Família > Crescer > Necessidades especiais

10 coisas que Pais de crianças com autismo e necessidades especiais gostariam que todos soubessem

Pais criancas autismo necessidades especiais

Kristi Campbell é uma mãe com 18 anos de carreira profissional em Marketing que mudou a sua vida para ajudar o seu filhoTucker.

Ela fala-nos da sua experiência e apresenta uma lista de 10 coisas que Pais de crianças com autismo e necessidades especiais gostariam que todos soubessem.

No dia 2 de Abril, dia mundial de sensibilização para o Autismo, vistam-se de azul, imaginem como se sentem estes pais de crianças tão especiais e aprendam como agir. 

“A palavra autismo entrou no meu coração como um sussurro. Mais tarde, entrou no meu cérebro como uma possibilidade. Mais tarde ainda,  entrou na minha vida. Eu acho que eu sabia, muito antes de realmente saber.

Preocupei-me , comprei um livro sobre autismo, devorei​-o e depois senti que não devir ser isto que o meu filho tinha . Ele não era nada como o menino no livro. Nada. ” Talvez”, pensei, ” ele só tenha um atraso no desenvolvimento da linguagem”.

Eu esperei que ele começasse a falar mais. Que ele começasse a brincar mais da forma que era suposto brincar. Ele brincava, ao contrário do menino no livro. Certamente os seus problemas eram diferentes. Menos ” graves? “

Não importa que ele tenha tido uma contusão do tamanho de um ovo na sua testa durante seis semanas com a idade de 18 meses, de tanto bater com a cabeça no chão. Tão rapidamente como este comportamento começou, foi-se embora. Parei de me preocupar com isso. Já tinha passado, não tinha importância. Claro, ele corre às voltas em redor da casa. Mas só quando ele estava cansado. Nem todas crianças fazem isso? Nem todos torcem os cabelos, à volta e à volta e à volta, enquanto bebem um biberon?

Os nossos pais e amigos garantiram-nos que o Tucker iria recuperar , e que seus atrasos foram provavelmente devido a eu estar em casa com ele, enquanto bebé.

Eles estavam errados.

Eu estava errada.

Lembro-me de um dia, olhar para o meu filho e me perguntar, com o coração gelado, se ele seria surdo. Ele não me estava a responder nesse dia. Fiz-lhe um pequeno teste em casa e ele respondeu bem. Deixei-me acreditar que tudo estava bem. Como poderia saber?  Eu não tinha outra criança em casa para poder comparar. Ele adora aconchegar-se a nós , e, pelo que eu li , as crianças autistas não. Ele olha-me nos olhos. Profundamente . Com significado e intenção. Eu já tinha aprendido com o Dr. Google que as crianças com autismo não fazer contato visual…

http://www.autismspeaks.org/blog/2014/04/01/10-things-autism-parents-wish-you-knewVejam na foto, quatro anos mais tarde. Acham que o Tucker parece de alguma forma diferente de um menino normal se divertindo na neve?

O autismo não se parece com nada. Não se parece com o Rain Man . Nem sempre inclui mãos agitadas, balanços repetitivos, ou problemas de linguagem. Às vezes tem. Mas  às vezes isso não acontece.

 

 

Com a ajuda de outros pais, criámos uma lista do que gostaríamos que o mundo soubesse sobre autismo e necessidades especiais:

10 coisas que Pais de crianças com autismo e necessidades especiais gostariam que soubessem:

1. As pessoas não precisam de se sentir incomodadas quando estão próximas do meu filho. Sim, podem precisar de tratá-lo de forma um pouco diferente, mas gostaria que não se assustassem.

2. Nem todo autismo é igual.

3. As pessoas parecem pensar que, porque o meu filho não é como a única outra pessoa que eles conhecem com autismo, que ele não deve ser autista.

4. Estas crianças amam. Eles precisam de amor. Eles são maravilhosos e trazem enorme alegria e riso àaqueles que os amam .

5. Conhecer uma criança com autismo não significa nada – eles são todos tão diferentes . Por favor, não me diga que o meu filho não tem autismo só porque ele parece tão diferente da outra criança que você conhece.

6. Crianças com necessidades especiais são espertas. Talentosas. Criativas, e sensíveis. Pode não ser óbvio o tempo todo – as suas mentes funcionam de forma diferente .

7. Se minha filha está a fazer barulhos estranhos , esteja  à vontade para olhar. Ela está apenas a fazê-lo porque está animada. Mas por favor, não fique a olhar para nós de boca aberta .

8. Se você vir o meu filho num supermercado , ele pode estar a abanar a cabeça, mordendo o colarinho da camisa, ou rodando sobre si. Ele está ansioso. Não vou repreendê-lo , por isso, por favor não olhe para mim como se eu o devesse repreender. Ele não pode evitar nem controlar a forma como o seu corpo reage a estímulos. Ele está a tentar lidar com a forma em que o seu corpo é afetado pelo que está em seu redor.

9. Das pessoas que nos olham e que pensam que eu não estou actuar como devia sobre os comportamentos estranhos do meu filho : peço um pouco de empatia. Não julgue. Tente entender que o ambiente em redor o afecta fortemente .

10. Por favor, aceite as nossas crianças da maneira que você assume que nós aceitaremos as suas.

Acho que falo por todos nós quando digo que o que realmente quero que você saiba, o que queremos gritar ao mundo, é que nós, como mães, estamos simultaneamente aterrorizadas e corajosas.

Assim como você.

Que embora os nossos filhos possam agir de forma diferente do que o que lhe é  familias, eles são a nossa normalidade. Que eles são cheios de emoção , amor feroz, corações meigos, e esperança.

Esperança.

Nossos filhos com necessidades especiais estão aqui, e falam bem alto.

Mesmo quando eles estão em silêncio.”

 

Fonte: www.autismspeaks.org

Saibam mais nos seguintes sites:

FPDA-Federação Portuguesa de Autismo

APPDA – Lisboa, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo