Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

Como ajudar as crianças a vencer o medo de ir ao médico?

Como ajudar as criancas vencer medo ir médico?

É frequente os filhos pequenos, especialmente aqueles que tiveram experiências mais dolorosas com hospitais e médicos, desenvolverem uma atitude de rejeição na hora de ir ao médico, fazendo até birras daquelas embaraçosas na sala de espera, ficando num sofrimento que para qualquer pai ou mãe é difícil de suportar.

Compreenda o medo do seu filho: A figura do médico, de bata branca, com instrumentos desconhecidos, que mexe na criança, por vezes até surge com uma agulha e que na maioria das vezes é visitado quando a criança está doente, podendo associá-lo ao mau-estar por uma gripe, constipação, febre e nos primeiros tempos não fazer a ligação correcta entre causa e efeito.

O médico em muitos casos não é a personagem que mais faz sorrir os mais pequenos. Desde pequenos, mas especialmente a partir dos 3 anos em que começam com mais facilidade a expressar as suas sensações físicas, doenças, dores, é um óptimo momento para que o médico possa ser visto como um aliado para ajudar na recuperação de uma constipação ou de uma alergia que dá muita comichão.

 

Como ajudar as crianças a vencer o medo de ir ao médico?

Os pais são figuras fundamentais na forma como a criança pode encarar o médico e como pode suportar e compreender o alívio que vem da ida ao médico.

Para os ajudarmos a vencer o medo do médico e as sensações desagradáveis que a ida ao hospital ou médico envolve, podemos construir em casa um mini-hospital, podendo criar situações de ida ao médico, alternando entre o pai que faz de médico ou a mãe e a criança que faz de pai e leva o filho (boneco) ao médico e depois o contrário.

Neste jogo faz-de-conta a criança tem a oportunidade de experimentar, estar e ser as diferentes personagens e ao mesmo tempo observar modelos adequados na ida ao médico, verbalizando os receios enquanto doente, mas devagarinho ir mostrando que consegue com a ajuda do médico e do “pai” (neste caso a criança) comportar-se à altura do desafio e vencer o medo da ida ao médico, exibindo estratégias que a ajudarão a ser capaz e a compreender a importância e a vantagem do médico.

Quando a criança faz de doente, ir elogiando cada vez que ele consegue vencer o medo, aceitar ficar quieto a pedido do “médico” e colaborar com o que lhe é pedido.

Nesta fase de desenvolvimento, com grande recurso à fantasia e ao jogo simbólico a estratégia mais eficaz é a criação deste universo imaginado, de situações encenadas em que se entra no mundo da criança e se experimenta com ela as suas dúvidas, receios e preocupações, em vez de negar que elas existem e que vão passar.

É preferível “lutar” contra elas, assumindo que as mesmas existem e que é possível derrotá-las; em caso algum desvalorize as preocupações do seu filho ou mostre que as acha disparatadas.

Transmitir confiança, ensinar estratégias para lidar com estes sentimentos negativos numa perspectiva de jogo e brincadeira imaginada e o suporte e apoio dos pais são peças essenciais para que neste caso, o medo do médico seja vencido.

É uma actividade que permite ao seu filho superar os seus medos, fortalecer a sua auto-estima e o vínculo com os pais.

E que tal uma ida ao “hospital” lá de casa? Só a brincar 🙂

 

Rita Castanheira Alves

Coordenadora da área MindKiddo, área infanto-juvenil e familiar da Oficina de Psicologia