Máscaras de proteção COVID-19: que tipos existem e onde comprar?

Máscaras de proteção COVID-19: que tipos existem e onde comprar?

Máscaras de proteção COVID-19: que tipos existem e onde comprar?

As máscaras passaram a fazer parte das nossas vidas, mas ainda pairam algumas dúvidas sobre a sua eficácia e uso. Procuramos responder às principais questões das famílias.

Ouvimos muitos nomes: máscaras descartáveis, máscaras de bico de pato, máscaras de proteção, máscaras reutilizáveis, respiradores… Fala-se sobre FFP, máscaras de nível 1, 2 e 3, viseiras e filtros TNT. Que confusão! Afinal que máscaras existem, quais devemos usar e onde podemos encontrá-las? E as abobrinhas, têm de usar máscara? Procurámos sintetizar tudo de forma simples.

Antes de mais, importa ressalvar que o uso de máscaras de proteção é obrigatório, dentro de estabelecimentos e na rua – quer estejamos a passear o cão ou simplesmente a levar o lixo numa zona com poucas pessoas. O não cumprimento desta regra é punido com multa.

Embora já tenhamos a vacina contra o Covid-19 em Portugal e a nossa população já esteja a tomá-la, por fases, o uso de máscara e o cumprimento das regras de etiqueta respiratória, assim como o distanciamento social, são imprescindíveis para proteger a nossa saúde e a dos outros.

Nota: este artigo baseia-se em informações oficiais da DGS, Infarmed e Covid19EstamosON. Foi atualizado pela última vez a 3 de fevereiro de 2021.

Que tipos de máscaras existem?

De acordo com a informação oficial da DGS, existem 3 tipos de máscaras:

Máscaras de proteção COVID-19 que tipos existem e onde comprar

Respiradores: também reconhecidos por FFP (do nome Filtering Face Piece, em Inglês), estes dispositivos são aqueles que devem ser usados pelos profissionais de saúde, pois protegem tanto o médico quanto o doente.

Máscaras cirúrgicas: estas máscaras, quando usadas por pessoas infetadas, previnem a transmissão do vírus para os outros. Assim, funcionam para proteger as outras pessoas do utilizador da máscara, caso este esteja infetado ou em situação de suspeita de infeção.

Máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social: estas são as máscaras de proteção destinadas à população geral. São feitas de diferentes materiais têxteis mas – ATENÇÃO – nem todas são certificadas como dispositivos que protegem do COVID-19.

Podem encontrar informações sobre as especificações técnicas e níveis de proteção das máscaras destinadas ao combate da COVID-19 aqui.

E quais devemos usar?

As opções mais adequadas para a grande maioria da população são as máscaras de proteção comunitárias ou de uso social, de nível 2 ou 3. Recomenda-se que se comprem máscaras certificadas na proteção contra o COVID-19.

Também é muito importante que as máscaras tenham o tamanho certo para o utilizador: devem cobrir nariz e queixo e não deixar espaços abertos entre o tecido e a pele para que sejam eficazes.

As abobrinhas têm de usar máscaras de proteção?

Máscaras de proteção COVID-19 crianças e uso de máscara

A DGS declarou obrigatório o uso de máscaras por crianças a partir dos 6 anos de idade. Assim, nas creches e infantários os miúdos não vão precisar de usar máscara – ufa!

Se mesmo assim estão a ponderar arranjar máscaras para proteger os pequenotes, pensem duas vezes. Estas são algumas informações importantes divulgadas pela Liga de Pediatria UFCSPA:

  • As máscaras não devem ser usadas por quem não as consegue colocar e tirar corretamente – existe um risco de contágio maior, assim como o perigo de a criança se magoar;
  • As vias respiratórias das crianças, principalmente dos menores de 2 anos, são mais pequenas, pelo que uma máscara dificulta muito a respiração e representa risco de asfixia;
  • Se colocarmos uma máscara em crianças pequenas, elas vão tocar-lhe, independentemente da nossa supervisão. Isto diminui a eficácia da máscara e aumenta o risco de contaminação – é mais seguro para eles não usar máscara.

Então como podemos proteger os miúdos sem máscaras?

  • Mantenham-nas em casa: é o sítio mais seguro para eles;
  • Tenham especial cuidado com a higiene, principalmente das mãos. Ensiná-los a lavar as mãos corretamente é meio caminho andado para a segurança deles;
  • Se saírem de casa, garantam 2 metros de distância das outras pessoas. Evitem que os miúdos entrem em espaços fechados, como supermercados e lojas.

Onde comprar máscaras certificadas?

Existem no mercado várias máscaras com certificados de proteção falsos, o que representa um perigo para todos – não apenas os que as usam. A DGS aconselha que se tenha em atenção a certificação, que é a única garantia de que a máscara que estamos a usar vai proteger os outros caso estejamos infetados.

De acordo com o Infarmed, todas as máscaras de uso comunitário (tipo 1 e 2) “não enquadradas como dispositivos médicos ou como equipamentos de proteção individual, e designadas como artigos têxteis” devem ser submetidas a testes de desempenho.

