Família > Crescer > Pais em crescimento

Menino ou Menina?

menino-ou-menina

Foto de Kevin Gent no Unsplash

A história de uma chucha cor-de-rosa e das expectativas que há relativamente aos meninos e às meninas.

“Que menina linda! Como se chama?”

“É um menino e chama-se Simão.”

(cara de espanto, olhos vidrados na chucha cor-de-rosa)

“Ah… ahh… desculpe”

Vamos reboninar. Esta é a história da Susana, do blog Ervilhas & Cenouras, e do seu filho Simão. Mas podia ser a história de tantas mães. É na primeira pessoa que a descobrimos.

Então, como sabem, eu sou mãe de um rapaz: o Simão. E se me seguem no Instagram também já devem ter visto o Simão a brincar com várias coisas: uma pista de comboios, dinossauros, carrinhos, a pintar, na sua cozinha… Ops, um rapaz tem uma cozinha de brincar? E por acaso também tem um chucha (de entre várias) cor-de-rosa. E um nenuco com respectivo carrinho (roxo, btw).

Eu sei perfeitamente que não é comum os rapazes terem estas coisas. Mas tem-me surpreendido imenso o quanto as pessoas ficam admiradas. A ponto de  esquecerem todo e qualquer decoro e exclamarem “Mas isso é de menina!”. A sério que não estava à espera de tanto fru-fru.

Vamos por partes.

1) A famosa chucha cor-de-rosa

Mas nós não temos mais que fazer do que andar a escolher uma chucha “máscula” o suficiente para o nosso filho de 2 anos?  O que é mesmo inacreditável é ver o quanto as pessoas associam tudo o que é cor-de-rosa a meninas. O Simão vai na rua, vestido “à rapaz” (roupa comprada na secção de rapaz), com uma mochila de dinossauros (cliché rapaz), um corte de cabelo curto (não que o cabelo dele dê para muito mais…) e só o facto de haver aqueles 4 cm2  de cor-de-rosa já é uma menina.

Logicamente, não tem mal nenhum ser uma menina *cof cof*. O que tem muito mal é

a) assumirem que há cores que um rapaz não pode usar

b) dizerem isso mesmo ao meu filho. O meu filho usa aquilo que quiser e se naquele dia ele escolheu usar a chucha cor-de-rosa, é o raio-da-chucha-cor-de-rosa-que-ele-vai-usar. Ponto.

2) A cozinha de brincar

No Natal eu e o meu marido comprámos a cozinha de brincar do Ikea para o Simão. Está na nossa cozinha e ele brinca lá enquanto nós cozinhamos, lavamos a loiça, etc.

Não é o tipo de brinquedo com que o Simão ande na rua, portanto não tive que gramar com muitos comentários. Mas houve (e há) uma grande tendência para familiares assumirem que estamos a incentivar o Simão “a ser um chef profissional”. O que por mim era óptimo, mas ninguém diz isso quando as meninas brincam com cozinhas.

As brincadeiras de faz-de-conta a imitar os adultos são essenciais no crescimento. É um problema quando as meninas brincam com cozinhas e aprendem a cozinhar para servirem a família e os meninos fazem-no para iniciar uma carreira remunerada.

Já repararam que, apesar da cozinha ainda ser considerada tarefa feminina, ninguém acha estranho haver tantos chefs (homens) famosos? Porquê? Porque tudo o que é doméstico é visto como feminino, até ao momento em que é remunerado e “profissional” com prestígio e entra no domínio masculino.

3) O nenuco e respectivo carrinho

O nenuco (a “bebé” para os amigos) e respectivo carrinho geralmente ficam-se por casa, mas na quarta-feira sairam à rua em duas ocasiões. Primeiro, o Simão foi à frutaria com o pai e levou a bebé no carrinho a passear. Depois, à tarde, fomos à manifestação do 1.º de Maio e a bebé veio também.

O objectivo de deixar o Simão trazer a bebé no seu carrinho é para incentivá-lo a andar ao nosso lado, em vez de desatar a correr por entre a multidão (#askmehowiknow). Quando ele está focado em empurrar o carrinho e evitar que a bebé caia ao chão, anda mais calmo, não desata a correr e está a brincar, tudo ao mesmo tempo.

As saídas à rua suscitaram reacções, claro. A que ganha o prémio é a do vizinho que comentou, de forma muito original, que aquilo era de menina. Mas tenho de lhe dar algum crédito porque lhe caiu a ficha e acrescentou que o Simão estava a fazer como o pai, a levar o seu bebé a passear. Haja esperança.

Os meninos têm tanta vontade de brincar aos crescidos como as meninas. E se o pai cozinha e passeia com ele no carrinho, porque é que é um espanto que o Simão brinque com os seus tachinhos e panelas e leve a sua bebé a passear também? Ou será que quem se espanta com estas coisas acha que sou eu que cozinho todas as nossas refeições e cuido exclusivamente do Simão?

De uma maneira ou de outra, o Simão tem e vai continuar a ter brinquedos variados e usar as cores todas do arco-iris.

Usar cores variadas é uma expressão da personalidade de cada um; brincar a imitar os crescidos é essencial para o desenvolvimento; cuidar e dar carinho a um boneco é sinal de uma criança feliz e saudável. Não podia estar mais satisfeita com o meu pequeno.

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *