Família > Crescer > Desenvolvimento

5 dicas para ensinar a partilhar

ensinar a partilhar

Como incentivar a criança a dividir com outros aquilo que sente seu?

Ensinar a criança a partilhar pode, por vezes, parecer um verdadeiro desafio e, às vezes, até algo impossível. Muitos pais questionam-se onde estarão a falhar para que a criança não saiba ou queira partilhar. Por isso, Beatriz Pereira, do blog Mais Q’Especial, partilha connosco alguma dicas. 


Primeiro, é importante referir e descansar os vossos corações dizendo-vos que aprender a partilhar não é algo que nasça com a criança. Como tal, é um processo de aprendizagem em que tudo se inicia exatamente nos momentos em que a criança não querer realmente partilhar com o outro.

Nos primeiros anos de vida, as crianças sentem-se o centro do mundo (do delas e do mundo dos outros também) logo faz parte do seu pensamento acreditar que tudo deverá rodar à volta da sua vontade, das suas necessidades e desejos. O nosso papel é mostrar-lhes como é importante aceitarmos as partilhas e partilhar.

Esclarecido este ponto, falemos então de como incentivar à partilha com o outro:

No vosso dia-a-dia com a criança, desde os bebés às crianças mais pequenas, utilizem a comunicação como uma forma de trabalhar a partilha.

Imaginem que vocês têm um livro na mão, e a criança está atrás do mesmo, digam “vou acabar de ver e partilho contigo logo de seguida”. Vêem o livro e depois então partilham, reforçando o facto de a criança ter esperado pela sua vez. Sejam firmes, calmos, confiantes e cumpridores nas vossas palavras. Sejam modelos daquilo que esperam das vossas crianças.

Em momentos em que a criança estava a brincar e outra criança lhe tirou o brinquedo podem também ensinar-lhe a ir atrás do seu brinquedo e a comunicar com a outra criança

Este acompanhamento e ensinamento sensibiliza a criança para quando for ao contrário. Desde que trabalhada com empatia e com o incentivo pelo respeito mútuo, esta aprendizagem pode ser valiosa.

Se a criança tirou o brinquedo a outra criança e não nos apercebemos no momento, também vamos a tempo de intervir

Ao nível da criança podemos dizer à criança “Hmmm, parece-me que o teu amigo ainda não tinha acabado de brincar com o seu brinquedos. Vais juntos devolver ou eu vou devolver? “. Dê oportunidade à criança de corrigir a situação, de procurar e de se envolver numa solução.

Claro que desta aprendizagem fazem sempre parte as birras e as resistências à partilha e à cedência

O truque principal está em reconhecer junto da criança que estão a ver que a criança quer muito aquele objeto, que deve estar a sentir-se triste ou desejosa e reforçar a condição para alcançar aquilo que pretende. Um truque ainda mais precioso é mostrarem-se confiantes sobre o que estão a defender, sem magoar ou humilhar a criança e encaminhando-a para outra atividade ou para chegarem a uma alternativa em conjunto!

Lembrem-se esta aprendizagem como muitas outras envolve consistência, persistência, paciência e repetição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *