Família > Sãos e salvos > Saúde infantil

Brincadeiras para abóbrinhas com dói-dói

Brincadeiras abóbrinhas dói-dói

É bastante comum que as abobrinhas fiquem impacientes quando estão doentes, por isso é necessário animá-las. Há imensas brincadeiras mais calmas ideais para estes momentos. A Oficina de Psicologia ensina-nos as melhores.

A distração é uma estratégia possível quando não nos sentimos bem.

Repare em si próprio: se tiver uma aflição, física ou emocional, e se distrair a falar com amigos ou a trabalhar ou numa tarefa qualquer do seu agrado, o tempo passa mais rápido e é como se o volume do desconforto baixasse umpouco.

Com as crianças isto é igualmente válido, com uma vantagem acrescida: são muito mais fáceis de distrair! Mesmo com as limitações impostas pela doença, podem ser feitas adaptações às brincadeiras favoritas. Contudo, a sua abóbrinha vai cansar-se mais rapidamente e vai estar mais inquieta, com níveis de atenção diminuídos.

Por isso, vai ter de reparar nos sinais de cansaço que ela vai dando e ajustar quer o nível de exigência das brincadeiras, quer o tempo.

Será melhor contar com várias distrações diferentes e menos tempo com cada uma, para que ele não se canse tão depressa.

Brincar com a sua abóbrinha quando ela está adoentada cumpre duas funções: por um lado, cria uma distração que ajuda a diminuir o desconforto próprio da doença e, por outro, representa um tempo de qualidade e carinho de que ela tanto precisa, e aprecia, para se confortar do dói-dói.

Deixamos-lhe algumas sugestões práticas:

  • Aproveite estes momentos para fazer as brincadeiras preferidas da abóbrinha: fazer jogos de construções e puzzles, ouvir música, ler histórias, fazer plasticina, dizer lenga-lengas, desenhar, fazer recortes e colar…

  • Criem e experimentem brincadeiras que não é habitual fazerem e que, para além de entreterem, estimulam a criatividade e a curiosidade…

  • Fantoches de dedo. Transformem luvas em animados fantoches, decorando-as com diferentes materiais (marcadores, lã, botões e restos de tecido…). O que surge? Animais aquáticos, piratas e reis, ET e super-heróis, palhaços e malabaristas?

  • Bolachinhas para o lanche. As crianças adoram imitar os crescidos. Porque não colocar o avental e deixar que a abóbrinha seja o ajudante principal da sua cozinha, na preparação de um lanche especial: pesando a farinha, partindo os ovos, mexendo a massa, usando as formas…

  • Caça ao tesouro. Elejam um figura geométrica. Círculo? O que tem a forma de círculo em casa? Pratos, rodas dos carrinhos, porta da máquina de lavar roupa… Ganha quem encontrar mais formas geométricas em casa, num minuto. Podem repetir com várias formas.

  • Brincar com sombras. Façam teatros de sombras, usando uma lanterna e as mãos, num quarto escuro.

  • Emoções. Faça alguns cartões com imagens de pessoas felizes, tristes, zangadas, assustadas… Alternadamente, retiram um cartão e dizem uma situação que pode levar a alguém a sentir-se daquela forma e, quando se justifique, o que se poderia dizer ou fazer para ajudar aquela pessoa a sentir-se melhor.

 

As melhoras acompanhadas de muitas brincadeiras!

 

Oficina de Psicologia