Família > Crescer > Desenvolvimento

Será a Psicomotricidade assim tão importante?

Será assim tão importante a Psicomotricidade ?

A Psicomotricidade é possivelmente uma das áreas mais cruciais para o desenvolvimento humano nos dias de hoje. Por isso, sim, é assim tão importante sim!

E porquê? Porque nos permite desenvolver a consciência sobre o nosso corpo e movimento, a nossa capacidade para solucionar problemas, imaginar, comunicar, adaptar, recordar, decidir, gerir emoções e relacionarmo-nos connosco próprios, com os que nos rodeiam e com o contexto que nos envolve. Tudo em várias experiências e vivências que vão, para além de aprender a saltar ou correr, como tanta gente pensa. Quem o defende é Beatriz Pereira, psicomotrocista e autora do blog Mais Q’ Especial.


É uma área rica pela sua intencionalidade em que em todas as suas atividades se trabalham várias áreas desde a motora, a cognitiva, a emocional e a social porque estão todas LIGADAS e, como tal, condicionam-se mutuamente!

Assim, entre tantas outras mais valias, a psicomotricidade:

  • Potencia a noção de corpo, espaço e tempo que nos permite adequar o movimento, as nossas ações e respostas no dia-a-dia;
  • Promove a independência porque quando conscientes das nossas capacidades e áreas fortes, concretizamos as nossas atividades diárias de forma mais autónoma;
  • Maximiza a nossa saúde mental pelo controlo da nossa respiração, pela gestão das nossas emoções, ansiedade, impulsividade e outros estados ligados à emoção;
  • Desenvolve as nossas funções cognitivas como a atenção, a memória, a linguagem, o raciocínio, a perceção que temos do que nos rodeia permitindo-nos defender, manter aprendizagens, aprender a fazer algo novo, comunicar…
  • Potencia as relações interpessoais positivas com o respeito por si mesmo como pelos outros.

Uma mais valia que pode fazer a diferença desde o bebé de poucos dias ao idoso com noventa e tal anos, desde as crianças com desenvolvimento normal às crianças e jovens com perturbações do desenvolvimento, dificuldades de aprendizagem ou outras condições.

Ainda há dúvidas sobre a sua importância?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *