5 dicas para um regresso às aulas sem Covid-19 - Pumpkin.pt

5 dicas para um regresso às aulas sem Covid-19

stickets

“Trouxeste a máscara?” e “Não toquem nisso!” são frases que vamos continuar a ouvir. Saibam como preparar os miúdos para voltar à escola em segurança.

Setembro aproxima-se, e com ele um grande desafio: as crianças vão voltar às escolas, agora transformadas de cima a baixo para terem todas as condições necessárias para evitar a propagação do Covid-19. Então e nós? O que podemos fazer, enquanto pais, para que tudo corra pelo melhor?

Com o apoio da Stikets, preparámos um artigo com 5 dicas úteis para terem tudo pronto para um regresso às aulas com máscaras reutilizáveis, desinfetante e comportamentos de prevenção. Prontos para conseguir a nota máxima em “Segurança Familiar”?

1. Organizem a coleção de máscaras das crianças

stikets máscaras infantis

As máscaras já fazem parte do nosso dia a dia, e os alunos a partir do 2º ciclo terão de as usar na escola. E as vossas abobrinhas, já as têm preparadas para um ano letivo em segurança?

É importante que tenham máscaras do tamanho delas, sem materiais nocivos e em número suficiente para que possam colocá-las a arejar e lavá-las quando necessário.

Cá em casa temos 10 máscaras de tecido para cada, e algumas descartáveis para situações de emergência. Esta quantidade permite ter uma máscara para cada dia da semana e ainda algumas extra – nunca se sabe quando é que os miúdos vão manchá-las ou desprender o elástico por puxar com força.

Não têm máscaras suficientes? Ainda vão a tempo! A pensar nos mais novos, a Stikets, especialista em produtos personalizados e amiga das famílias, lançou uma gama de máscaras eco-friendly, laváveis e reutilizáveis. Têm um design ergonómico e super adaptável, ideal para ajustar à face das abobrinhas. Para além disto, são de respiração fácil e muito confortáveis, o que evita que toquem no rosto para ajustar máscara. Não é o máximo?

Estas máscaras são uma ótima opção porque são laváveis até 100 vezes mudando os filtros, pelo que não temos de estar sempre a comprar novas – o que é ótimo para o ambiente!

São fabricadas com um tecido especial resistente e com tratamento antibacteriano, que protege contra as bactérias produzidas pela humidade da nossa respiração. As máscaras são ainda certificadas pelos laboratórios Eurecat, Aitex e Applus, e estão em processo de certificação em CITEVE.

A Família Pumpkin já está a planear acrescentá-las ao stock de máscaras!

2. Arranjem pequenos frascos de desinfetante para todos

stikets máscaras infantis

As escolas vão disponibilizar soluções à base de álcool para desinfeção das mãos, mas é importante que as crianças estejam preparadas para esta realidade e para qualquer eventualidade.

Porque não começar a treinar já durante as férias? Arranjem um pequeno frasco de desinfetante para cada um (excepto para as crianças mais pequenas, claro) e vão-nos habituando a desinfetar as mãos sempre que tocarem em algo sujo, antes de comer e antes de tocar na cara – sendo que têm de esperar que seque para não levar álcool à cara.

Se puderem lavar as mãos nesse momento, podem dispensar o uso do desinfetante – a água e o sabão são preferíveis.

Bisnaga ou pulverizador? Depende da preferência de cada um. O pulverizador permite dosear melhor a quantidade e é mais prático para desinfetar objetos, mas se usado muito perto da cara pode espalhar o álcool pelo ar e atingir a face da criança, causando irritações no nariz e olhos. A bisnaga é mais segura neste sentido, mas por vezes apertamos demasiado sem querer e sai desinfetante suficiente para 5 mãos – Ups!

Para que se sintam seguros no regresso às aulas, os miúdos podem ter sempre o seu pequeno frasco com eles, na mochila, caso por algum motivo não exista álcool gel por perto. Deste modo, vão sentir que confiamos na capacidade deles de ser responsáveis pela sua proteção e dar mais importância estes comportamentos de higiene e segurança.

Aproveitem e espreitem as etiquetas e carimbos da Stikers, personalizáveis e ideais para identificar o que pertence a cada um com nome e desenhos giros! Podem colocar nos frascos de desinfetante, nas máscaras, nas mochilas, nos cadernos… assim garantem que apenas mexem nas coisinhas deles, evitando riscos de contágio.

