Família > Lifestyle > Solidariedade

Vamos todos ajudar Moçambique?

Ciclone Idai - Moçambique

Foto: Denis Onyodi (IFRC/DRK/Climate Centre)

Várias são as iniciativas que estão a decorrer para ajudar a população de Moçambique afetada pelo ciclone Idai. Saiba quais são!

No passado dia 14 de março, Moçambique foi invadido pelo ciclone Idai, que afetou especialmente a cidade da Beira, a quarta maior cidade de Moçambique, destruindo cerca de 90% do seu território e deixando 400 mil pessoas sem casa.

Até agora foram registados 468 mortes, sendo que muitas pessoas continuam desaparecidas.

Como ajudar Moçambique?

Esta catástrofe natural desencadeou uma onda solidária para com os habitantes e sobreviventes, já que a maioria ou ficou sem casa, ou não têm acesso a bens essenciais, como comida e medicamentos. Isto já para não falar da enorme probabilidade de se gerarem epidemias, como é o caso da malária e da cólera, que é muito alta nestes casos.

“É importante termos consciência de que vamos ter cólera, malária, já temos filária, e vai haver diarreias. O trabalho está a ser feito para mitigar” os surtos, destacou o ministro da Terra e Ambiente de Moçambique, Celso Correia, em conferência de imprensa no centro de operações de socorro instalado no aeroporto da Beira, avançou a agência noticiosa Lusa.

Para minimizar os efeitos destas doenças que se começam a fazer sentir (já surgiram casos confirmados de cólera e malária), em Portugal, as iniciativas solidárias são cada vez mais e tomam as mais diversas formas.

Formas de ajudar

1. Contributos financeiros

  • Operação Embondeiro

Cruz Vermelha Portuguesa estava a solicitar a entrega de alimentos enlatados na sede da Cruz Vermelha Portuguesa, em Lisboa, até ao dia 19 de março.

Contudo, a partir desse dia, solicitaram na sua página que mobilizou de imediato a ajuda para o povo moçambicano pode ler-se:

“Não estamos a aceitar alimentos, roupas ou bens de outra espécie para Moçambique

Apelamos ao donativo de fundos de modo a garantir que a ajuda humanitária chegue de forma rápida e eficiente às comunidades afetadas”.

Esclareceram ainda que o objetivo deste apelo à doação de verbas destina-se a conseguir realocar as pessoas, construir abrigos, reconstruir o saneamento e a distribuição de água potável, algo que é bastante urgente até para minimizar o efeitos das epidemias que já se começam a fazer sentir.

Para poder ajudar, a entidade solicita que, quem puder, faça uma transferência bancária para o IBAN PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4, ou que faça um pagamento de serviços no multibanco utilizando a Entidade 20999 e Referência 999 999 999.

  • RTP e Antena 1 dedicam dia a Moçambique com emissões especiais

No dia 2 de abril, a RTP e a Antena 1 juntam-se numa iniciativa que promete uma emissão exclusivamente dedicada a esta causa, entre as 10 h e as 24h. Durante a emissão irão estar disponíveis várias linhas telefónicas para os quais o espectador possa contribuir com o valor da chamada de valor acrescentado. De acordo com um comunicado emitido pelas entidades de comunicação social, irá ainda haver um call center para esclarecer e ajudar as pessoas que querem doar mais do o valor da chamada.

  • “Apoiar Moçambique”

A SIC, o Expresso e a SIC Esperança lançaram a campanha ‘Apoiar Moçambique’, à qual se juntaram outras empresas como a Wells, as Águas de Portugal, o Grupo Lusíadas Saúde e a EDP. Esta ação tem como objetivo angariar fundos de forma a ajudar, financeiramente, a reconstruir a cidade devastada pelo ciclone. Para poder contribuir, basta ligar para a linha solidária 760 10 30 10, até ao próximo dia 29. A chamada tem o custo de 60 cêntimos. Além disso, pode ainda efetuar uma transferência bancária para o IBAN PT50 0010 0000 5352 8870 0012 0). O valor angariado será entregue à associação APOIAR.

2. Onde deixar alguns bens essenciais

  • Ação “Lisboa Abraça Moçambique”

De acordo com o Jornal Económico, a “Câmara Municipal de Lisboa lançou a ação solidária ‘Lisboa Abraça Moçambique’ e convida os portugueses a entregarem os seus donativos num dos 11 pontos de recolha oficiais”.

