Família > Lifestyle > Festas e férias

Como podem as famílias gerir o stress das férias de verão?

férias sem stress

Hoje em dia, as férias de verão em que os miúdos não têm escola podem ser um verdadeiro motivo de stress para muitas famílias.

Junto de pais, professores e até mesmo nas redes sociais é possível ler imensas partilhas sobre o quanto todos se sentem preocupados sobre as férias: será que vão ser um caos? será que se vão portar mal ou estar constantemente à turras? será que vai querer ir para a praia ou ficar em casa? Onde vou deixar o meu filho quando estiver trabalhar? Enfim, uma data de questões, todas elas válidas para os dias de hoje.

Por isso a Beatriz Pereira do blog Mais Q’ Especial não pôde deixar de partilhar algumas dicas com estes e tantos outros pais para que as férias de verão sejam muito mais tranquilas e alegres do que aquilo que poderiam imaginar! Porque as férias de verão são ótimas oportunidades para criar memórias felizes da nossa vida e das crianças!

Não sofrer por antecipação

Isto envolve planeamento e organização antes das férias chegarem e também envolve capacidade para parar, respirar fundo e procurar soluções mantendo a calma. Quanto mais sofrerem por antecipação, mais problemas irão surgir e mais bloqueados irão sentir-se na procura por soluções. Muitos pais já começam as férias cansados só de pensar no que fazer, onde ir ou não ir. E isto tira a oportunidade de aproveitarem muitos momentos de qualidade em família.

Organizar com a criança semana a semana

Peçam a sua colaboração para fazer um calendário das férias! A criança vai adorar e vai sentir-se valorizada, mais responsável, com maior iniciativa em colaborar e ser autónoma no seu dia-a-dia. Muitas crianças quando não sabem o que esperar dos dias que se seguem, ficam mais frustradas, a procurar mais a atenção do adulto ou a inventar o que fazer…e muitas vezes, estes comportamentos e sentimentos podem levar a alguns conflitos.

Saber manter a calma

Não se foquem apenas nas birras, nos “amuos”, nas mini-lutas com os amigos ou primos fruto de um maior convívio entre crianças. Tentem sim ser assertivos nesses momentos, dialogar com a criança sobre o que aconteceu e ajudá-la a pensar sobre o que poderia ter feito de diferente sem gritos ou palavras que humilhem a criança.

Se queremos que aprendam os melhores comportamentos, é preciso ensiná-los  isso mesmo. Mostrar-lhes como se faz, acompanhá-los nas primeiras tentativas e mostrar sempre que, independentemente de tudo, estão lá para ela. Muito de vós vão dizer: mas eu faço isso! Será que faz com a confiança e assertividade? Será que já perguntou à criança o que ela pode estar a precisar ou a sentir? É importante colocarmos-nos no lugar da criança, observar os antecedentes e os comportamentos da criança.

Respeitem o espaço da criança

Se alguém decidisse sempre tudo em relação ao vosso dia, as pessoas com quem iriam estar ou o lugar onde iriam, como se iriam sentir? Não sei se muito bem…eu não ia. O mesmo acontece com a criança, dêem-lhe opção de escolha para que também sinta que tem poder de decisão e que faz parte da equação a sua escolha. Coloquem a vossa empatia em prática!

Balanço do dia

No final de todos os dias de férias falem sobre o que fizeram, o que mais gostaram, pintem um desenho, façam um jogo ou conversem simplesmente. Para além disso, sugiro que neste momento de diálogo e maior aconchego partilhem algo que apreciaram na criança para que se desenvolva o seu auto-estima e a sua segurança.

Mesmo com estas estratégias, dias de “caos” fazem e farão sempre parte das férias: são sinal de vida, de movimento, de crescimento também!

As férias são momentos de oportunidade para que as famílias se conheçam ainda melhor, para que todos cresçam e aprendam algo novo uns com os outros. Abracem de coração à larga esta oportunidade, verão que tudo correrá melhor do que poderiam imaginar.