Os testes são feitos pelo CITEVE, que coloca este selo em todas as máscaras validadas. O CITEVE é um centro tecnológico sem fins lucrativos de inovação e desenvolvimento da indústria têxtil, e a ceritificação que passam está de acordo com as orientações da Infarmed e da DGS.

Para além das farmácias, parafarmácias e hipermercados, onde António Costa garante que as máscaras vão estar acessíveis, existem várias empresas e vendedores independentes que produzem máscaras certificadas. Na Lista de Máscaras Comunitárias Aprovadas pelo CITEVE, que se encontra em atualização permanente, pode encontrar várias opções disponíveis para venda. Pode também encontrar as especificações de cada máscara – algumas são de uso único, enquanto outras são reutilizáveis. O CITEVE tem também uma lista com outros dispositivos de proteção aprovados.

Máscaras MOxAdTech

Outra opção são as máscaras reutilizáveis e feitas em Portugal disponibilizadas pela Sonae Fashion em conjunto com a comunidade científica, nomeadamente o CITEVE, o Instituto de Medicina Molecular da UL e a Universidade do Minho.

Trata-se de uma máscara têxtil anti microbiana inovadora, desenhada e fabricada em Portugal. Desenvolvidas em têxtil técnico com várias camadas distintas, as máscaras são repelentes à água e confortáveis.

A máscara MOxAdTech para crianças está disponível em azul-escuro com desenhos, azul claro e salmão, por 10 euros, nas lojas físicas MO e através do site da MO.

Máscaras Solidárias Fundação Infantil Ronald McDonald

Ajustando-se à situação atual de COVID-19, a coleção de presentes solidários da Fundação Infantil Ronald McDonald inclui agora máscaras reutilizáveis adequadas a contextos de interação social. Estão disponíveis para compra e encomendas online, e revertem para as famílias que continuam a ser apoiadas pela Fundação nesta fase de pandemia.

As máscaras solidárias são confecionadas manualmente e são constituídas por três camadas de proteção, uma de tecido 100% algodão e duas em TNT (Tecido Não Tecido, o material usado em ambiente hospitalar), integrando-se na categoria 3 da DGS, enquanto máscaras não-cirúrgicas, comunitárias ou de uso social.

Disponíveis em tamanhos mini, júnior e adulto, com divertidos padrões estampados e lisos, as máscaras solidárias podem ser adquiridas através do email [email protected] e a partir do website da Fundação, por um valor de 3€/unidade (mais portes de envio) e prazo de entrega de 1 a 2 semanas.

Quando e como usar as máscaras de proteção de forma segura?

Máscaras de proteção COVID-19 que tipos existem e onde comprar

Devemos usar máscaras de proteção nas seguintes situações:

  • Todos devemos usar máscaras de proteção sempre que estejamos fora de casa ou em contacto com pessoas fora da nossa bolha (por exemplo, uma família que vive junta é uma bolha; os avós que vivem noutra casa não fazem parte da bolha, pelo que devem usar máscara se estiverem com eles)
  • Profissionais de saúde, pessoas com sintomas respiratórios e todos aqueles que circulem em instituições de saúde, não só usam máscaras como luvas, fatos e viseiras para proteção acrescida.
  • Outros profissionais, cujo trabalho não permita o distanciamento social, devem usar máscara cirúrgica e outros dispositivos de proteção individual, como é o caso de luvas e viseiras. Neste grupo estão os distribuidores de bens, profissionais de atendimento ao público e outros.

Mas não basta usar máscaras de proteção. Devemos ter outras precauções!

A máscara é uma medida de proteção adicional – sozinha, não é suficiente para nos proteger a nós e aos outros, e usada de forma errada pode agravar os riscos de transmissão de infeção. Assim, devemos ter outros cuidados para uma proteção eficaz contra o vírus. A DGS aconselha:

  • Usar a máscara corretamente: cobrir o nariz e o queixo e garantir que não há espaços abertos entre a máscara e a pele. Lavar as mãos antes e depois de retirar a máscara e removê-la (não baixar simplesmente) quando não precisar de a usar.
  • Distanciamento social: manter uma distância de segurança das outras pessoas (2 metros) e evitar locais com concentrações.
  • Higiene das mãos: lavar as mãos com sabão frequentemente e usar desinfetante quando tal não for possível. Evitar levar as mãos ao rosto. Também é importante higienizar com frequência objetos e espaços usados regularmente.
  • Etiqueta respiratória: tossir e espirrar para o interior do cotovelo ou para um lenço de papel e longe de outras pessoas, desinfetando e lavando as mãos assim que possível. Usar lenços de papel para se assoar, deitando-os fora de imediato e lavando as mãos.

Também vos pode interessar:

2 comentários em “Máscaras de proteção COVID-19: que tipos existem e onde comprar?

  1. Manuela Soares Junho 20, 2020

    Muito útil ! Informação muito importante apresentada de forma clara ,bem organizado ,bem fundamentada.
    Uma ajuda preciosa!

    1. Dani Gonçalves - Equipa Pumpkin Junho 22, 2020

      Obrigada pelas palavras, Manuela!
      Continuaremos a fazer o nosso melhor.

      Saudações abobrinhas 🙂

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<