3. Revejam em família os comportamentos de prevenção

Acreditamos que já estejam fartos de repetir todas as regras a que tivemos de nos habituar nos últimos meses, mas uma recapitulação antes do início das aulas pode poupar muito tempo aos professores e auxiliares de educação – e aos pais também, na realidade.

Deixamos aqui algumas das orientações principais:

  • Usar a máscara corretamente: cobrir o nariz e o queixo e garantir que não há espaços abertos entre a máscara e a pele. Lavar as mãos antes e depois de retirar a máscara e removê-la (não baixar simplesmente) quando não precisar de a usar.
  • Distanciamento social: manter uma distância de segurança das outras pessoas (2 metros) e evitar ajuntamentos ou locais com concentrações de pessoas.
  • Ter especial cuidado com os doentes de risco, nomeadamente idosos, doentes cardíacos, diabéticos, doentes com sepse, doentes pulmonares e pessoas com um sistema imunitário fraco (doentes autoimunes, doentes oncológicos, doentes crónicos e outros).
  • Higiene das mãos: lavar as mãos com sabão frequentemente e usar desinfetante quando tal não for possível. Evitar levar as mãos ao rosto. Também é importante higienizar com frequência objetos e espaços usados regularmente.
  • Etiqueta respiratória: tossir e espirrar para o interior do cotovelo ou para um lenço de papel e longe de outras pessoas, desinfetando e lavando as mãos assim que possível. Usar lenços de papel para se assoar, deitando-os fora de imediato e lavando as mãos.

Querem garantir que os miúdos sabem todos os comportamentos de prevenção e regras de etiqueta respiratória de forma lúdica e divertida?

Façam um jogo em família! Uma opção gira pode ser fazer um quiz com perguntas como “Durante quanto tempo devemos lavar as mãos?” ou “Que zonas da cara deve a máscara tapar?”. Podem dividir-se em equipas e quem responder mais rápido a cada pergunta acumula pontos. O prémio fica à vossa escolha, mas poucas alternativas ultrapassam o chocolate…

4. Familiarizem-se com as novas regras das escolas

A DGS já divulgou as medidas a ser adotadas pelas escolas para o próximo ano escolar – podem consultá-las e aceder ao documento oficial neste artigo sobre o Ano Letivo 2020/2021.

Entre elas estão a obrigatoriedade do uso de máscaras para alunos a partir do 2º ciclo, a definição de circuitos especificos para circulação na escola, o reforço nas limpezas e as salas fixas ocupadas por grupos reduzidos e com limpezas após cada utilização, entre outras.

Em breve também os pais serão contactados pelos respetivos agrupamentos a que pertencem as escolas das crianças, com uma divulgação de todas as medidas e regras a ser seguidas pelo estabelecimento, pelos pais e pelos próprios alunos.

Recomendamos que explorem estas medidas em família – não só para já saberem com o que contar, mas também para que possam ficar mais tranquilos quanto à higiene e segurança no ambiente escolar. Aliás, por que não acrescentar algumas destas regras ao jogo de perguntas sugerido no tópico anterior deste artigo?

5. Mantenham a calma e estejam alerta

Já vivemos nesta nova realidade há alguns meses, mas não é por isso que a ansiedade nos abandona. Temos assistido a uma subida excecional dos problemas de saúde mental, quer em adultos como em crianças. Por este motivo, é importante que mantenhamos a calma, que sejamos compreensivos para com os outros e para connosco, que procuremos explicar esta situação e as suas ramificações da forma mais paciente possível.

É também crucial que estejamos atentos a nós e aos outros, por modo a prevenir e gerir problemas de ansiedade e depressão da melhor forma. Nas crianças, devemos estar atentos a estes sinais:

  • Preocupação ou tristeza incomuns
  • Défice de concentração e atenção
  • Alteração da rotina de sono
  • Falta de fome ou vontades alimentares incomuns

Para mais informações, sintomas e contactos de linhas de apoio, podem consultar este artigo sobre como sinalizar depressão em crianças e jovens. Acima de tudo, conversem honestamente com eles e mostrem-se disponíveis. Criança ou adulto, é muito importante procurar ajuda médica nestas situações.

Fiquem em segurança e feliz regresso às aulas 🙂

Tudo sobre o Regresso às Aulas:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *