Família > Crescer > Pais em crescimento

Mitos sobre a menstruação

mitos sobre a menstruação

Vamos lá a ver os mitos e a desmistificar!

Muitos são os mitos que ouvimos, há décadas, sobre a menstruação – que quando a mulher está menstruada não deve molhar o cabelo ou tomar banho, que deve ser isolada, que não podem engravidar enquanto estão com o período, enfim… esses e tantos outro. Hoje é dia de desmistificação.

Menstruação

Em 2017, a população mundial feminina era de 3,73 biliões, parte considerável de um total de cerca de 7.5 biliões de pessoas. Estas mulheres vão, eventualmente, em alguma altura da sua vida, passar pela altura em que começam a ter o período (a menstruação) e em que o deixam de ter (a menopausa). A menstruação tende a durar entre 3 e 7 dias, sendo este número variável de mulher para mulher e que acontece a cada 28 dias (nas mulheres com menstruações regulares).

Ainda existem muitos preconceitos na forma como este processo natural do corpo da mulher a pode ou não afetar, o que originou os mitos sobre a menstruação nos quais se acredita um pouco por todo o mundo. Em algumas tribos do Nepal, por exemplo, as mulheres são consideradas “um ser sujo e impuro” nesta altura do mês, chegando mesmo a serem isoladas em locais a que os locais chamam de “cabanas de menstruação”. Várias têm morrido devido a desidratação e por outras causas como subnutrição, entre outras. Daí a importância de desvendarmos muitos dos mitos sobre o assunto. 

Mitos sobre a menstruação

1. Andar descalça em chão frio piora as cólicas menstruais

Apesar da água fria contrair os vasos sanguíneos quando entra em contacto com o corpo e, consequentemente, piorar as cólicas, não existem evidências científicas que o contacto dos pés com o chão frio interfira da mesma forma.

2. Sexo durante a menstruação não engravida

Este é um dos maiores mitos sobre o tema e está perfeitamente atual. Há quem pense que se fizer sexo durante a menstruação não pode engravidar. Ora não é bem assim.

Apesar de, normalmente, a mulher ser menos fértil durante a menstruação, isso pode não se verificar. Dependerá sempre da duração e regularidade ou irregularidade do ciclo menstrual. Normalmente, o pico fértil acontece na fase da ovulação – 12 a 16 dias antes do início do próximo período.

Além disso, os espermatozoides podem viver na zona genital até cinco dias, ou seja, pode ter tempo para coincidir com a ovulação, podendo fecundar o óvulo e dar origem ao início de uma gravidez. E não é só. Ter relações desprotegidas aumenta o risco de contrair uma doença sexualmente transmitida.

No entanto, o sexo, desde que com as devidas precauções, pode ajudar a aliviar as cólicas e, ao atingir o orgasmo, liberta as hormonas liberta endorfinas, ocitocina e dopamina que são conhecidas como as “hormonas da felicidade”, sendo as responsáveis pela melhoria no seu humor.

3. Menstruações sincronizadas

Uma pergunta muito atual e sobre a qual muitas mulheres ponderam é: quando uma ou mais mulheres passam muito tempo juntas é possível que tenham as menstruações ao mesmo tempo?

Muitos são as mulheres que dizem já ter experimentado a “sincronização de período” algures na sua vida, quer fosse em ambiente escolar, profissional ou pessoal.

Este conceito apareceu aparece, pela primeira vez, num artigo científico de 1971 que afirmava que as mulheres que viviam em quartos próximos (colegas de apartamento ou de quarto nos dormitórios da faculdade) ou que eram amigas próximas, experimentaram uma sincronização aumentada da menstruação. Os autores desse estudo justificaram esse acontecimento com a “troca” de feromonas, que acabava por acontecer com essas mulheres passado algum tempo de convivência.

Mas, anos e investigações posteriores começaram a questionar a metodologia do estudo anterior, como deficiências e fatores que os cientistas não tinham contado para fazer a fórmula. Essas tais investigações consequentes revelaram a existência de muitas deficiências na contabilização de fatores que poderiam alterar as conclusões, como o não cruzamento de estudos anteriormente realizados em populações ocidentais e não-ocidentais. Além disso, nenhum outro estudo/investigação ou ensaio conseguiu replicar as conclusões do primeiro estudo.

Nas pesquisas mais recentes, os investigadores acreditam que a sincronização da menstruação não passa de um mito ou uma mera coincidência.

Alexandra Alvergne, professora associada em antropologia biocultural na Universidade de Oxford, no Reino Unido, explicou em declarações à BBC:

“Como seres humanos, nós sempre gostamos de histórias excitantes. Queremos explicar o que observamos por algo que é significativo. E a ideia de que o que observamos é devido ao acaso ou à aleatoriedade não é tão interessante. “

4. Praticar desporto é prejudicial

Há exercícios e exercícios e desportos e desportos. Dependendo do nível de desconforto que sente, opte por um desporto que não tenha um impacto que lhe seja desconfortável. O exercício físico traz inúmeros benefícios ao corpo, como a redução de tensão e de stress, ao libertar endorfinas, as hormonas responsáveis pelo bem-estar. Portanto, não meninas, o desporto não é nada prejudicial, pode até ser aconselhável no caso de sentir algumas cólicas.

5. Os tampões podem romper o hímen

Sendo os tampões maleáveis, a sua entrada na vagina é facilitada. Além disso, o hímen (a marca da virgindade) tem elasticidade e não se rompe assim com a simples colocação de um tampão. Como o sangue lubrifica a vagina a inserção de um tampão não deve ser desconfortável ou causar dor, desde que feito de forma correta – para isso siga os passos da embalagem. Caso continue a ter dores ao colocá-lo use um lubrificante para ajudar. É ainda importante que o troque a cada 4 ou 8 horas, dependendo do seu fluxo e do tamanho do tampão.

6. O tampão pode ficar algures perdido dentro da vagina

O colo do útero está no ponto mais alto da vagina e a sua abertura é demasiado pequena para que um tampão possa penetrar essa “barreira”. Além disso, as vaginas têm aproximadamente 10 centímetros de profundidade e os tampões vêm com cordas, cujo propósito é precisamente ajudar na sua remoção. Portanto, mesmo que ele suba um pouco porque absorveu mais sangue, basta procurar o cordão e puxá-lo devagar.

7. Não se pode lavar o cabelo ou tomar banho

Algumas pessoas acham que tomar banho ou lavar o cabelo durante o período não é seguro, porque a água quente estimula a corrente sanguínea, estimulando o sangramento. Outra teoria é que a água impede que o sangramento saia, não sendo positivo para a mulher.

Ao contrário do que essas pessoas pensam, a água quente é uma ótima aliada às cólicas menstruais e à tensão muscular.

Não há razão para não tomar banho. Aliás, o banho poderá fazê-la relaxar e ajudar a sentir-se mais limpa e mais bem-humorada. Além disso, e de acordo com um estudo que a Medical News Today relatou em 2018, é mais saudável usar água e sabonete suave não diluído para limpar a vulva do que lenços ou outros produtos higiénicos. Tudo isto porque muitos produtos de cuidados íntimos podem perturbar o equilíbrio bacteriano da área genital, facilitando a vida aos fungos e bactérias, o que resulta numa maior probabilidade de ocorrerem infeções.

Veja também:

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *