia diferente!

Onde: Av. Eng.º Arantes de Oliveira, 7000-758 Évo​ra.

Mercado Municipal de Évora

mercado municipal de évora

Não nos cansamos de dizer: é nos Mercados Municipais que melhore se absorve a essência de cada local que visitamos. Por isso, peguem nos miúdos e deem uma volta pelo Mercado de Évora, onde podem deliciar-se com as incomparáveis iguarias alentejanas (que oportunidade de levar para casa enchidos, queijo, pão e calda de pimentão!) ao mesmo tempo que contactam com os eborenses.

Onde: Praça 1 de Maio7000-650, Évora. 

A cidade de Bocage e os seus arredores são um templo da natureza - mas há em Setúbal muito mais para conhecer.

Atividades na Natureza para toda a família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *