Família > Crescer > Desenvolvimento

Dicas para educar uma criança que se valoriza

Dicas educar uma crianca se valoriza

Muitos pais questionam-se sobre a melhor forma de ajudar os filhos a construírem uma imagem positiva sobre si próprios. Não havendo “melhores formas” na educação, aqui ficam algumas dicas para ajudar a criança a valorizar-se.

Encoraje a assertividade. Ensine a criança a expressar as suas necessidades aos adultos e a exprimir os seus pontos de vista junto dos seus pares. Se o seu filho se queixa que algum colega na escola o trata com maus modos, encoraje-o a dizer “Não gosto da forma como estas a falar comigo.”

Ao elogiar, seja específico. Dizer “És tão inteligente” é bastante diferente de “Bem, tens mesmo uma memória impressionante” ou “Jogas realmente bem à bola”. Opte por elogiar características ou comportamentos específicos.

Seja realista quando elogia. Uma criança tem consciência quando não é uma estrela da ginástica (pelo que oferecer-lhe a medalha olímpica do elogio não faz muito sentido), mas ela ficará satisfeita se reparar e comentar a sua evolução, os progressos que tem realizado.

Encoraje a competência. Não se ofereça para fazer as coisas pela criança. Não se apresse a oferecer ajuda. Não receie que a criança se depare com as suas dificuldades. Quando a criança pede ajuda experimente incentivá-la a tentar mais alguns minutos por ela própria, confiando nas suas capacidades.

Deixe que seja a criança a escolher as suas actividades extra-curriculares. Imagine que agora o obrigavam a jogar golfe porque está na moda, a ter aulas de danças de salão porque os fatos são mesmo giros, ou a tocar saxofone porque tem muita pinta. Já estou a imaginar a sua cara! Ofereça à criança um leque de possibilidades, que seja compatível com as dinâmicas familiares, e permita que seja ela a escolher que actividade gostaria de experimentar.

Fomente uma imagem corporal positiva. Quando a criança lhe pergunta “Eu sou bonita?” a resposta em tom entusiasmado que se espera de si é um enorme “SIM!”. Contudo, não se limite a elogiar a aparência global. Experimente fazer reparos mais específicos e relacionados com acções. “Os teus olhos brilhavam enquanto cantavas” ou “Estavas tão graciosa na tua dança.”

– Não ser convidado, não é não ter valor. Muitas crianças sentem-se inconsoláveis quando não são convidados por um amigo para se sentar ao seu lado na cantina ou para o jogo da apanhada no recreio. Sentem-se magoados quando ouvem “Já não quer ser teu amigo.” Ajude a criança a perceber que estas situações pouco dizem a seu respeito, reflectindo, na maioria das vezes, um momento de mau humor do amigo.

Não assuma que domina todas as forças e fraquezas do seu filho. Procure acompanhar as mensagens que ele transmite, pelo que faz e pelo que lhe diz. Potencie as forças que demonstra e acompanhe-o, como um pilar que não deixa cair a estrutura que suporta, nas dificuldades que manifesta.

Ajude a seu filho a desenvolver uma auto-estima positiva!

 

Inês Afonso Marques

Psicóloga Clínica 

www.oficinadepsicologia.com

oficina.psicologia@gmail.com