Família > Crescer > Desenvolvimento

Não espere que o seu filho aja como um adulto

Não espere filho aja como adulto

Uma criança é um ser humano em crescimento em todos os sentidos. Cabe aos pais e técnicos de educação promover o melhor caminho da aprendizagem, enquanto seres responsáveis e autónomos. Conheça algumas diretrizes que nos deixa o Centro Ser Mais.

Não podemos esperar que crianças, principalmente entre os 6 e os 8 anos, sejam responsáveis por tudo o que diz respeito à escola. O adulto tem obrigatoriamente de “andar” em cima do acontecimento. É importante, claro, responsabilizá-los, mas sempre com a nossa supervisão por trás.

Quando chegam da escola perguntarmos:

“Como correu o dia?” “O que aprenderam de novo?” “Fizeste/concluíste tudo o que o(a) professor(a) pediu?” “Trazes trabalhos de casa?” “Há algum recado na caderneta?”

Depois de respondidas e de se ter conversado sobre o dia, é importante ir ver a mochila, ver se de facto não há trabalhos de casa, se de facto não há nenhum recado escrito, se tem o material todo em ordem, se não faltam lápis, borrachas, canetas… porque é normal isso acontecer, raramente, salvo raras exceções, se vão lembrar de lembrar o pai ou a mãe que tem de assinar determinado recado, ou que perderam o lápis e que precisam de outro para o dia seguinte.

No fim de “investigar” a mochila, caso haja alguma “irresponsabilidade” da parte dele – afinal tinha trabalhos, afinal havia um recado na caderneta, etc. – a criança deverá ser chamada a atenção para que esteja mais atento das próximas vezes, que a escola é o “trabalho” delas e que, portanto, tem de ser responsável pelas tarefas que o professor manda. Se pelo contrário, era verdade que, portanto, não trazia tarefa nenhuma da escola deverá ser elogiada e incentivada a continuar a ser assim responsável.

Estamos a falar do papel do encarregado de educação em casa, porém também na escola é importante que o adulto, neste caso o educador, perca um pouco do seu tempo em perceber se a mensagem, que ele quer que seja transmitida em casa, vai de facto para casa. Ou seja, em altura de testes, por exemplo, é importante que levem os livros para estudar, logo cabe ao professor confirmar se os alunos levam os livros necessários e mais uma vez na eventualidade de algum falhar, deve ser levado a perceber que errou, que não estava com atenção quando o professor pediu para arrumar na mochila o material devido. Caso a turma tenha estado com atenção e arrumado tudo o que foi solicitado, deverá ser, também, “aplaudida” pelo professor e incitada a continuar assim atenta e responsável.

Nunca se esqueçam que a criança aprende connosco, com os nossos exemplos, não aprende sozinha. E não é por falhar uma ou duas vezes que se vai tornar num adulto irresponsável. Paciência, ternura, firmeza e tolerância são algumas palavras chaves para a ajudar no desenvolvimento e crescimento das nossas crianças e vão ver que os “frutos” se colherão mais tarde. 

 

Centro Ser Mais 

geral@centrosermais.com