Os pontos de recolha são nos quartéis do regimento de Sapadores de Bombeiros da cidade de Lisboa:

– Carlos I; Martim Moniz; Graça; Defensores de Chaves; Santo Amaro; Parque Monsanto; Alvalade; Benfica; Marvila; Encarnação; Alta de Lisboa.

De acordo com as autoridades moçambicanas, os donativos mais prioritários são:

– medicamentos, com especial foco para os que tratam infeções gastrointestinais e analgésicos;

– produtos alimentares enlatados com período de validade prolongado;

– produtos para o tratamento de água;

– produtos de higiene pessoal e limpeza de instalações.

3. Outras formas de ajudar

  • Concerto solidário ‘Mão dada a Moçambique’

Ainda no dia 2 de abril, vários artistas – ao todo, serão 46 – se juntam para ajudar Moçambique a superar a destruição causada pela catástrofe natural num concerto solidário. Entre eles, pode contar com nomes como os das fadistas Ana Moura e Gisela João, os cantores Legendary Tigerman, Rita Redshoes, Rodrigo Leão, Dino D’Santiago, Sara Tavares, Conan Osiris e Salvador Sobral. O espetáculo terá lugar no Capitólio, em Lisboa, e os valores dos bilhetes terão um custo entre 20 e 30 euros, sendo que este valor reverte na sua totalidade para as associações parceiras da iniciativa (AMI – Fundação de Assistência Médica Internacional; Cáritas Portuguesa; Cruz Vermelha Portuguesa; Médicos Sem Fronteiras; Associação HELPO; Fundação Girl Move, a ACRAS – associação cristã de re-inserção e apoio social e a Iris Relief).

Se não poder estar presente no concerto, mas ainda assim queira contribuir, saiba que existe a opção de adquirir um bilhete-donativo.

  • Revista Visão lança revista “Moçambique no Coração”

Nem a revista Visão ficou indiferente a esta calamidade. Para poder contribuir e ajudar o país “irmão” colocou nas bancas, 36 horas após a data do acontecimento, uma edição especial dedicada à tragédia no país lusófono. A revista custa 2,5€ e o montante recebido será doado à Missão Cruz Vermelha em Moçambique.

  • O mundo do futebol não ficou de fora e organizou jogos cujas receitas da bilheteira revertem para a causa

O clube Sport Lisboa e Benfica está a “comandar” uma recolha de alimentos para enviar para Moçambique, e cujo transporte será assegurado pelo Benfica, segundo o Record. Os bens podem ser entregues em qualquer Casa do Benfica de todo o território nacional. Já no Estádio da Luz, estes serão recolhidos e armazenados entre o dia 27 e o dia 31 de março.

– No dia 30 de março, disputa-se o Troféu Vicente Lucas entre as equipas femininas de futebol do Sporting e do Benfica. O jogo vai decorrer no Estádio do Restelo, em Lisboa, às 16 horas e que será transmitido na TVI. Nesta iniciativa, designada por “Os Belenenses por Moçambique”, terá um custo de 2,5€ e as verbas serão doadas na totalidade para as associações que se encontram no terreno a ajudar as pessoas que sobreviveram à catástrofe natural.

– Também no dia 3 de abril, o Sporting Clube de Portugal defronta o Benfica para a Taça de Portugal, e, nesse mesmo dia, vai levar a cabo uma ação de recolha de bens, que serão entregues à Cruz Vermelha Portuguesa. Se não conseguir ir até ao estádio, existem outros dois pontos de recolha: no Multidesportivo, entre 20 de março e 05 de abril, das 08h às 23h; na Fundação Sporting, entre 20 de março e 05 de abril das 10h00 às 18h00 (de segunda a sexta-feira).

– Também as receitas da bilheteira da 28 º jornada da Liga, entre o Vitória de Guimarães e o Desportivo de Chaves, a decorrer no dia 7 de abril, revertem a favor desta causa. Se tiver um lugar anual, comprado no início da época e que lhe dá acesso a todos os jogos, pode sempre comprar um bilhete que terá o papel de um simples (mas muito importante) donativo.

Ajudar não custa e se todos dermos o que podermos e nos juntarmos nesta causa tão nobre, podemos fazer a diferença e melhorar a vida de muitas famílias e crianças!

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *