Míudos em casa? Saiba como tratar da saúde oral das crianças - Pumpkin.pt

Míudos em casa? Saiba como tratar da saúde oral das crianças

Míudos em casa? Saiba como tratar da saúde oral das crianças

Esta é uma ótima fase para que os nossos meninos aprendam da maneira correta, adotem e interiorizem os bons hábitos de higiene oral.

Quando desejámos “estar mais tempo com a família” ao comer as doze passas durante a contagem decrescente naquela que é a última do ano, claro que nunca nos passaria pela cabeça que 2020 nos concedesse essa resolução de ano novo de forma tão retorcida.

Mas eis que no passado mês de Março, pela voz dos nossos representantes nacionais, é dado o comando de que “Temos que ficar em casa!”.

Em teletrabalho, de férias, em quarentenas obrigatórias ou simplesmente para dar apoio às crianças que viram as suas escolas fechadas, deixámos a normalidade do nosso dia-a-dia, tendo apenas permissão para sair de casa em alturas de verdadeira necessidade.

Isto porque um maldito organismo nanométrico surge e alastra-se com a capacidade de nos roubar a nossa saúde e a nossa liberdade deixando-nos, assim, confiados a uma quase prisão domiciliária.

E talvez a maior parte de nós não tenha razões para se queixar dos seus companheiros de cela, contudo quem tem seres humanos em miniatura em casa, por vezes, depara-se com alguns momentos de profundo desespero.

Há-que ter pulso firme mas claro aproveitando aquilo que de bom esta quarentena pode ter. Porque se há algo que esta pandemia nos ensinou, é que sem darmos conta temos muito para ser felizes e que essa felicidade se vê nas pequenas coisas.

Mas voltemos aos nossos pequenos monstrinhos, pois é deles que iremos falar, mais concretamente da sua saúde oral e de como a manter ou evitar problemas durante esta época de confinamento obrigatório.

Apesar de ser uma altura em que a preguiça e o conforto se podem instalar é importante, dizem os especialistas, manter as nossas rotinas e os bons hábitos, para bem da nossa saúde mental e física. No âmbito concreto da saúde oral nas crianças, esta é então uma ótima fase para que os nossos meninos aprendam da maneira correta, adotem e interiorizem os bons hábitos de higiene oral.

A Dra. Rita Rodrigues, responsável por Estética Dentária e Odontopediatria na Clínica MINT Lisboa, partilha conselhos muito importantes.

Escovagem

Deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia, uma delas obrigatoriamente antes de deitar, durante, no mínimo, 2 minutos, o tempo de cantar os parabéns. De acordo com a autonomia da criança, a escovagem é feita com a ajuda dos pais ou apenas com a sua supervisão. Quando necessária intervenção, o pai ou mãe devem faze-lo de frente para o espelho para que a criança possam perceber onde falhou.

Vejamos mais alguns pormenores, por idades:

  • Até aos 6 meses, apesar de não terem ainda nenhum dente, os pais podem já lavar as gengivas do seu bebé, massajando-as com uma gaze humedecida com água ou com uma dedeira de silicone;
  • Dos 6 meses até aos 2,5-3 anos, com a erupção dos dentes de leite, começa-se a introduzir a escova, pequena e macia, para limpeza mecânica das superfícies dentárias;
  • Dos 3 anos até aos 5-6 anos, com a dentição temporária completa, introduz-se a pasta de dentes em quantidades correspondentes ao tamanho da unha do dedo mindinho da criança, mas apenas quando esta já tem a noção que não pode engolir e que tem que cuspir a pasta;
  • Aos 6 anos aparecem os primeiros dentes definitivos, atrás dos dentes de leite, sem que caia nenhum destes. É necessário ter especial atenção pois são dentes que podem reter mais restos alimentares e poderão ficar esquecidos na escovagem;
  • Dos 6 anos até aos 12 anos, na dentição mista, a vulgarmente chamada fase de troca de dentes, a criança começa a ganhar a sua autonomia. A quantidade de pasta pode ser aumentada do tamanho de uma ervilha até 1cm.
  • A partir dos 12-13: Já com todos os dentes permanentes, excepto os sisos, e completamente capazes para fazerem a sua escovagem diária, o papel dos pais devem incidir no incentivo da realização do fio dentário.

Fio Dentário

A utilização do fio dentário requer alguma técnica e destreza manual que apenas por volta dos 8-10 anos se adquire. Até essa idade os pais poderão faze-lo pelos seus filhos, a partir do momento em que existem contactos apertados entre dentes lado a lado. É essa a zona de atuação do fio, entre os dentes, onde a escova não chega.

Alimentação

Se até os adultos parecem ter mais fome e mais desejos durante a época de quarentena, atenção aos ataques ao frigorífico pelos mais novos. É importante continuar a manter uma alimentação saudável, controlando a quantidade de doces e sobretudo a sua frequência. Especial atenção às amêndoas e ovos da Páscoa. É a altura deles e não vale a pena interditá-los, contudo é preciso saber racionalizá-los e quando for para comer é preferível que seja uma vez, entre refeições, do que andar todo o dia a depenicar.

Hábitos

Este confinamento em casa pode ser também muito útill para que gradualmente se consigam eliminar certos vícios, nocivos para a saúde oral e para um bom crescimento e alinhamento dentário.

Eis alguns exemplos de hábitos a erradicar:

  • Chupetas: Até aos 3 anos têm que deixar de existir, sob pena de influenciar o correto alinhamento dos dentes ou até o desenvolvimento dos maxilares; e se, por vezes, é colocado algo doce neste tranquilizante de bebés pior ainda, pois aumenta o risco de cárie dentária, que sim acontece mesmo nos dentes de leite.
  • Biberons: O famoso leitinho antes de dormir é algo que a partir do primeiro ano de vida convém ser a pouco e pouco abolido. Misturar quantidades crescentes de de água pode ser um bom truque para deixar este hábito.
  • Roer as unhas e chuchar no dedo ou na língua: são vícios também a eliminar a fim de garantir o correto desenvolvimento maxilar e dentário.

Médico Dentista

Como em muitos sectores da nossa sociedade, a medicina dentária está suspensa, estando apenas os seus profissionais possibilitados de exercer a profissão em telemedicina ou em situações de urgência e inadiáveis. Controlos e check-ups serão realizados apenas quando o mundo voltar a um novo estado de normalidade, que há-de acontecer e esperemos brevemente.

É essencial que, quando dermos a volta, leve as suas crianças a visitar o médico dentista, para que se possa avaliar a sua condição oral e realizar os tratamentos que sejam necessários. Importa relembrar que a partir dos 3 anos, os nossos meninos devem ir periodicamente ao médico dentista por forma a controlar e prevenir problemas orais logo desde os primeiros dentes.

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *