Família > Lifestyle > Miúdos com estilo

Especial fotografia – Filipa Lancastre / Babyface

Especial fotografia - Filipa Lancastre / Babyface

Nome: Filipa Lancastre Serpa Pinto

Website: www.fotobabyface.com

FB: www.facebook.com/fotobabyface

Email: foto.baby.face@gmail.com

Zona do país onde fotografa: Lisboa-Cascais/ Madrid

Tem filhos? De que idades? Sim. “Emprestados”: Gonçalo 16, Zé Maria, 13. “Da minha barriga”: Teresa 7, Manuel 5, Margarida 2

 

Como é que a fotografia entrou na sua vida?

Parece estranho que uma engenheira, ex-consultora de estratégia de empresas venha algum dia a ser fotógrafa! Foi sobretudo com os meus filhos que comecei a dedicar-me mais à fotografia, mas só quando nasceu a minha terceira filha é que decidi levar a fotografia mais a sério. Nessa altura, tínhamos mudado recentemente para Madrid por razões profissionais do meu marido. Decidi deixar a minha carreira professional para ficar em casa com as crianças e assim tive tempo para me dedicar a uma área que sempre gostei.

 

Em que momento decidiu que queria ser uma fotografa profissional e não apenas encarar a fotografia como um hobby?

Num primeiro momento, quando comecei a tirar o curso de fotografia, ainda encarava a fotografia como um hobby. Depois de tirar o curso básico de fotografia, gostei tanto que resolvi continuar: tirei o curso de fotografia intermédio e finalmente o curso de fotografia profissional e de edição fotográfica em photoshop. Nessa altura, já me passava pela cabeça fazer algo mais com os meus conhecimentos do que fotografar apenas os meus filhos, mas ainda estava longe de pensar que poderia ser uma profissão à séria! Foi quando comecei a fotografar por graça filhos de amigos que me fui convencendo – ou me foram convencendo – que podia transformar a fotografia num negócio.

Um fotografo de famílias passa muitos fins de semana a trabalhar. Consegue manter um bom balanço entre a vida profissional e a vida familiar?

É verdade que há mais procura pelas sessões durante o fim-de-semana, mas raramente trabalho mais do que meio dia ao fim-de-semana. Para mim, é fundamental conseguir manter este esquema. Desde que estou casada que os fins-de-semana são sagrados: o meu marido, que tem uma vida bastante complicada de trabalho, sempre teve a regra de que ao fim-de-semana não se trabalha, regra que eu considero muito saudável. Penso que, pelo facto de eu hoje em dia ter muita disponibilidade para os filhos durante a semana, não nos faz tanta confusão que dedique algumas horas do fim-se-semana à fotografia, porque realmente me diverte imenso, mas mais do que isso tento mesmo que não aconteça.

 

Grávidas, casais, recém nascidos, crianças, adolescentes, jovens… quais os seus motivos preferidos para fotografar e porquê?

Comecei por me dedicar à fotografia de bebés e crianças, com ou sem os Pais – as crianças felizes a brincar e os bebés recém nascidos foram a minha primeira inspiração. Com o tempo, fui aceitando novos desafios: grávidas, jovens, colecções de roupa, etc e hoje em dia confesso que não tenho uma preferência clara. Faço com gosto qualquer tipo de sessão J

 

Que prefere: fotografia em estúdio, dentro de casa das famílias ou ao ar livre?

Para sessões com crianças, não tenho dúvida: os espaços exteriores resultam muito melhor! Primeiro, porque as crianças sentem-se mais à vontade para brincar e são muito mais espontâneas e naturais num parque, numa praia ou num jardim, do que num estúdio – um aspecto importantíssimo para quem gosta de fotografias pouco posadas ou estudadas. Segundo, porque os cenários exteriores são mais interessantes e contribuem para a diversidade da composição fotográfica. Terceiro, porque a luz natural é de longe a melhor luz para fotografar crianças. Dito isto, em sessões com recém nascidos, proponho naturalmente que sejam feitas ou em casa ou na maternidade, porque é muito mais cómodo e confortável para o bebé e para os Pais. Nestas sessões, também não há necessidade de tanto espaço para correr como numa sessão com crianças e podemos compor um cenário simples e confortável em qualquer sítio desde que haja luz natural suficiente.

 

É importante as famílias prepararem alguma coisa para cada sessão? Devem trazer algumas roupas especiais? Que conselhos lhes costuma dar?

Os preparativos são muito importantes para uma sessão fotográfica, para conseguir um resultado mais professional. Costumo enviar um email com várias sugestões de preparativos antes da sessão, que inclui não só ideias quanto à roupa, mas também quanto à maquilhagem, ao cabelo, às mãos… inclui até questões menos óbvias, tais como dar banho e alimentar os bebés antes da sessão, para que estejam mais calmos!

 

Se o dia estiver horrível ou as crianças estiverem em dia não, como gere isso – dá para marcar para outro dia?

Já aconteceu apanhar dias de chuva quando tenho sessões marcadas e naturalmente consegue-se encontrar novas datas para a sessão. Lembro-me de pensar que deveria ser frequente encontrar situações em que as crianças fizessem birras ou que estivessem menos cooperativas, mas de facto, isso nunca foi impeditivo de realizar uma sessão. Não é de todo frequente, mas quando isso acontece, tenho resolvido simplesmente dando alguns minutos à criança para se acalmar, sem nenhum tipo de pressão. É raro que as crianças, estando com as pessoas que mais gostam – os Pais, Avós, etc –  e num jardim a brincar, estejam maldispostas e qualquer birra é rapidamente resolvida!

 

Uma ideia gira para festas é ter photo booths, cenários e adereços para crianças e adultos se divertirem para a objectiva.  Já experimentou? Que acha?

A minha preferência, sempre que possível, é um cenário natural, para conseguir capturar a espontaneidade das crianças. Fujo sempre que posso das poses, por isso a recriação de cenários “artificiais” não é tanto o meu género… Quando não é de todo possível um cenário natural, prefiro a ausência de cenário, isto é, fotografar com um ecrã branco atrás e depois editar/ acrescentar alguns elementos à fotografia em edição, como é o caso dos Postais que fiz no Natal ou agora mais recentemente para o Dia da Mãe, fotografados em eventos com limitações de espaço e de cenário.

 

Tenho visto alguns workshops de fotografia de família e até já participei num. É útil aprender umas dicas para fotografar as crianças sem ficarem tremidas, escuras e sem graça nenhuma. Já organizou algum workshop?

Ainda não, mas não é nada que não me tenha passado pela cabeça! Tenho várias pessoas que já me desafiaram para organizar workshops de fotografia, porque seguem os truques de fotografia que publico todas as semanas na página da Baby Face no facebook. Na verdade, acho que com algumas dicas muito simples é possível melhorar substancialmente a qualidade das fotografias tiradas até com uma máquina fotográfica compacta. Talvez em breve avance finalmente com esta ideia!

 

E para as famílias da Pumpkin, tem algumas dicas?

Primeiro, não deixem escapar e registem cada etapa dos vossos filhos. As crianças crescem num instante e rapidamente nos esquecemos de como eles eram, não só fisicamente, mas sobretudo das graças, das brincadeiras, dos miminhos,…

Segundo, se tiverem oportunidade, procurem melhorar os vossos conhecimentos de fotografia – alguns truques muito práticos fazem toda a diferença!

Uma fotografia é um presente que fica para sempre 🙂

 

Finalmente, pode mostrar-nos as suas fotos preferidas e dizer-nos porque têm tanto significado?  

 

Filipa Lancastre Baby Face

 

Filipa Lancastre- Baby Face

 

Filipa Lancastre- Baby Face

 

Filipa Lancastre- Baby Face

 

Filipa Lancastre- Baby Face