Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

Abóbrinhas com dói-dói: Cuide de si!

Abóbrinhas dói-dói: Cuide si

Para garantir a segurança e a saúde do seu filho, em primeiro lugar tem de ter atenção à sua saúde como nos explica a Oficina de Psicologia.

Não pense que cuidar de si não é uma prioridade! É crítico em qualquer situação e, em tempos de stress e que exigem disponibilidade emocional, mais ainda.

As abóbrinhas são especialmente exigentes, emocionalmente e em tempo requerido, quando estão doentes. Por isso, saber poupar-se, manter a tranquilidade, reservar tempo para relaxar um pouco e salvaguardar o seu bem-estar são tudo coisas absolutamente indispensáveis para conseguir estar disponível para o seu filho.

Olhe em volta e recrute todas as pessoas que o possam ajudar na tarefa de cuidar do seu filhote ou nas outras suas tarefas que ficam por fazer por estar dedicado ao acompanhamento da abóbrinha com dói-dó. Somos todos interdependentes, pelo que temos de ser capazes de pedir ajuda, sempre que necessário.

Aprenda a estabelecer prioridades e a dizer “não” a tudo o que fique acima do seu limiar de conforto – não é possível ter um filho doente em casa e manter todas as responsabilidades habituais, por isso, vai ter de fazer cedências e terá, também, de recusar algumas tarefas até que possa retomar o seu dia-a-dia habitual.

E vai cansar-se mais, porque os pequenitos consomem muita energia dos seus cuidadores quando estão doentes, por isso, convém defender bem o seu tempo para quetambém possa descansar mais.

Finalmente, lembre-se que a tolerância é uma atitude sem destinatário:

Se consegue ser tolerante para com a maior exigência do seu filho nesta fase de mal-estar, também poderá aplicar a tolerância a si mesmo, sabendo que, tal como ele, também poderá estar impaciente, aflito e sem energias.

Use o mesmo carinho que dedica ao seu filho para cuidar de si também. Afinal, o carinho é inesgotável, gratuito, amplamente disponível e, sobretudo, sabe bem a miúdos e a graúdos, por igual.

Fique bem e as melhoras rápidas!

 

Equipa Infanto-Juvenil

Oficina de Psicologia